Recentes

Nº211 05-11-2017

Anteriores

Nº211 - 05-11-2017

NA BARCA DA FÉ

 

OS “FARISEUS” E OS “ESCRIBAS”, OS IMPERECÍVEIS

No tempo de Jesus, eram muitas as seitas judaicas: algumas são mencionadas nos Evangelhos: os saduceus, os herodianos, os essénios, os zelotas, etc. Todas desapareceram, excepto a dos fariseus, que sobreviveu à destruição do templo de Jerusalém e à catástrofe do ano 70 d.C. Sem os fariseus, Israel teria deixado de existir.

Quando ouvimos falar deles, lembramo-nos imediatamente da invectiva de Jesus: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas”. Mas será verdade que os membros desta seita eram um receptáculo de males e patifarias? O povo venerava-os pelo conhecimento que possuíam das Sagradas Escrituras e pela sua austeridade ascética; eram considerados mestres legítimos, guias iluminados, e sem o seu apoio não era possível conquistar a simpatia e o consenso do povo.

Sendo fiéis a Deus e respeitadores das leis morais, que observavam com escrúpulo e de forma irrepreensível, deveriam ser o grupo religioso mais próximo de Jesus; mas, pelo contrário, tornaram-se os seus mais ferozes adversários. Porquê?

Alguns deles, muitos talvez, converteram-se logo nos primeiros anos da Igreja (Act 15, 5); mas, ao entrarem na comunidade cristã, levaram consigo a mentalidade legalista, o formalismo religioso, o rigor moral, a convicção de poder obter a salvação com as suas obras, e, sobretudo, a imagem de um Deus severo e rigoroso, um juiz incompatível com o Deus anunciado por Jesus.

Os fariseus não desapareceram, nunca desaparecerão, porque em cada discípulo está presente, escondido, “um fariseu”, e, quando emerge, difunde o seu fermento de morte, um fermento contra o qual é preciso prestar atenção (Mt 16, 6).

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - XXXI DOMINGO DO TEMPO COMUM – Ano A

LEITURA I – Mal 1, 14b – 2, 2b.8-10; SALMO – 130 (131), 1.2.3; LEITURA II – 1 Tes 2, 7b-9.13; EVANGELHO – Mt 23, 1-12

Várias são as passagens das escrituras que falam da humildade. Neste domingo, este é um dos desafios importantes que me é lançado: ser humilde. Que dizem as escrituras sobre a humildade?

“Antes, o maior de entre vós será aquele que vos serve. Aquele que se exaltar será humilhado e aquele que se humilhar será exaltado” (Mt 23,11-12). A humildade é a disposição interior para servir o outro.

“Aquele, portanto, que se tornar pequenino como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus” (Mt 18,4). Ser criança implica nascer de novo, tornar-me indefeso, considerar os outros superiores a mim. São Paulo na 1ª carta aos Tessalonicenses fala nesta atitude:

“Irmãos: fizemo-nos pequenos no meio de vós” (1Tes 2,7b). O humilde, como São Paulo, não se acha merecedor de recompensas por anunciar o Evangelho. Fá-lo “trabalhando de noite e de dia” para não ser pesado a ninguém, recebendo como “pagamento” o acolhimento que é dado à graça de Deus pelos que o escutam.

Só agindo como servo dos outros posso levar-lhes a palavra do Servo de Deus, Jesus Cristo. Não posso falar de Deus querendo com isso dominar o outro. Só o humilde pode falar do Pai aos outros.

Deus “vê o humilde e conhece o soberbo de longe” (Sl 138,6). Profetizava Malaquias: “Vós desviastes-vos do caminho, fizestes tropeçar muitos na lei e destruístes a aliança de Levi, diz o Senhor do Universo” (Mal 2,8). Malaquias falava aos sacerdotes mas esta mesma mensagem é para mim, que tal como Jesus tenho a missão sacerdotal de interceder junto do Pai por todos os homens.

Por tudo isto: não nos deixemos tratar por ‘Mestres’ ou por ‘Doutores’, porque um só é o nosso Mestre e nós somos todos irmãos; um só é o nosso doutor, o Messias. Rezemos como no Salmo 130: “Senhor, não se eleva soberbo o meu coração, nem se levantam altivos os meus olhos. Não ambiciono riquezas, nem coisas superiores a mim. Antes fico sossegado e tranquilo como criança ao colo da mãe.”

José Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Palavra de Deus … “Espelho” de Deus!

Após a Solene Celebração do Domingo da Palavra, diria que a nossa Comunidade Paroquial se pôs a caminho.

Todos os anos fixamos objectivos para tornar possível um caminho de verdade e de santidade. Este ano a meta a atingir é escutar e pôr em prática a Palavra!

O homem é feito para acolher a Palavra, o homem é capaz de acolher a Palavra, o homem produz fruto na medida em que aceita e vive a Palavra!

Queremos que a nossa paróquia se torne a “fonte” à qual todos podem vir para saciar a sua sede com a Palavra de Deus.

A Palavra de Deus tem um significado muito mais rico do que aquele que, normalmente, se atribui a “palavra”.

A Palavra de Deus não é uma forma de comunicar ideias, conceitos, mas é revelação de Deus, da Sua vida, da Sua acção, do Seu amor, da Sua força.

Em Jesus de Nazaré, o Filho de Deus feito homem, a Palavra de Deus assumiu a sua expressão máxima e definitiva.

“Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus aos nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas. Nestes dias, que são os últimos, Deus falou-nos por meio do Filho” (Hb 1, 1-2).

Jesus é a Palavra de Deus por excelência, Aquele que, com a Sua pessoa, com o Seu ensinamento, com a Sua história nos dá a conhecer Deus.

“A Deus jamais alguém O viu. O Filho Unigénito, que é Deus e está no seio do Pai, foi Ele quem o deu a conhecer” (Jo 1, 18).

A Palavra de Deus é o “espelho” de Deus, é uma Palavra sempre nova, que nunca cansa, é Palavra que fascina, é Palavra capaz de nos ajudar a ver a beleza de Deus!

Carlo Maria Martini escreveu: “O verdadeiro protagonista da acção pastoral da paróquia é a Palavra de Deus”.

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Exposição do Santíssimo Sacramento em Tercena

Na próxima Quinta-Feira, dia 9 de Novembro, entre as 16:00 e as 17:30 horas, haverá Exposição do Santíssimo em Tercena.

2.    Oração de Vésperas, em Queluz de Baixo

Todas as 5ª Feiras, às 19:00 horas, na Igreja de Queluz de Baixo, haverá Oração de Vésperas, presidida pelas Irmãs Canossianas.

Todos estão convidados a participar nesta Celebração.

3.    Missa Vespertina em Barcarena (Escuteiros e Crianças da Catequese)

Durante o mês de Novembro haverá Missa Vespertina em Barcarena nos seguintes Sábados, às 15:00 horas: 18 e 25 de Novembro.

4.    Encontro de Formação para Catequistas

No próximo Sábado, dia 11 de Novembro, entre as 9:00 e as 17:00 horas, haverá, no Externato Marista de Lisboa, um encontro de

Catequistas, com o tema: “Introdução à Metodologia dos Catecismos”.

5.    Encontro do Grupo de Pastoral Familiar

No próximo Domingo, dia 12 de Novembro, às 21:00 horas, haverá, na Igreja Paroquial, um encontro do Grupo Paroquial de Pastoral Familiar.

6.    Missão Porta-a-Porta – Caminho Neocatecumenal

Como habitualmente, alguns cristãos do Caminho Neocatecumenal irão, porta-a-porta, anunciar o Amor de Deus. Neste início de ano pastoral este anúncio será feito em Queluz de Baixo e Leceia, normalmente ao Sábado à tarde.

7.    Novo Horário de Funcionamento da Secretaria Paroquial (Cartório)

Como tem sido anunciado, a Secretaria Paroquial (Cartório) tem um novo horário de funcionamento à Sexta-Feira, que passará a ser das 19:00 às 21:00 horas.

8.    Convite dos Acólitos

Se quiseres pertencer ao Grupo de Acólitos da Paróquia de Barcarena, procura um dos Acólitos no final das Missas ou envia um email para: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. . Serás muito bem-vindo!


©2017 Paróquia de São Pedro de Barcarena