Recentes



Nº229 11-03-2018

Anteriores

Nº229 - 11-03-2018

NA BARCA DA FÉ

 

O JUÍZO DE DEUS

O Evangelho de S. João apresenta-nos o “Juízo de Deus” com uma linguagem diferente dos outros evangelistas. Diferente e mais compreensível para as pessoas, nos dias de hoje. João não fala de um “juízo final”, que teria lugar no termo da história da humanidade, mas de um juízo que acontece hoje.

No texto lido neste Domingo (Jo 3, 14-21), Jesus exclui mesmo a hipótese de Deus julgar o ser humano (Jo 3, 17; Jo 12, 46-47); o que Ele quer é que o ser humano na sua totalidade se salve. O juízo não é pronunciado por Deus, mas pela opção que cada um faz à luz de Cristo.

Quer isto dizer que o ser humano se encontra perante a proposta que Jesus faz do alto da cruz. Trata-se da doação da vida por amor, como única maneira de a valorizar. Perante o exemplo de Cristo, é preciso dizer um “sim” ou um “não”. Salva-se quem tem a coragem de doar a própria vida como Cristo fez.

Quem, ao contrário, não aceita renunciar à própria vida e escolhe o caminho do egoísmo e pensa só em si, nos próprios prazeres, nas próprias satisfações, condena-se a si mesmo à morte, ou seja, destrói a própria existência.

O juízo não terá lugar no fim do mundo. É hoje, agora em cada momento, que o ser humano é salvo pela adesão a Cristo “levantado” ou é condenado pela sua recusa à proposta da cruz.

Mas, no fim do mundo, não haverá de facto um juízo um pouco mais severo, um ajuste de contas sério? Este juízo deixemos que o façam os deuses das outras religiões! O Pai, de quem fala Jesus, nessa altura, já terá conseguido mudar o coração de todos os homens, porque, como diz o Evangelho proclamado neste Domingo, “Ele amou de tal maneira o mundo que lhe entregou o seu Filho unigénito” e não quer que ninguém pereça.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO IV DA QUARESMA – Ano B

LEITURA I – 2 Crónicas 36, 14-16. 19-23; SALMO – Salmo 136 (137);
LEITURA II – 2 Efésios 2, 4-10; EVANGELHO – João 3, 14-21.

Eu vivo neste mundo como um exilado. O Senhor Jesus, pela sua morte e ressurreição, fez de mim filho de Deus no dia do meu baptismo. Desde então a minha filiação divina chama-me a querer o Reino de Deus. É esse Reino a que pertenço. Contudo, vivo exilado como os israelitas foram exilados na Babilónia: “O rei dos caldeus deportou para Babilónia todos…”. O exílio deles serviu para expiar os seus muitos pecados: “Mas eles escarneciam dos mensageiros de Deus, desprezavam as suas palavras e riam-se dos profetas”.

O meu exílio serve para preparar a minha vida eterna. Todavia, vejo-me confrontado com a vontade de querer permanecer neste mundo. Fazer alianças com os povos locais. O Reino a que pertenço parece-me ainda tão longe… Por vezes, o reino deste mundo parece ser melhor. É aqui que percebo o que diz São Paulo: “De facto, é pela graça que fostes salvos, por meio da fé. A salvação não vem de vós: é dom de Deus.” Eu pertenço ao Reino de Deus, mas Deus deixa-me renegar esse Reino. Sou livre. Mas isso não me deve angustiar. É o Senhor quem me leva ao Reino. Só tenho de a cada dia proclamar a minha fé. Acreditar que Ele é um Deus pai todo poderoso que consegue salvar-me. É um Deus que não só me criou como consegue recriar o meu íntimo para que ultrapasse o meu egoísmo, inveja e soberba.

Finalmente, no Evangelho de João, aparece a esperança na salvação: “Porque Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele”.

Jesus Cristo desceu à mansão dos mortos para me elevar ao Céu. Para isso deu-me uma Igreja onde posso viver a comunhão dos santos que me ajuda na minha caminhada na terra, para que possa remir todos os meus pecados e entrar em paz na vida eterna. 

Pedro Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Quaresma 2018

“Jesus viu […] e teve compaixão” (Mc 6, 34)

Continuamos a nossa Caminhada Quaresmal que se centra na frase do Evangelho: “Jesus viu […] e teve compaixão” (Mc 6, 34).

