Recentes



Nº224 04-02-2018

Anteriores

Nº224 - 04-02-2018

NA BARCA DA FÉ

 

JESUS PERANTE O SOFRIMENTO

Jesus não ensinou aos seus discípulos como se fazem milagres. Nem Ele próprio resolveu todos os problemas “imediatos” dos seres humanos do Seu tempo, mas limitou-Se a realizar alguns gestos significativos através dos quais fez compreender, antes de mais, que Deus não aceita situações que causam às pessoas sofrimento, opressão e marginalização. Ele está do lado de todos os que não se resignam perante a miséria humana. Mas não é tudo. Curando os doentes, Jesus mostra também que, com a Sua vinda, se iniciou o mundo novo de onde será banido todo o traço de sofrimento. O reino do mal, tudo o que impede a dignificação do ser humano, já começou a ser atacado e vencido.

Caso para que nos questionemos, após a liturgia deste Domingo: o que fazemos nós na construção desta comunidade nova? Para mudar este mundo, teremos necessidade de realizar prodígios ou bastará a adesão aos ensinamentos de Jesus? Talvez ajude se procurarmos imaginar o que sucederia se todos os seres humanos aderissem a Cristo: em vez de lutar, de se odiarem e fazerem guerra, uniriam as suas capacidades e esforços e pô-los-iam ao serviço do bem e dos irmãos. Creio que, em pouco tempo surgiria um mundo novo e começariam a desaparecer a fome, a doença e o sofrimento.

Na última parte do Evangelho proclamado neste Domingo (Mc 1, 35-39), encontramos Jesus em oração. Na solidão da montanha e na calma da noite, Ele dirige ao Pai a Sua oração pessoal, através da qual era iluminado sobre o drama da condição humana. Porque, não há dúvida, um mundo sem dramas, sem inquietações, sem doenças, sem morte, não é o mundo actual, mas o mundo futuro. Aqui, nesta terra, nem todos os enigmas se podem resolver, nem todo o mal se pode vencer.

Só a oração nos pode fazer compreender o sentido do sofrimento. A verdadeira oração não é uma fuga aos problemas da vida, não é um ingénuo pedido de milagres, mas é um encontro com Deus; encontro que nos faz ver o ser humano e os seus problemas como Deus os vê.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO V DO TEMPO COMUM – Ano B

LEITURA I – Job 7, 1-4. 6-7; SALMO – Salmo 146 (147), 1-2. 3-4. 5-6; LEITURA II – 1 Coríntios 9, 16-19. 22-23; EVANGELHO – Marcos 1, 29-39.

O mundo atual apresenta duas formas de viver. Uma, depressiva, que leva muitas vezes ao suicídio. Outra, alienada, que leva ao isolamento, sendo apenas a antecâmara para chegar à forma de vida depressiva. A forma de vida depressiva consiste em centrar em tudo o que é negativo, dizer mal de tudo, odiar tudo. Exemplos disto é a propagação das notícias negativas ou os filmes de terror devorados nas salas de cinema e em casa. Quem se deixa enredar por este caminho vê em tudo um copo meio vazio. A forma de vida alienada é aquela que centra a vida num desconcertante otimismo, onde tudo se resolve, onde se vive a “100 à hora”. Onde o copo está sempre meio cheio. Estar em todo o lugar e em lado nenhum. Não se pode parar para não deprimir. Até que, um dia, há um evento que não tem solução. Um evento que faz parar. Uma doença, uma acidente ou talvez apenas a velhice.

Eu conheço um pouco destes dois mundos. O que me propõem as leituras deste Domingo para me ajudar a compreender todos os sentimentos e sensações que me afligem quando ando entre o mundo da alienação e da depressão?

Começamos com a leitura de Job, um homem que vivia a “100 à hora”. Um pragmático temente a Deus. Um dia foi obrigado a parar. Entrou numa grande depressão. Mas nessa depressão encontrou-se profundamente com Deus.

São Paulo, na sua carta aos Coríntios, assume a sua missão como uma obrigação e diz abertamente que se fez fraco. De certa forma é um homem, que tinha tudo, pois era cidadão romano e membro do povo eleito, e vivia alienado na sua perfeição. Contudo, Deus permitiu que ele entrasse numa depressão. Foi aí que São Paulo aceitou fazer-se fraco. Aceitou a missão, não remunerada, de anunciar o evangelho. Mas como ele diz, foi nessa fraqueza que se fez forte.

