Recentes



Nº227 25-02-2018

Anteriores

Nº227 - 25-02-2018

NA BARCA DA FÉ

 

A TRANSFIGURAÇÃO

No segundo Domingo da Quaresma, o Evangelho apresenta-nos todos os anos o tema da transfiguração de Jesus. A mensagem deste texto não é linear, porque transmitida numa linguagem e símbolos muito próprios.

A narrativa escutada neste Domingo (Mc 9, 2-10) encontra-se exactamente no centro do Evangelho de Marcos. Os discípulos, desde o início, perguntavam-se a si mesmos quem era Jesus. A uma dada altura, começam a intuir que Ele era o Messias. Contudo, tinham ideias muito confusas a esse respeito. Partilhavam da opinião das pessoas do povo e, como todos, esperavam um rei glorioso, vencedor, rico e poderoso, capaz de transformar rapidamente a condição da humanidade e instaurar milagrosamente o Reino de Deus sobre a terra.

A mensagem central do trecho situa-se precisamente a este nível: para instaurar o Reino, que Jesus deixa entrever aos discípulos durante a transfiguração, é necessário passar através do sacrifício da própria vida. Não se pode entrar no Reino por atalhos, como Pedro procura fazer. É preciso que todos os discípulos sigam corajosamente o percurso feito pelo Messias.

Os discípulos foram descobrindo de maneira lenta, penosa e progressiva este rosto sofredor do Messias. Melhor, mesmo depois de todas as instruções e explicações do Mestre, nunca teriam chegado a compreender o projecto de Deus se não tivesse havido a luz da Páscoa, a experiência do Ressuscitado.

Talvez também nós hoje cedamos às falsas expectativas de Pedro. Poderemos andar iludidos de que a passagem neste mundo (onde provamos tanto sofrimento, tantas contrariedades e tantas injustiças) para a glória do mundo futuro possa acontecer sem contrastes e sem o sacrifício e a doação da própria vida. Mas não há outro caminho senão o de Cristo, o que leva à ressurreição passando pela cruz!

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO II DA QUARESMA – Ano B

LEITURA I – Génesis 22, 1-2. 9a. 10-13. 15-18; SALMO – Salmo 115 (116); LEITURA II – Romanos 8, 31b-34; EVANGELHO – Marcos 9, 2-10.

Neste segundo Domingo da Quaresma a Palavra de Deus inicia-se com um chamamento: “Deus quis pôr à prova Abraão e chamou-o: «Abraão!». Ele respondeu: «Aqui estou»” (Gen 22, 1). Deus chamou-o, chamou Abraão e ele respondeu! Respondeu logo. Abraão coloca-se logo à disposição de Deus. Esta solicitude de Abraão impressiona-me. Impressiona-me que Abraão tenha logo respondido, isto queria dizer que ele tinha uma atitude de escuta e de espera, esperar que Deus lhe falasse, como se estivesse sempre alerta… Acredito que esta é a atitude de alguém que já experimentou o Amor de Deus, e que, por isso, não há como não estar em constante espera da Palavra Dele. Abraão, já tinha tido o fruto da Promessa, um filho, Isaac, nascido de sua mulher estéril, Sara. Também no Evangelho Deus alerta: «Este é o meu Filho muito amado: escutai-O» (Mc9, 7). Neste início de Tempo, a minha atitude deverá ser esta, de espera da Sua Palavra, de desejo por escutá-Lo. Porque, de facto, posso assinalar momentos da minha vida em que Deus cumpriu a Promessa, com o meu matrimónio, com o nascimento de cada um dos meus filhos e por isso vale a pena esperar para escutá-Lo.

É através da escuta que posso acreditar no Evangelho: «Cumpriu-se o tempo e está próximo o reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no Evangelho» (Mc1, 15). O Evangelho é a Boa Nova apresentada com o relato da transfiguração de Jesus, no Evangelho deste Domingo, e exaltada por São Paulo na segunda leitura: “Deus, que não poupou o seu próprio Filho, mas O entregou à morte por todos nós, como não havia de nos dar, com Ele, todas as coisas?”

Deus ama-me imensamente e quer concretizar a Sua Palavra na minha vida. Por isso chama-me: “Mónica!”, aguardando a minha resposta. Será que adiro logo à vontade e ao projecto de Deus, ou respondo “só um bocadinho, que já vou…”?. Qual será então a velocidade da minha resposta perante o chamamento de Deus? A Quaresma é o tempo propício para iniciar ou reiniciar este caminho que Deus me propõe, basta para isso, como Abraão, responder logo: “Aqui estou!”.

Creio que esta minha resposta me levará à Páscoa, à ressurreição do Senhor. 

