Recentes

Nº219 31-12-2017

Anteriores

Nº219 - 31-12-2017

NA BARCA DA FÉ

 

SAGRADA FAMÍLIA

A Igreja honra hoje a Família de Nazaré, constituída por José, Maria e Jesus. Mas está sobretudo interessada em que meditemos na importância da família.

A família tem evidentemente uma base na Natureza. Ao nascer, o ser humano está mais desprotegido que qualquer criatura animal. Não precisa apenas do leite da mãe e de defesa contra os predadores, precisa de muito carinho, tem de aprender a falar e a viver numa cultura. A família é uma condição necessária. Nós acreditamos que todo o ser humano está chamado a ser filho de Deus. Mas esta vocação não diminui, muito menos destrói, o que acabamos de dizer.

Hoje o grande inimigo da família é o tempo. Os namorados gostam de passar tempo um com o outro, marido e mulher começam a não ter tempo, nem um para o outro, nem para os filhos (muito menos para os pais, sogros e os avós). Os horários são exigentes, o emprego é longe de casa, a televisão consome o pouco que fica. A pouco e pouco, o outro vai sendo um desconhecido e um estranho. Que admiração se aparecerem então novos conhecimentos…

Esta questão torna-se mais aguda pelo facto de que todos nós vamos evoluindo ao longo da vida. Nesta civilização fervente, a evolução faz-se muito mais depressa do que antigamente. Se marido e mulher não falam (e não têm tempo para falar), cada um evolui segundo a sua própria trajectória, que se vai afastando inexoravelmente da trajectória do outro.

Esquecemos que um dos temas grandes do cristianismo é a fidelidade. Na lógica do Evangelho, a fidelidade é um dos dons maiores. Mas a sociedade de consumo ensinou-nos a valorar apenas o que é útil e não dá trabalho. Quando um utensílio não presta, deitamo-lo logo para o lixo e compramos outro. Fazemos assim com a mulher/marido, fazemos o mesmo com Deus.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ – Ano B

LEITURA I – Sir 3, 3-7. 14-17a; SALMO – Sal 127 (128), 1-2. 3. 4-5; LEITURA II – Col 3, 12-21; EVANGELHO – Lc 2, 22-40.

“O Verbo fez-Se carne e habitou entre nós” (Jo 1,14). Esta é a Palavra que me tem acompanhado desde o dia de Natal e que continua neste Domingo da Sagrada Família a ecoar no meu coração.

Por altura do Natal estava ao telefone com uma priminha bebé e, no meio do seu discurso, eu consegui perceber “o bebé, a mamã e o papá”.

Do lado de lá do telefone a minha tia interveio e esclareceu-me: “ela estava a olhar e a descrever o presépio!”. Foi uma surpresa para mim, pois pensava que a minha prima de dois anos estava a falar da sua própria família, mas na realidade estava a descrever a Sagrada Família – Jesus, Maria e José.

É esta a transcendência e a beleza do Amor de Deus para com a humanidade, para comigo. Deus entrega o Seu Filho e fá-Lo habitar numa família, igual à minha (às nossas!), Jesus bebé com a mamã e o papá. “O Menino crescia e tornava-Se robusto, enchendo-Se de sabedoria”, a descrição da infância de Jesus no Evangelho deste Domingo confirma uma vez mais o modelo de família cristã que devo seguir. Uma família que transmite este Amor, através “de sentimentos de misericórdia, de bondade (…) mansidão e paciência” (Col 3,12), honrando seu pai e sua mãe, amparando-os na velhice (1ª Leitura do Livro de Ben Sirá), os esposos amando-se e perdoando-se mutuamente, os pais e filhos sendo humildes na sua relação (2ª leitura de São Paulo ao Colossenses).

Que a cada dia, todo este projecto de família que Deus tem para mim, se possa fazer carne, que “Habite em vós com abundância a palavra de Cristo (…) e com salmos, hinos e cânticos inspirados, cantai de todo o coração a Deus a vossa gratidão” (Col 3,16 ). 

