Recentes

Nº195 07-05-2017

Anteriores

Nº195 - 07-05-2017

NA BARCA DA FÉ

 

BOM PASTOR

A figura do pastor é cada vez mais rara na paisagem humana contemporânea, mas nem por isso ela se desvaloriza, particularmente no que contém de ternura e, até, de bucolismo.

Homem sem agenda, sem projeto próprio e sem relógio, todo voltado para o bem-estar do seu rebanho, indiferente ao sol ou à chuva, ao frio ou ao calor, numa solidão cheia de contemplação do horizonte e de interessantíssimos diálogos com cada uma das suas ovelhas, apoiado no seu bastão ou sentado numa fraga, e tendo por colaborador o seu fiel e competente cão – eis o modelo que Cristo evoca no Evangelho de hoje, para com ele se identificar e para o propor a todos aqueles que na Igreja, ao longo dos séculos, são chamados a partilhar a sua solicitude pastoral.

No dizer do Papa Francisco, pastor é alguém que está sempre num “êxodo permanente do eu fechado em si mesmo para a sua libertação no dom de si” às ovelhas que lhe estão confiadas.

Por tudo isto, foi designado este domingo como o dia do “Bom Pastor” e escolhido para jornada mundial de oração pelas vocações. E a ela se associa anualmente o Santo Padre através da mensagem por ele dirigida a toda a Igreja.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO IV DA PÁSCOA – Ano A

LEITURA I– Act 2, 14a. 36-41; Salmo - Sal 22 (23); LEITURA II – 1 Pedro 2, 20b-25; EVANGELHO – Jo 10, 1-10

Na primeira leitura, São Pedro, de forma corajosa, exorta os que mataram Jesus Cristo ao arrependimento “No dia de Pentecostes, Pedro, de pé, com os onze Apóstolos, ergueu a voz e falou ao povo: «Saiba com absoluta certeza toda a casa de Israel que Deus fez Senhor e Messias esse Jesus que vós crucificastes». Ouvindo isto, sentiram todos o coração trespassado e perguntaram a Pedro e aos outros Apóstolos: «Que havemos de fazer, irmãos?». Pedro respondeu-lhes: «Convertei-vos e peça cada um de vós o Baptismo em nome de Jesus Cristo, para vos serem perdoados os pecados. Recebereis então o dom do Espírito Santo…».” (Act 2, 14a. 36-38). Uma tentação que tenho é não levantar ondas, em especial dentro da Igreja. Esta palavra incita-me a ser corajoso e a não ter medo de proclamar a minha fé dentro e fora da Igreja. Será que posso começar a dizer tudo o que me vem à cabeça e ao coração? Na 2ª leitura penso descortinar um apelo ao discernimento. Preciso de escolher os momentos oportunos. Não devo utilizar a palavra contra os outros, mas a seu favor. O objetivo não é ter razão, é, sim, que a razão de Deus nos anime a todos. A vida é feita de momentos difíceis que incluem ouvir coisas desagradáveis, testemunhar injustiças e, no limite, até assistir a loucos fazerem-se explodir em nome de Deus. Talvez para poder falar preciso primeiro de aprender a calar “Caríssimos: Se vós, fazendo o bem, suportais o sofrimento com paciência, isto é uma graça aos olhos de Deus. Para isto é que fostes chamados, porque Cristo sofreu também por vós, deixando-vos o exemplo, para que sigais os seus passos. Ele não cometeu pecado algum e na sua boca não se encontrou mentira. Insultado, não pagava com injúrias; maltratado, não respondia com ameaças; mas entregava-Se Àquele que julga com justiça.” (1 Pedro 2, 20b-23). Em especial nos assuntos relativos à Igreja tenho que confiar na autoridade do meu bispo “Jesus continuou: «Em verdade, em verdade vos digo: Eu sou a porta das ovelhas. Aqueles que vieram antes de Mim são ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os escutaram. Eu sou a porta. Quem entrar por Mim será salvo: é como a ovelha que entra e sai do aprisco e encontra pastagem. O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir. Eu vim para que as minhas ovelhas tenham vida e a tenham em abundância».” (Jo 10,8-10).

Paulo Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - “Ser outra Maria!”

Ser outra Maria!

A vida de Maria, modelo no caminho de todo o Cristão! Um itinerário pessoal e colectivo!

