Recentes

Nº223 28-01-2018

Anteriores

Nº223 - 28-01-2018

NA BARCA DA FÉ

 

O PROFETA ESPERADO

O Evangelho deste Domingo (Mc 1, 21-28) situa-nos no começo do Evangelho de S. Marcos. Jesus tinha pronunciado a Sua frase programática: “Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo ( Mc 1, 15). Já tinha chamado os Seus primeiros quatro discípulos (Mc 1, 16-20) e ei-l’O hoje a fazer o primeiro milagre. Não é uma escolha ao acaso: segundo intenção do evangelista, resume-se nisso tudo o que será a actividade de Jesus.

A reacção do endemoninhado à Palavra de Jesus é violenta: “Que tens a ver connosco, Jesus de Nazaré? Vieste para nos arruinar?” (Mc 1, 24) Sente-se claramente perturbado, incomodado, ameaçado pela presença do Mestre.

Também hoje sucede o mesmo. Quando a reflexão sobre o Evangelho feita nas homilias perturba, provoca, denuncia situações intoleráveis, há sempre quem se irrite e reaja, em silêncio ou doutra forma! “Que têm os padres a ver com estas coisas? Porque é que se intrometem em política, economia ou problemas sociais?”

Quem é que se sente mais incomodado ou ameaçado com o anúncio da mensagem de Cristo? Devo eu preocupar-me mais quando a minha pregação é contestada ou quando deixa toda a gente indiferente? Pergunto-me muito: as comunidades cristãs continuarão de facto a luta de Jesus contra o que torna o ser humano escravo?

O “espírito mau” (Mc 1, 26) não aceita passivamente as ordens de Jesus, mas reage com violência, luta, resiste, começa a gritar, porque quer perpetuar a seu domínio sobre a vítima.

Esta luta representa a “rebelião” das forças más que estão dentro de nós e que não querem ser expulsas. São o símbolo das dificuldades que o ser humano sente quando quer despir-se dos seus maus hábitos.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO IV DO TEMPO COMUM – Ano B

LEITURA I – Deuteronómio 18, 15-20; SALMO – Salmo 94(95), 1-2. 6-7. 8-9; LEITURA II – 1 Coríntios 7, 32-35; EVANGELHO – Marcos 1, 21-28.

Aquilo que mais me impressiona no Evangelho deste Domingo é que os espíritos maus identificam Jesus e ativamente proclamam que Ele é o Santo de Deus (Mc 1, 24). Jesus não lhes pergunta nada. Há qualquer coisa que os leva a interpelar Jesus. Segundo consta, os exorcistas dos hebreus também expulsavam demónios, mas Jesus fá-lo em Seu nome, e ainda hoje é em nome de Cristo que se realizam os exorcismos, ajudando em casos extremos, a que as pessoas se libertem.

De seguida dizem ainda: “vens para arruinar-nos?” (Mc 1, 24). É de facto assim que por vezes me encontro quando percebo que aderir à vontade de Deus significa perder as minhas seguranças.

Para haver espaço para Deus há que aceitá-Lo completamente. Há que retirar o que não é de Deus e preenchê-lo com o seu amor. Trata-se de uma decisão que vem da própria pessoa, mas em que não basta decidir: há que (re)construir a vida segundo o Evangelho. Ou seja, trata-se de não mudar apenas superficialmente.

Abandonar dentro de mim aquilo que me enche deste mundo é uma luta difícil. Procuro constantemente ficar bem na figura e encher-me de mim próprio. No fundo, sou escravo de mim próprio e, por isso, não estou totalmente liberto para realizar a vontade de Deus.

A mudança em mim é algo que eu não consigo realizar sozinho, tal como este homem que se encontrava na sinagoga. Em primeiro lugar nem consigo distinguir o que são os maus espíritos em mim. E depois é necessário sabedoria, força e muito mais para conseguir libertar-me destas amarras. Por isso a Igreja é minha mãe e ajuda-me a realizar esse caminho, trazendo-me o amor de Cristo, procurando curar-me, das mais diversas formas, mas sobretudo através do efeito da Palavra de Deus.

De facto, Jesus liberta-nos das nossas escravidões, dos nossos vícios e de tudo aquilo que nos impede de estar em paz. 

Márcio Botelho Antunes



VIVENDO A FÉ - A Alegria de ser perdoado!