Finalmente, Jesus, no Evangelho, é-nos apresentado como Profeta com grande poder que salvou muitos do seu Povo. Um homem perfeito. Também ele vivia a “100 à hora”, todos o procuravam: “a cidade inteira ficou reunida diante da porta”. Contudo, Jesus sabia parar sem entrar em depressão. Ele sabia que o mais importante era rezar ao seu Pai: “De manhã, muito cedo, levantou-Se e saiu. Retirou-Se para um sítio ermo e aí começou a orar”. A isto sou convidado. A saber parar e rezar ao pai do Céu. Não me alienar nas coisas práticas do dia-a-dia. Saber que Deus Pai é o princípio e fim de tudo, e só Nele posso encontrar o sentido da minha vida. Sem Ele, ou vivo alienado ou ando deprimido.

Pedro Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - "O amor é uma aventura um caminho, um percurso!"

Fizemos uma escolha: caminhar lado a lado com outra pessoa.

Escolhemos um amor para sempre!

Contudo, durante esta caminhada, tal como no painel de um carro, vão aparecendo alguns sinais. Por vezes, até a melhor engrenagem pode bloquear.

Quais são os sinais luminosos que se acendem para assinalar a avaria de um motor de um casal?

Como reconhecer e modificar os comportamentos que nos impedem de acolher o outro plenamente?

Tal como num carro, o melhor é, atempadamente, fazermos uma revisão!

Convidamos todos os Casais para o II Jantar de Namorados Casados, a realizar no próximo dia 10 de Fevereiro (Sábado), no restaurante “O Muchacho”.

Será, com certeza, um momento privilegiado a dois onde poderemos namorar e fazer a "revisão" do nosso percurso.

A Equipa da Pastoral Familiar



VIDA PAROQUIAL

1.    Missa durante a Semana na Igreja Paroquial

Na próxima Terça-Feira, dia 6 de Fevereiro, às 19:00 horas, retomaremos a Celebração da Missa durante a semana, em Barcarena. Por enquanto será apenas à Terça-Feira.

2.    Dia de Santa Josefina Bakhita – 8 de Fevereiro

Na próxima Quinta-Feira, dia 8 de Fevereiro, celebramos Santa Josefina Bakhita, Irmã Canossiana do Sudão. Às 20:30 horas, na Igreja de Queluz de Baixo, haverá Missa Solene.

3.    Exposição do Santíssimo Sacramento em Tercena

Na próxima Quinta-Feira, dia 8 de Fevereiro, entre as 16:00 e as 17:30 horas, haverá Exposição do Santíssimo em Tercena.

4.    Quarta-Feira de Cinzas – Início da Quaresma

No próximo dia 14 de Fevereiro (Quarta-Feira de Cinzas), inicia-se o Tempo da Quaresma.

O horário das Celebrações da Bênção e imposição das Cinzas é o seguinte: Tercena, às 10:00 horas; Queluz de Baixo, às 19:00 horas; Barcarena, às 21:00 Horas.

5.    Via Sacra na Igreja Paroquial – Dia 18 de Fevereiro

No próximo dia 18 de Fevereiro (I Domingo da Quaresma), às 16:00 horas, na Igreja Paroquial, haverá a Celebração da Via-Sacra, com um texto escrito pelo Pe. Carlos Pinto e publicado pela Paulus Editora.

Num primeiro momento será apresentada a publicação, seguindo-se a Celebração da Via Sacra. Terminada a Celebração, seguir-se-á um tempo para a assinatura das publicações adquiridas.

Apelamos à presença de todos os Paroquianos.

6.    Via Sacra Vicarial – Dia 25 de Fevereiro

No próximo dia 25 de Fevereiro (II Domingo da Quaresma), às 16:00 horas, na paróquia de Algés / Miraflores, terá lugar a Celebração da Via-Sacra Vicarial.

Apelamos à presença de todos Grupos Paroquiais nesta Celebração Vicarial.

7.    Missas Vespertinas (Sábado) na Igreja Paroquial

Durante o mês de Fevereiro, na Igreja Paroquial, haverá Missa Vespertina (Sábado), às 15:00 horas, nos dias 17 e 24 de Fevereiro.


©2018 Paróquia de São Pedro de Barcarena