Foi no já longínquo ano de 1972 que conheci o Movimento dos Focolares (Obra de Maria).

Recordo uma das grandes descobertas que mudou a minha vida, a realidade de Maria. Percebi que, até então, não A tinha conhecido. Só me dirigia a Ela para Lhe rezar, para Lhe pedir graças. Não existia uma ligação forte entre Ela e eu, entre Ela e a minha vida.

Ao ler alguns escritos da Serva de Deus Chiara Lubich fiquei particularmente impressionado com uma meditação intitulada: “Quero revê-La em ti”. Desde aquele momento a minha relação com Maria mudou profundamente.

Escreve Chiara: “Um dia entrei na igreja e, com o coração cheio de confidência, perguntei a Jesus: Porque quiseste ficar na Terra, em todos os pontos da Terra, na dulcíssima Eucaristia, e, Tu que és Deus, não encontraste um modo de trazer e deixar também Maria, a Mãe de todos nós que peregrinamos?

No silêncio, parecia que Ele me respondesse: Não A trouxe porque quero revê-La em ti.

Embora não sejais imaculados, o Meu amor vos virginizará, e tu, vós, abrireis braços e corações de mães à humanidade, que, como outrora, tem sede de Deus e de Sua Mãe”.

A partir destas palavras, senti-me interpelado: Também eu, na minha vida, sou chamado a ser outra Maria. Ela é o nosso modelo, o nosso “dever ser”, e d’Ela somos o “poder ser”.

Na Sua vida, Ela fez uma experiência única do Amor de Deus e deixou um Testemunho, igualmente único, de Amor para com os Irmãos, traçando para todos os cristãos um verdadeiro caminho de santidade, uma luminosa “estrada de amor”.

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Visita da Imagem de Nossa Senhora de Fátima Barcarena

No âmbito da Celebração do Centenário das Aparições, a Imagem de Nossa Senhora de Fátima estará na Igreja Paroquial, em Barcarena, até ao próximo Sábado, dia 13 de Maio.

Queluz de Baixo

No próximo Sábado, dia 13 de Maio, às 20:30 horas, a Imagem de Nossa Senhora partirá da Igreja Paroquial em direcção a Queluz de Baixo.

Chegará, junto à Casa das Irmãs Canossianas, por volta das 20:45 horas. Dali seguirá, em procissão, para a Igreja onde, pelas 21:00 horas, haverá Missa (Vespertina) em honra de Nossa Senhora de Fátima.

2.    Dia de Santa Madalena de Canossa

Na próxima Segunda-Feira, dia 8 de Maio, a Igreja celebra a Festa Litúrgica de Santa Madalena de Canossa. Às 20:30 horas haverá Missa na Igreja de Queluz de Baixo.

3.    Exposição do Santíssimo em Tercena

Na próxima Quinta-Feira, dia 11 de Maio, entre as 16:00 e as 17:30 horas, haverá Adoração ao Santíssimo Sacramento, em Tercena.

4.    Mês de Maio – Recitação do Terço Tercena

Todos os dias, às 21:00 horas, excepto Sábado que será às 18:15 horas (antes da Missa Vespertina).

Queluz de Baixo

Domingo, 2ª, 3ª e 5ª Feira, às 21:00 horas. Sábado, 4ª e 6ª Feira, às 18:30 horas.

5.    Festa em honra de Nossa Senhora de Fátima/Feira Social

Nos próximos dias 19, 20 e 21 de Maio, em Queluz de Baixo, vai decorrer a Festa em honra de Nossa Senhora de Fátima e a Feira Social.

Dia 19 de Maio – Feira Social

Dia 20 de Maio – Feira Social. Às 20:30 horas, Missa Solene em honra de Nossa Senhora de Fátima, seguida de Procissão de velas.

Dia 21 de Maio – Feira Social. Às 11:00 horas, Procissão da Capela de Queluz de Baixo para o Centro Jovem, seguindo-se a Missa Solene em honra de Nossa Senhora de Fátima.

Na Igreja Paroquial não haverá a habitual Missa das 12:00 horas. Em Tercena, a Missa Dominical será às 9:30 horas.

Dias 19 e 20 de Maio, no Centro Jovem, haverá arraial.


©2017 Paróquia de São Pedro de Barcarena