Recentes



Nº225 11-02-2018

Anteriores

Nº225 - 11-02-2018

NA BARCA DA FÉ

 

JESUS PARTILHA A SORTE DOS “LEPROSOS” DESTE MUNDO

O último versículo do Evangelho proclamado neste Domingo (Mc 1, 40-45) não deixa de ser curioso e significativo: “Jesus já não podia entrar em nenhuma cidade”, mas ficava fora, em lugares solitários, e vinham ter com Ele de toda a parte.

É fácil notar que Jesus e o leproso mudaram de lugar, de residência. Antes, era o leproso que devia viver em lugares afastados e não podia entrar nas povoações; agora, é Jesus que escolhe viver na condição dos leprosos. Ou seja, Jesus quis partilhar realmente a sorte de todos os “leprosos” deste mundo: os ladrões, os bandidos, as prostitutas, os pecadores...

Um texto antiquíssimo, citando o episódio deste Evangelho, põe nos lábios do leproso esta bela oração: “Mestre Jesus, Tu que estás ao lado dos leprosos e comes com eles, também eu me tornei leproso; se Tu quiseres, eu poderei tornar-me puro”.

Porque é que toda a gente vai ter com Jesus? Porque Ele escolheu os leprosos, os últimos, os que são rejeitados por todos. Serão estas as pessoas que as nossas comunidades optaram por abraçar?

Hoje, na nossa cultura, o desprezo e a rejeição dos leprosos já desapareceram. Todavia, certas formas de marginalização continuam a existir, mesmo nas nossas comunidades cristãs. Sejamos francos: Não serão por vezes rejeitados, como se fossem “leprosos”, os que têm um carácter difícil, os que têm ideias ou fazem opções diversas das nossas. Sinto, com muita frequência, que há pessoas que nós gostaríamos de excluir e afastar da comunidade cristã, por causa dos seus defeitos e dos seus erros.

E, já agora, quando alguém se sente “leproso”, a quem se dirige, nas nossas comunidades cristãs? Será que se poderão dirigir a nós, cristãos, com a mesma confiança com que os marginalizados recorriam a Jesus?

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO VI DO TEMPO COMUM – Ano B

LEITURA I – Levítico 13, 1-2. 44-46; SALMO – Salmo 31 (32), 1-2. 5. 7 e 11; LEITURA II – 1ª Coríntios 10, 31– 11, 1; EVANGELHO – Marcos 1, 40-45.

Frente a uma doença tão terrível como é a lepra, o povo Judeu em pleno êxodo, recorrendo ao bom senso, estipulou uma forma prática de limitar a sua propagação "O Senhor falou a Moisés e a Aarão, dizendo: «Quando um homem tiver na sua pele algum tumor, impigem ou mancha esbranquiçada, que possa transformar-se em chaga de lepra, devem levá-lo ao sacerdote Aarão ou a algum dos sacerdotes, seus filhos. O leproso com a doença declarada usará vestuário andrajoso e o cabelo em desalinho, cobrirá o rosto até ao bigode e gritará: ‘Impuro, impuro!’. Todo o tempo que lhe durar a lepra, deve considerar-se impuro e, sendo impuro, deverá morar à parte, fora do acampamento». " (Lev 13, 1-2. 44-46). 

O bom senso pode ser visto como uma metodologia, quase intuitiva, que permite, face a um problema, identificar as ações que melhor satisfazem todas as partes envolvidas. É uma excelente forma de evitar decisões tomadas por impulso que normalmente não pesam devidamente as consequências. No entanto, o bom senso tem a limitação de não ter em conta o impossível "Naquele tempo, veio ter com Jesus um leproso. Prostrou-se de joelhos e suplicou-Lhe: «Se quiseres, podes curar-me». Jesus, compadecido, estendeu a mão, tocou-lhe e disse: «Quero: fica limpo». No mesmo instante o deixou a lepra e ele ficou limpo. " (Mc 1, 40-42).

Como então transformar o bom senso em discernimento cristão onde o impossível é sempre possível. São Paulo diz-me que basta focar-me nas necessidades dos outros e não nas minhas "Fazei como eu, que em tudo procuro agradar a toda a gente, não buscando o próprio interesse, mas o de todos, para que possam salvar-se. Sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo." (1 Cor 10, 33). 