Mónica Morgado



VIVENDO A FÉ - Quaresma 2018

“Jesus viu […] e teve compaixão” (Mc 6, 34)

Estamos em pleno tempo da Quaresma, que, na nossa Paróquia, se centra na frase do Evangelho: “Jesus viu […] e teve compaixão” (Mc 6, 34).

O lema: “Jesus viu […] e teve compaixão” ensina-nos a perceber o que significa ser discípulo de Jesus, a olhar os outros com amor, a ajudar os que precisam da nossa ajuda. Em cada semana iremos construindo a palavra “QUARESMA”.

Haverá também um compromisso concreto para pôr em prática. Pretende-se, ainda, envolver toda a comunidade numa “Ajuda diferente para as crianças de São Vicente”. Iremos ajudar um Jardim-de-Infância de CaboVerde (São Vicente). Semana a semana, contribuiremos com produtos de higiene, produtos de alimentação e material escolar.

25 de Fevereiro – II Domingo da Quaresma

Quaresma escreve-se com um A de ALEGRIA, com um A de AMOR. Nós vos oferecemos, Senhor, a alegria de saber e sentir que Tu estás sempre connosco e cuidas de nós com amor.

Compromisso da Semana

Às vezes, podemos estar alegres, mas esquecemo-nos de levar a alegria aos outros.

Ainda hoje, escutámos, na Eucaristia, o Evangelho da Transfiguração.

Jesus “mudou de figura” e nós devemos fazer o mesmo.

Para nos transfigurarmos e sermos mais semelhantes a Jesus, que sempre semeou alegria e esperança por onde passou, nesta semana, vamos levar alegria a um doente ou idoso que esteja sozinho. Façamos-lhe uma visita e comprometamo-nos a voltar.

Sejamos o rosto resplandecente do Mestre para os nossos irmãos.

A aprofundar

Mc 6, 34 -“E teve compaixão deles, porque eram como ovelhas sem pastor”.Jesus compadeceu-se das pessoas, teve compaixão delas e ajudou-as. Estava atento a cada situação. Toda a Sua vida foi uma atenção constante a todos. O Seu coração era um coração misericordioso!

Oração para todos os dias

Senhor, dá-me um coração cheio de Misericórdia. Que eu ame todos os meus irmãos. Faz do meu coração, um coração semelhante ao Teu! 

Diácono Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Via Sacra Vicarial – Dia 25 de Fevereiro

Este Domingo, dia 25 de Fevereiro (II Domingo da Quaresma), às 16:00 horas, na paróquia de Algés / Miraflores, terá lugar a Celebração da Via-Sacra Vicarial. Começa na Igreja de Algés e termina na Igreja de Miraflores.

2.    Exposição do Santíssimo Sacramento em Queluz de Baixo

Na próxima Sexta-Feira, dia 2 de Março, entre as 18:00 e as 18:45 horas, haverá Exposição do Santíssimo em Queluz de Baixo.

3.    Noite de Oração orientada pelo Grupo de Jovens

No próximo Sábado, dia 3 de Março, o Grupo de Jovens vai realizar mais uma Noite de Oração, na Capela de S. Sebastião, às 21:30 horas.

4.    Rezar na Quaresma - Concerto

Sexta-Feira, dia 9 de Março, às 21:30 horas, terá lugar, na Igreja Paroquial, um Concerto dado pelo Grupo Christus Ensemble.

Convidamos todos os Paroquianos a participarem neste Concerto. É uma forma diferente de Rezar nesta Quaresma.

5.    Encontro Diocesano de Pastoral Litúrgica

Sábado, dia 10 de Março, terá lugar, na Igreja Paroquial da Portela, o Encontro Diocesano de Pastoral Litúrgica.

Todos os Paroquianos envolvidos nos diferentes Grupos Litúrgicos (Acólitos, Leitores, Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão, Cantores, etc.) são convidados a participar.

6.    Ofertório Solidário a favor da Associação Amigos de Raoul Follereau

Os valores recolhidos no Ofertório Solidário a favor da Associação Amigos de Raoul Follereau foram os seguintes:

Barcarena – 142,18 € Leceia – 46,65 € Queluz de Baixo – 151,77 Tercena – 170,35 € Valejas – 29,00 € Total – 540,15 €

7.    Uma Ajuda Diferente para as Crianças de S. Vicente

Durante o tempo da Quaresma, é proposta a nossa ajuda a um jardim-de-infância da Paróquia de São Vicente, Cabo Verde (Produtos de Higiene, Produtos de Alimentação e Material Escolar), que podem ser entregues nos Ofertórios das Missas Vespertinas e Dominicais.

Quem pretender contribuir monetariamente poderá fazê-lo através da conta com o IBAN PT 50 5200 5200 000136 44001 35.


©2018 Paróquia de São Pedro de Barcarena