Recentemente, numa das suas homilias da missa matutina celebrada em Santa Marta, o Papa Francisco dizia: “O cristão deve ser sempre testemunha da alegria. Por isso, nunca pode ter cara de velório”.

Comentando uma passagem do Livro de Sofonias, “Rejubila, *…+ solta gritos de alegria *…+! Alegra-te e exulta com todo o coração” (Sf 3, 14), o Santo Padre dizia: “Não é a alegria de uma festa. É uma alegria que vem de dentro e nos convida, como Igreja, a encontrar o júbilo que nos oferece a redenção do Senhor”.

E logo a seguir, Francisco indica três pontos ligados a esta alegria, sugeridos pelo profeta: “O Senhor revogou as sentenças contra ti, e afastou o teu inimigo” (Sf 3, 15), ou seja, diz o Papa: “ O Senhor perdoou-te, não és culpado. Ele esqueceu-se de tudo. Alegra-te Ele perdoou-te”. E, logo a seguir observou: “Se tens a cara de funeral, como podem crer que és remido, que os teus pecados foram perdoados? Este é o primeiro ponto: És um perdoado *…+ Recebe este perdão e vai em frente com alegria”.

Quanto ao segundo ponto, o Papa recorda de novo o Profeta: “O Senhor está no meio de ti. Não temerás mais a desgraça” (Sf 3, 15). E diz: “É preciso que sejamos não só alegres, porque fomos perdoados, mas também jubilosos porque o Senhor caminha ao nosso lado, está no meio de nós”.

Quanto ao terceiro ponto, o Papa realçou que Sofonias nos diz mais uma coisa: “Haverá desventuras na vida, mas tu, por seres um perdoado e porque o Senhor está no meio de ti, não desanimes. O pessimismo da vida não é cristão, nasce de uma raiz que não está consciente de ter sido perdoada, nasce de uma raiz que nunca sentiu as carícias de Deus”.

Esta é a alegria que a Igreja nos transmite! Sejamos cristãos alegres! Mostremos ao Mundo que somos remidos, que o Senhor nos perdoou!

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Reunião do Plenário do Conselho Pastoral

Este Domingo, dia 28 de Janeiro, às 20:30 horas, haverá, no Centro Jovem (Queluz de Baixo), Reunião do Conselho Pastoral.

2.    Reunião com os Coordenadores Paroquiais da Catequese

Na próxima Quinta-Feira, dia 1 de Fevereiro, às 21:00 horas, haverá Reunião com os Coordenadores da Catequese afim de se preparar a Caminhada Quaresmal.

3.    2 de Fevereiro – Dia da Freguesia de Barcarena

Na próxima Sexta-Feira, dia 2 de Fevereiro, celebra-se o Dia da Freguesia de Barcarena. A pedido da Excelentíssima Senhora Presidente da Junta e seu Executivo, às 18:00 horas, haverá, na Capela de Leceia, uma Missa Solene de Acção de Graças e de Sufrágio pelos Autarcas e Funcionários da Junta de Freguesia já falecidos.

A habitual Missa em Queluz de Baixo será cancelada.

4.    Missa durante a Semana na Igreja Paroquial

A partir do próximo dia 6 de Fevereiro (Terça-Feira), às 19:00 horas, retomaremos, a título experimental, a Celebração da Missa durante a semana, em Barcarena.

Por enquanto será apenas à Terça-Feira. Mais tarde decidir-se-á se retomar também à Quinta-Feira.

5.    Peregrinação dos Missionários da Consolata a Fátima

A Peregrinação dos Missionários da Consolata a Fátima vai ter lugar no dia 17 de Fevereiro. Inscrição em Queluz de Baixo e em Tercena.

6.    Via Sacra na Igreja Paroquial – Dia 18 de Fevereiro

O Pe. Carlos Pinto escreveu um texto para a Via Sacra que acabou de ser publicado pela Paulus Editora.

No próximo dia 18 de Fevereiro, Domingo, às 16:00 horas, o Pe. Carlos estará connosco na Igreja Paroquial. Num primeiro momento será apresentada a publicação, seguindo-se a Celebração da Via Sacra utilizando o texto do Pe. Carlos. Terminada a Via Sacra, seguir-se-á um tempo para a assinatura das publicações adquiridas.

Apelamos à presença de todos os Paroquianos. 


©2018 Paróquia de São Pedro de Barcarena