Paulo Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Quaresma 2018

“Jesus viu […] e teve compaixão” (Mc 6, 34)

Na próxima Quarta-Feira (Quarta-Feira de Cinzas) iniciamos num novo tempo do Ano Litúrgico, o tempo da Quaresma, que, na nossa Paróquia, se centrará no tema: “Jesus viu […] e teve compaixão”. (Mc 6, 34)

O lema: “Jesus viu […] e teve compaixão” ensina-nos a perceber o que significa ser discípulo de Jesus (a aprender com Ele, a olhar os outros com amor, a agir, a ajudar os que precisam da nossa ajuda …). Em cada semana (a começar na 4ª Feira de Cinzas e a terminar na 5ª Feira Santa) iremos construindo a palavra “QUARESMA”.

Haverá um compromisso concreto para, semana após semana, pôr em prática.

Quarta-Feira de Cinzas

Quaresma escreve-se com Q de QUERO.

Nós vos oferecemos, Senhor, a nossa vontade de querer ser fiéis ao Vosso amor, de querer viver segundo o Vosso Evangelho.

Pretende-se, ainda, envolver toda a comunidade numa “Ajuda diferente para as crianças de São Vicente”. Iremos ajudar um Jardim de Infância deCabo Verde (São Vicente). Semana a semana, contribuiremos com produtos de higiene, produtos de alimentação e material escolar.

Compromisso da Semana

Todos temos alguma coisa de que nos devemos desprender. A Quaresma é um tempo favorável para olharmos para aquilo que é essencial. Por isso, ao longo deste tempo, cada um de nós vai entregar, no mealheiro, o fruto da sua renúncia. Cada um vai escolher alguma coisa de que se pode privar para ajudar os outros.

18 de Fevereiro – I Domingo da Quaresma – Igreja Paroquial

Diácono Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Quarta-Feira de Cinzas – Início da Quaresma

Na próxima Quarta-Feira, dia 14 de Fevereiro, Quarta-Feira de Cinzas, inicia-se o Tempo da Quaresma.

O horário das Celebrações da Bênção e imposição das Cinzas é o seguinte: Tercena, às 10:00 horas; Queluz de Baixo, às 19:00 horas; Barcarena, às 21:00 Horas.

2.    Via Sacra na Igreja Paroquial – Dia 18 de Fevereiro

No próximo dia 18 de Fevereiro (I Domingo da Quaresma), na Igreja Paroquial, haverá a Celebração da Via-Sacra, com um texto escrito pelo Pe. Carlos Pinto e publicado pela Paulus Editora.

Os horários serão:

16:00 horas – Apresentação do livro. 16:30 horas – Oração da Via-Sacra. 17:30 horas – Sessão de Autógrafos.

Apelamos à presença de todos os Paroquianos.

3.    Via Sacra Vicarial – Dia 25 de Fevereiro

No próximo dia 25 de Fevereiro (II Domingo da Quaresma), às 16:00 horas, na paróquia de Algés / Miraflores, terá lugar a Celebração da Via-Sacra Vicarial, que terá início na Igreja de Algés e terminará na Igreja de Miraflores.

4.    Missas Vespertinas (Sábado) na Igreja Paroquial

Durante o mês de Fevereiro, na Igreja Paroquial, haverá Missa Vespertina (Sábado), às 15:00 horas, nos dias 17 e 24 de Fevereiro.

5.    Uma Ajuda Diferente para as Crianças de S. Vicente

Durante o tempo da Quaresma, um dos desafios que nos é proposto é a nossa ajuda a um jardim-de-infância que abriu recentemente na Paróquia de São Vicente, Cabo Verde.

É-nos pedida a ajuda concreta com Produtos de Higiene, Produtos de Alimentação e Material Escolar, que podem ser entregues nos Ofertórios das Missas Vespertinas e Dominicais.

Quem pretender contribuir monetariamente poderá fazê-lo através da conta com o IBAN PT 50 5200 5200 000136 44001 35.

Gota a gota enche-se o copo e… com o pouco de cada um será possível dar mais vida às Crianças de S. Vicente. 


©2018 Paróquia de São Pedro de Barcarena