Nº19 - 12-05-2013

Anteriores

Nº19 - 12-05-2013

NA BARCA DA FÉ

 

ASCENSÃO DO SENHOR

A Ascensão é penúltima vinda do Senhor, iniciando-se com ela o tempo de espera. O tempo da Igreja situa-se entre a Ascensão e a última vinda do Senhor. Jesus, desaparecendo fisicamente, faz-nos centrar na Sua presença mística e real nos sacramentos, na Igreja, no coração dos homens, nos acontecimentos da vida. Cada crente é chamado a “encarnar” o Senhor.

Entretanto, é preciso olhar bem esta terra. Os anjos chamaram a atenção dos discípulos que ficaram a olhar o céu esquecendo, de qualquer modo, as realidades terrenas. É preciso esperar, mas activamente, isto é, preparar o retorno glorioso do Senhor. O Céu é Alguém, Jesus Cristo, já presente no meio de nós, particularmente através do Seu Espírito.

A Ascensão é, por isso, essencialmente tempo do Espírito, preparando-nos imediatamente para o Pentecostes. O Espírito é Espírito Missionário que envia também a Igreja em Missão. A Ressurreição, Ascensão e Pentecostes (dimensões de uma única realidade) inauguram o tempo da Igreja Missionária. Todos devemos “ir” e dar testemunho de Cristo Ressuscitado, conduzidos pela força do Espírito. É por isso que se celebra também hoje o “Dia dos Meios de Comunicação Social” que devem, também eles, ser instrumentos de Evangelização.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



Domingo VI da Páscoa Ascensão do Senhor – Ano C

Act 1, 1-11; Sal 46 (47), 2-3. 6-7. 8-9; Ef 1, 17-23; Lc 24, 46-53

Impressiona-me nas leituras deste Domingo, o convite que Deus me faz a despojar-me das riquezas. A despojar-me dos meus pequenos poderes. A despojar-me do afecto. Largar tudo aquilo que quero controlar: o dinheiro esperado ao fim do mês, o afecto desejado das pessoas que me rodeiam. Jesus convida-me a ter coragem, a acreditar apenas no que vem do alto.

Em que leituras vejo isto tudo? A começar pelos Actos. Tal como eu, os Apóstolos perguntam: «Senhor, é agora que vais restaurar o reino de Israel?». É agora Senhor que vais dar-me o dinheiro que mereço para sustentar a minha família? O dinheiro para estabelecer um reino perfeito na minha casa? Jesus responde com: «Não vos compete saber os tempos ou os momentos que o Pai determinou com a sua autoridade».

No evangelho de Lucas, Jesus, vem responder ainda mais claramente: «Está escrito que o Messias havia de sofrer e de ressuscitar dos mortos ao terceiro dia e que havia de ser pregado em seu nome o arrependimento e o perdão dos pecados (…)». O Reino Dele já está estabelecido. Na minha família o reino perfeito já existe. Mas está inacabado. É um reino à espera que eu ressuscite para a vida eterna. É um reino que só está acabado quando morrer. É um reino que tenho de construir com alguns sofrimentos, pois o meu pecado faz parte deste reino. O meu pecado pode destruir este reino, mas também o pode construir se souber pedir perdão à minha mulher e aos meus filhos.

Tenho um aliado todo-poderoso e bem perto: «Eu vos enviarei Aquele que foi prometido por meu Pai. Por isso, permanecei na cidade, até que sejais revestidos com a força do alto». Jesus envia-me o Espírito Santo… Eu só tenho de permanecer fiel para receber a força do alto. 

Pedro Chambel Leitão



“Altar” – “Ambão” – “Cadeira” ou “Sede Presidencial”

Qual o significado destes três elementos constituintes do presbitério de uma igreja?  

O elemento unificador do presbitério e de todo o espaço litúrgico é naturalmente o altar, que deve ser “o centro de convergência,para o qual se dirige espontaneamentea atençãodos fiéis” (IGMR, 299).O altar é também o centro daacção de graças celebrada na Eucaristia” (IGMR, 296). Analogamente, a propósito do ambão é afirmado o seguinte: A dignidade da Palavra deDeus requerque hajaum local adequadopara a sua proclamação e para o qual, durante a liturgiada palavra,convirja espontaneamentea atençãodos fiéis” (IGMR, 309). Por outras palavras, o altar, o ambão, a sede presidencial, devem ser portadores de um significado que os transcende (Celebração do Sacrifício e do Banquete Eucarístico, Anúncio da Palavra, Imersão na Morte e Ressurreição de Cristo). 