Mónica Morgado



VIVENDO A FÉ - A Família - Um Dom Sagrado de Deus!

Há quase uma semana celebrámos o grande mistério da Encarnação de Jesus, vindo à terra para a salvação de todos os homens.

Jesus foi-nos apresentado com a doçura e a ternura de uma criança, na simplicidade e na pobreza.

O mundo parou e inclinou-se para O adorar!

Este domingo contemplamos a Vida da Sagrada Família de Nazaré, na qual cada família cristã encontra o exemplo para viver no amor, na alegria e na esperança de encontrar Jesus.

Hoje celebramos a Família, recordando a Família de Nazaré, a Família Santa por excelência, porque no meio dela estava Jesus.

A família é um dom sagrado de Deus, mas o nosso tempo parece ter posto de lado o conceito de família.

Desde quando a família deixou de ser uma “pequena igreja doméstica” aprofundou-se aquela crise que todos sentimos.

Os jovens (os nossos filhos) julgam-se auto-suficientes. Julgam ter ganho a liberdade, mas perderam a proximidade, a intimidade, o afecto, a ternura, a solidariedade.

É bom recordar que, se existe um imenso bem para todos nós (pais e filhos), uma verdadeira escola de vida, com um “V” maiúsculo, é o dom da família.

Apesar de todos os absurdos que aparecem escritos na Comunicação Social, a Igreja descreve a família desta forma admirável: “O criador de todas as coisas (Deus) constituiu o matrimónio princípio e fundamento da sociedade humana e fê-lo, por Sua Graça, Sacramento grande em Cristo e na Igreja. Os esposos cristãos são cooperadores da Graça e testemunhas da Fé, um para com o outro, para com os filhos e demais familiares. Eles são os primeiros que anunciam aos filhos a fé e os educam. Formam-nos, pela palavra e pelo exemplo … Ajudam-nos, com prudência, a escolher a sua vocação e fomentam com todo o cuidado a vocação de consagração porventura neles descoberta”. (Apostolicam actuositatem, Nº 11)

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus (Ano Novo) – Horário das Missas

Às 10:30 horas, Missa em Leceia, Tercena e Valejas. Às 12:00 horas, Missa na Igreja Paroquial, Barcarena. Às 18:00 horas, Missa em Queluz de Baixo.

2.      “Vamos Cantar as Janeiras” – Grupo de Jovens

Como tem sido hábito, o Grupo de Jovens vai passar pelas cinco Comunidades da nossa Paróquia a “Cantar as Janeiras”.

Todas as Famílias que quiserem receber o Grupo de Jovens deverão inscrever-se por mail, endereço Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , ou através do telemóvel 964719311. As inscrições também podem ser feitas junto das Zeladoras de cada Comunidade.

Aquando da inscrição, devem ser fornecidos os seguintes dados: Nome, Morada completa, Código Postal e Contacto de Telemóvel/Telefone. As datas em que os Jovens passarão nas diferentes Comunidades são as seguintes:

Tercena – Sexta-Feira, 5 de Janeiro, à noite. Valejas - Sábado, 6 de Janeiro, à tarde.

Queluz de Baixo - Sábado, 6 de Janeiro, à noite. Leceia - Domingo, 7 de Janeiro, à tarde. Barcarena - Domingo, 7 de Janeiro, à noite.

3.    Exposição do Santíssimo Sacramento em Queluz de Baixo

Na próxima Sexta-Feira, dia 5 de Janeiro, entre as 18:00 e as 18:45 horas, haverá Exposição do Santíssimo em Queluz de Baixo.

4.    Início do 2º Período da Catequese

Devido ao período de férias de Natal, haverá interrupção da Catequese, reabrindo no dia 6 de Janeiro de 2018.

5.    Presépio Vivo em Queluz de Baixo

No próximo dia 6 de Janeiro de 2018 (Sábado), às 19:15 horas, em Queluz de Baixo, na Missa Vespertina, as crianças da catequese organizarão um Presépio Vivo.


©2018 Paróquia de São Pedro de Barcarena