Recentes

Nº214 26-11-2017

Anteriores

Nº214 - 26-11-2017

NA BARCA DA FÉ

 

DEUS, JUIZ... PARA SALVAR

“Afastai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno que está preparado para o diabo” (Mt 25, 41). Estas são as palavras mais terríveis que encontramos no Evangelho, e não são únicas na boca de Jesus. S. Mateus lembra outras: “serão lançados nas trevas exteriores, onde haverá choro e ranger de dentes” (Mt 8, 12). “O Filho do Homem enviará os seus anjos, que hão-de tirar do Seu Reino todos os escandalosos e todos quantos praticam a iniquidade, e lançá-los na fornalha ardente; ali haverá choro e ranger de dentes” (Mt 13, 41-42.50).

Frases como estas estão bem marcadas na nossa mente. Inspiraram gerações de artistas, que pintaram cenas de terror, desespero e tormento; sugeriram obras líricas como o “Dies irae”, a mais impressionante descrição do juízo universal; serviram de motivo a compositores musicais, que traduziram em sons a angústia do momento crucial em que Cristo pronuncia a sentença inapelável.

O juízo de Deus foi apresentado, e ainda hoje continua a ser visto assim, como um dramático ajuste de contas. Desta forma, o encontro com o Senhor, longe de ser desejado e esperado, é para toda a gente – até mesmo para os justos – uma grande incógnita. Diante daquele que “até mesmo nos seus anjos encontra defeitos” (Job 4, 18) quem poderá sentir-se seguro? Muitos cristãos já se consideram afortunados se conseguirem resolver a questão com uns anos de purgatório.

É esta a justiça de Deus? Com toda a certeza que não! Creio na Misericórdia!

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO – Ano A

LEITURA I – Ez 34,11-12.15-17; SALMO – 22 (23), 1-2a. 2b-3. 5-6; LEITURA II – 1Cor 15,20-26.28; EVANGELHO – Mt 25,14-30

A Palavra deste Domingo vem-me lembrar que existem dois tempos diferentes: um tempo em que me encontro e um tempo vindouro em que o Senhor julgará: “Todas as nações se reunirão na sua presença, e Ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos” (Mt 25, 32).

O julgamento do Senhor acontece todos os dias, ajudando-me a seguir o caminho correto - “Ele me guia por sendas direitas, por amor do seu nome” (Sl 23(22), 3) - avisando-me quando piso em ramo verde e apoiando-me quando faço o que é mais correto: “assim Eu guardarei as minhas ovelhas, para as tirar de todos os sítios em que se desgarraram num dia de nevoeiro e de trevas” (Sl 23(22), 12). É algo que sinto, é algo que pode ser iluminado pela Palavra de Deus e que se nota pelos resultados das minhas ações.

Dessa forma, muitas vezes sinto que posso não estar a agir da melhor maneira, que talvez possa não estar a ver os acontecimentos da maneira certa. “‘Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes’” (Mt 25, 40). Esta é a frase que mais me marca. Quantas vezes me esqueço dos pequeninos? Quantas vezes me agarro às regras e aos objetivos e deixo de ver com o coração, agindo com coração de pedra?

Por outro lado, há um outro julgamento mais perene, para toda a eternidade: “Estes irão para o suplício eterno, e os justos para a vida eterna” (Mt 25, 46). Sendo algo assustador, é também muito reconfortante, pois significa que haverá paz para os justos.

Esta autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, guia-me ao caminho correto e exorta-me à minha conversão. Façamos todos por estar à direita do Senhor: “Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai; recebei como herança o reino que vos está preparado desde a criação do mundo” (Mt 25, 34).

Márcio Botelho Antunes



VIVENDO A FÉ - Em caminho … Rumo ao Natal!

Celebramos este fim-de-semana o XXXIV Domingo do Tempo Comum e a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, que marca o final de mais um Ano Litúrgico.

O Tempo Litúrgico não é um círculo fechado (que tem um início e um fim), mas um “círculo em espiral” que nos convida a estar sempre em caminho, que nos faz contemplar a beleza do Ser Cristão, sempre mais do alto.

No próximo Domingo, iniciaremos o percurso de mais um “círculo da espiral”, um novo tempo de Advento, um tempo em que somos chamados, como disse o Papa Francisco durante a Oração do Angelus, em 1 de Dezembro de 2013, “a descobrir a beleza de estarmos em caminho … todos em caminho através das veredas do tempo”.

Em caminho para onde? Em caminho para o Reino da Justiça, para o Reino da Paz!

E diz o Papa: “Este caminho nunca está terminado. Tal como na vida de cada um de nós há sempre necessidade de partir de novo, de reencontrar o sentido da própria existência, a grande família humana não pode perder de vista o horizonte comum em direcção ao qual estamos em caminho: O horizonte de esperança!

O tempo do Advento restitui-nos o horizonte da esperança, uma esperança que não desilude, porque é fundada na Palavra de Deus. Uma esperança que não desilude porque o Senhor nunca desilude! Ele é fiel! Ele não desilude! […] O modelo desta atitude espiritual, deste modo de estar e caminhar na vida, é a Virgem Maria, uma menina simples do campo, que traz no coração toda a esperança de Deus! No Seu ventre, a esperança de Deus fez-se carne, fez-se homem, entrou na história: Jesus Cristo.

O Seu Magnificat é o cântico do Povo de Deus em caminho, o cântico de todos os homens e mulheres que esperam em Deus, no poder da Sua misericórdia.

Deixemo-nos guiar por ela, que é mãe, é mãe e sabe como guiar-nos.

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Exposição do Santíssimo Sacramento em Queluz de Baixo

Na próxima Sexta-Feira, dia 1 de Dezembro, entre as 18:00 e as 18:45 horas haverá Exposição do Santíssimo em Queluz de Baixo.

2.    Ordenações – Mosteiro dos Jerónimos

No próximo Domingo, dia 3 de Dezembro, às 15:00 horas, na Igreja de Santa Maria de Belém (Mosteiro dos Jerónimos), haverá Ordenações de Diáconos. Todos somos convidados a rezar por eles.

3.    Caminhada do Advento

No próximo Domingo, dia 3 de Dezembro, tem início o tempo do Advento.

Este ano o tema da Caminhada do Advento da Paróquia tem como tema “Onde está o teu irmão?”.

Ao longo de todo o tempo do Advento, toda a Paróquia é convidada a ir ao encontro de quem mais precisa, através de atitudes e de gestos concretos.

Em cada Comunidade haverá um cesto para recolha de bens e produtos (não perecíveis) para os cabazes que a Paróquia vai distribuir a quem mais precisa.

Em todas as Missas Vespertinas e Dominicais do Tempo do Advento haverá um ofertório solene durante o qual os bens são depositados no cesto.

4.    Rezar no Advento

O Grupo de Jovens está a vender um livrinho com o título “Rezar no Advento”.

É uma publicação das Edições Salesianas e pode ser uma óptima proposta de Oração para o Tempo do Advento.

5.    Solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Maria

No dia 8 de Dezembro, a Igreja celebra a Solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Maria, Padroeira de Portugal.

O horário das Missas é o horário de Domingo:

Queluz de Baixo – 9:00 horas; Leceia, Tercena e Valejas – 10:30 horas; Barcarena (Igreja Paroquial) – 12:00 horas.


©2017 Paróquia de São Pedro de Barcarena