Como temos dito, esta frase ensina-nos a perceber o que significa ser discípulo de Jesus, ensina-nos a olhar os outros com amor, ensina-nos a ajudar os que precisam da nossa ajuda. Esta semana continuaremos a construir a palavra "QUARESMA", colocando a quinta letra, o E.

Continuaremos também a levar por diante o desafio que nos propusemos: Envolver toda a comunidade numa “Ajuda diferente para as crianças de São Vicente”. Semana a semana, contribuiremos com produtos de higiene,produtos de alimentação e material escolar.

11 de Março – IV Domingo da Quaresma

Quaresma escreve-se com E de ENTREGA. Senhor, queremos comprometer-nos a ajudar os que vivem ao nosso lado e acreditar que um Mundo Novo é possível.

Compromisso da Semana

Na semana passada, comprometemo-nos a rezar individualmente, o que nos lembrou que a nossa relação com Deus precisa de momentos de intimidade. Mas, não podemos ficar por aí.

A nossa relação com Deus tem de levar-nos aos outros.

Assim, cada um vai arranjar um género alimentar para, no momento do Ofertório da Eucaristia da próxima semana, o depositar no cesto.

“Há mais alegria em dar do que em receber” (Act 20, 15).Seja este o lema da nossa semana.

A aprofundar

Mc 6, 37 -“Jesus respondeu: «Dai-lhes vós mesmos de comer.»”.

Jesus desafiou os Seus discípulos a agir. Hoje, também nós somos convidados a perceber que o pouco que cada um tem é suficiente para “dar de comer” aos que mais precisam.

Oração para todos os dias

Senhor, das Tuas mãos saem prodígios. Onde as Tuas mãos tocam, tudo se transforma.

Jesus, que as minhas mãos sejam semelhantes às Tuas mãos!

Diácono Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Caminho Neocatecumenal – Solene Profissão de Fé da I Comunidade

Durante a Quaresma, na Igreja de Barcarena, às Segundas e Quartas-feiras às 21:30 horas, decorre a Solene Profissão de Fé da I Comunidade Neocatecumenal.

Todos os paroquianos estão convidados a estar presentes.

2.    Sacramentos da Iniciação Cristã – Abertura de Processos

Os Pais das Crianças que frequentam a Catequeses e vão receber os Sacramentos da Iniciação Cristã devem passar, o mais rapidamente possível, pelo Cartório Paroquial a fim de dar início ao respectivo Processo.

3.    Uma Ajuda Diferente para as Crianças de S. Vicente

A Campanha que nos foi lançada para ajudar um jardim-de-infância da Paróquia de São Vicente, Cabo Verde (Produtos de Higiene, Produtos de Alimentação e Material Escolar), termina no próximo fim de semana (Missas Vespertinas de dia 17 de Março e Missas Dominicais de dia 18 de Março).

Quem pretender contribuir monetariamente poderá fazê-lo através da conta com o IBAN PT 50 5200 5200 000136 44001 35.

4.    Encerramento da Catequese / Festa do Perdão

O 2º Período da Catequese termina no dia 17 de Março (Sábado) com uma Celebração, na Igreja Paroquial, às 14:15 horas, para todos os Grupos da Catequese (do 4º ao 10º Catecismo).

Após a Celebração, com início às 15:00 horas, haverá Confissões para as Crianças/Adolescentes.

Convidamos os Pais, se o desejarem, a receber o Sacramento da Confissão.

5.    Confissões de Preparação para a Páscoa

Leceia –Domingo, dia 18 de Março, às 10:00 horas. Barcarena –Quarta-Feira, dia 21 de Março, às 21:00 horas.

Centro de Dia (Tercena) –Quinta-Feira, dia 22 de Março, às 10:30 horas. Tercena –Quinta-Feira, dia 22 de Março, às 21:00 horas.

Queluz de Baixo –Sexta-Feira, dia 23 de Março, às 21:00 horas.

6.    Domingo de Ramos na Paixão do Senhor

Os horários das Celebrações da Bênção dos Ramos são os seguintes:

Queluz de Baixo (Irmãs Canossianas)–8:45 horas; Leceia, Tercena e Valejas (Espaço exterior das Igrejas)–10:15 horas; Barcarena (Capela de S. Sebastião) – 11:45 horas.


©2018 Paróquia de São Pedro de Barcarena