  • O Altar

O altar é o lugar central da celebração litúrgica. É a mesa da Ceia do Senhor, onde, sacramentalmente, se torna presente o Seu Sacrifício. É o sepulcro que recorda a Morte e a Ressurreição de Cristo. O altar não é simplesmente um objecto útil á celebração litúrgica, mas o sinal da presença de Cristo, fonte da caridade e da unidade. O seu simbolismo cristológico (ícone de Cristo Sacerdote, Vítima, Pastor) exige uma localização e um cuidado que exprimam a sua centralidade.

  • Ambão

Da mesma forma que o altar é a mesa do Sacrifício, o ambão é a mesa da Palavra. Este espaço litúrgico deve atrair a atenção, predispor a assembleia para escutar a Palavra.

  • Sede Presidencial

A sede da presidência é o lugar onde o celebrante, in personaChristi, preside à comunidade reunida em assembleia santa. Entre os sinais da presença real do Senhor está, certamente, a pessoa que preside à assembleia celebrante. A sede de quem preside não é um simbolismo arbitrário. A sede do sacerdote celebrante deve mostrar a função que ele tem de presidir à assembleia e dirigir a oração. Olhar para aquele ministro ordenado é olhar para Cristo, reconhecido presente no meio dos seus.

Altar, Ambão, Sede, sejam capazes de dar espaço ao comunicar de Deus e ao comunicar-se com Deus, de forma bela e eloquente.

Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Festa em honra de Nossa Senhora de Fátima – Queluz de Baixo

A Comunidade de Queluz de Baixo está a celebrar a festa da sua Padroeira, Nossa Senhora de Fátima.

Domingo, dia 12 de Maio, pelas 21:00 horas, haverá uma procissão de velas.

Segunda-Feira, dia 13 de Maio, pelas 20:30 horas, haverá uma Missa Solene em honra de Nossa Senhora de Fátima.

 

2.    Mês de Maio – Mês de Maria

Durante o mês de Maio será rezado o terço, em honra de Nossa Senhora:

TercenaTodos os dias, às 21:00 horas, excepto ao Sábados em que será rezado às 18:30 horas.

Barcarena – Terças e Quintas, às 18:30 horas.

Queluz de Baixo – Quartas, Sextas e Sábados, às 18:30 horas.

 

3.    Sacramento do Crisma

No próximo Sábado, dia 18 de Maio, às 16:00 horas, no Pavilhão Desportivo Carlos Queirós – Outurela, será administrado o Sacramento do Crisma, a 28 Jovens e Adultos da nossa Paróquia.

 

4.    Profissão de Fé

A Profissão de Fé terá lugar no dia 19 de Maio, na Igreja Paroquial, às 11:00 horas. 

 

5.    Primeira Comunhão

A Primeira Comunhão terá lugar no dia 2 de Junho, na Igreja Paroquial, às 11:00 horas.

No dia 24 de Maio, Sexta-Feira, às 21:00 horas – Encontro com os Pais, na Igreja Paroquial. No dia 25 de Maio, Sábado, às 16:00 horas – Confissões para as Crianças e Pais, na Igreja Paroquial. 

 

6.    Procissão do Corpo de Deus – Dia 2 de Junho, às 17:00 horas, Sé Patriarcal

Como sabemos, o dia da Solenidade do Corpo de Deus deixou de ser feriado. A importância que esta Festa tem para nós, faz com que a Festa Litúrgica passe para o Domingo seguinte. Vamos celebrá-la no dia 2 de Junho! Tendo ainda em atenção o encerramento da “Semana da Fé”, o Senhor Cardeal Patriarca pretende também que, este ano, a Procissão seja um momento alto de afirmação profunda e significativa da nossa fé no coração da Cidade. Contamos com a presença dos Paroquianos nesta importante celebração!

 

7.    Encontro com Catequistas para Avaliação do Ano de Catequese

No dia 23 de Junho (Domingo) vai realizar-se um encontro geral de Catequistas para avaliação do Ano de Catequese. Este encontro começará com o almoço, às 13:30 horas, e terminará no final da tarde. Pede-se a todos os Catequistas o favor de se inscreverem, o mais rapidamente possível, neste encontro. Podem fazê-lo junto das Coordenadoras da Catequese.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena