Nº187 12-03-2017

Anteriores

Nº187 - 12-03-2017

NA BARCA DA FÉ

 

ELEITOS PARA SERVIR

“Vós sois um povo consagrado ao Senhor, vosso Deus, diz Moisés a Israel, que vos escolheu para Si como um povo particular entre todos os povos da terra” (Deut 14, 2). “Foi só a teus pais que o Senhor se apegou com amor. Elegeu a sua descendência, que sois vós, dentre todos os povos” (Deut 10, 15-16).

Também os cristãos são “linhagem escolhida” (1 Ped 2, 9). “Conhecemos bem, amados irmãos, a vossa eleição”, declara S. Paulo aos Tessalonicenses (1Tess 1, 4).

Se o Senhor, como afirma S. Pedro, “não faz acepção de pessoas” (Act 10, 34), que sentido tem falar de eleição?

As escolhas de Deus não seguem os critérios dos homens: não pressupõem méritos, são ditadas pelo amor gratuito. Ele ligou-Se a Israel, não porque fosse o mais numeroso dos povos (antes pelo contrário, era o mais pequeno), mas simplesmente por amor (Deut 7, 5-8). Aos cristãos das suas comunidades, Tiago lembra o comportamento de Deus: “Porventura não escolheu Deus os pobres do mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino?” (Tg 2, 5).

Quando chama alguém, quando escolhe um povo, fá-lo para lhe confiar uma tarefa, uma missão, para que seja portador das Suas bênçãos que são destinados a todos.

Assim, Abraão deve tornar-se “uma bênção para todas as famílias da terra”; Israel, servo do Senhor deve “levar às nações a verdadeira justiça” (Is 42, 1); S. Paulo é “instrumento da Minha escolha, para levar o Meu Nome perante os pagãos, os reis, e os filhos de Israel” (Act 9, 15).

As vocações de Deus não dão direito a privilégios, não oferecem nenhum motivo para que alguém se sinta superior ou melhor do que os outros, são um pedido de disponibilidade para o serviço, para uma mediação de salvação.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - II DOMINGO DA QUARESMA – Ano A

LEITURA I – Gn 12,1-4a; LEITURA II – 2Tm 1,8b-10; EVANGELHO – Mt 17,1-9

Este Domingo Deus convida-me a refletir na minha vocação de cristão.

No Catecismo da Igreja Católica (parágrafo 1122) é dito “... a missão sacramental, está implicada na missão de evangelizar; porque o sacramento é preparado pela Palavra de Deus e pela fé…”. Esta ligação estreita entre sacramentos e evangelização tem-me sido muito útil. São Pedro exortava os cristãos a estarem sempre prontos a responder a propósito do sentido e da razão da sua esperança. Ouvir a palavra de Deus complementada com testemunhos de vida Cristã ou com uma homilia que me ajuda a compreender a palavra proclamada tem-me permitido cada vez mais ver:

  • o casamento e o batismo mais como um compromisso do que como uma festa bonita;
  • a eucaristia mais como uma necessidade do que como uma prática social;
  • a confissão mais como um recomeço do que como um sacrifício;
  • a unção dos doentes mais como um início do que como um fim.

Quando a Igreja me pede para evangelizar sinto-me, um pouco, como Abraão se deve ter sentido quando Deus lhe pediu para abandonar a sua terra (na qual se devia sentir confortável) e fosse para uma zona mais inóspita, ficando sujeito a todo o tipo de problemas. “O SENHOR disse a Abrão: «Deixa a tua terra, a tua família e a casa do teu pai, e vai para a terra que Eu te indicar.” (Gn 12,1-2).

O problema da evangelização é que o cristão tem que dar a cara por Cristo, ficando sujeito a ser apontado. A carta São de Paulo dá-me ânimo “Portanto, não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor, nem de mim, seu prisioneiro, mas compartilha o meu sofrimento pelo Evangelho, apoiado na força de Deus. Ele salvou-nos e chamou-nos, por santo chamamento, não em atenção às nossas obras, mas segundo o seu próprio desígnio e a graça a nós concedida em Cristo Jesus, antes dos séculos eternos, e agora revelada na manifestação do nosso Salvador, Cristo Jesus, que destruiu a morte e irradiou vida e imortalidade, por meio do Evangelho,...” (2Tm 1,8-10). Por fim, o evangelho faz crescer em mim a vontade de, um dia, ver a Cristo face a face tal como ele é “...

Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e seu irmão João, e levou-os, só a eles, a um alto monte. Transfigurou-se diante deles: o seu rosto resplandeceu como o Sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz...” (Mt 17,1-2).

Paulo Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - 2ª Semana da Quaresma 2017 Submergidos na Luz de Deus!

Pensando em Jesus, vamos parar um pouco. Precisamos de parar. Precisamos de olhar para dentro de nós. Precisamos de olhar para Jesus, e acolher a Sua Luz. Precisamos de nos deixar amar por Ele.

Oração em Família (de manhã e à noite)

Rezemos a oração que o Anjo ensinou aos Pastorinhos:

Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-vos.

Peço-vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam, e não vos amam.

Leitura do Evangelho (Mt 17, 1-5)

Naquele tempo, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João … e levou-os … a um alto monte e transfigurou-Se diante deles: O Seu rosto ficou resplandecente como o sol e as Suas vestes tornaram-se brancas como a luz. E apareceram Moisés e Elias a falar com Ele. Pedro disse a Jesus: «Senhor, como é bom estarmos aqui! Se quiseres, farei aqui três tendas: uma para Ti, outra para Moisés e outra para Elias». Ainda ele falava, quando uma nuvem luminosa os cobriu com a sua sombra e da nuvem uma voz dizia: «Este é o Meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência. Escutai-O”.

Ao transfigurar-se, Jesus revela aos discípulos a luz e a beleza de Deus. Em Fátima, os Pastorinhos também se viram envolvidos nesta luz divina. Submergidos nessa luz, encontraram a força para vencer os obstáculos, para não desanimar, para reforçar sempre a entrega de si mesmos a Deus.

Vamos escutar como a Irmã Lúcia recorda o que aconteceu na segunda aparição, a 13 de Junho de 1917:

-   Quero que venhais aqui no dia 13 do mês que vem, que rezeis o Terço ... Depois direi o que quero. (…)

-   … Jesus quer servir-Se de ti para me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao Meu Imaculado Coração. … O Meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus.

-   Foi no momento em que disse estas últimas palavras que abriu as mãos e nos comunicou, pela segunda vez, o reflexo dessa luz imensa. Nela nos víamos como que submergidos em Deus.

Durante esta semana somos convidados a procurar a Luz de Deus na oração, nas pessoas com quem nos cruzamos, nos sinais do Seu Amor que nos envolve em gestos de ternura e misericórdia. 

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Via-Sacra Vicarial

Este Domingo, dia 12 de Março, às 16:00 horas, na Paróquia de Outurela, terá lugar a Via-Sacra Vicarial.

2.    Encerramento do Cartório Paroquial

No âmbito da Obra de Conservação e Restauro que está a ser efectuada na Igreja Paroquial, vai ser aplicado um produto que, por questões de segurança, obriga a que a Igreja, inclusive Cartório e outras Salas, estejam encerradas entre os dias 15 e 18 de Março. Por esse motivo não haverá Serviço de Cartório nos dias 16 e 17 de Março e não haverá Catequese no dia 18 de Março, nem quaisquer outras actividades.

3.    Aniversário da Morte do Pe. Carlos Furtado

No próximo dia 17 de Março ocorre o Aniversário da Morte do Padre Carlos Furtado. Em Tercena, às 9:30 horas haverá Missa pelo Pe. Carlos Furtado.

4.    Festa do Pai-Nosso em Barcarena

No próximo Domingo, dia 19 de Março, durante a Missa das 12:00 horas, as Crianças da Catequese (2º Catecismo) vão celebrar a Festa do Pai-Nosso. Convidamos todos os Pais a participarem nesta Celebração.

5.    Encontro de Crismandos com o Senhor Bispo

No próximo Domingo, dia 19 de Março, na Paróquia de S. Julião da Barra, vai ter lugar um encontro de Crismandos com o Senhor Bispo.

O encontro terá início às 14:30 horas e termina com a Eucaristia, às 18:00 horas.

6.    Solenidade de S. José

Este ano, dado que o dia de 19 de Março ocorre a um Domingo, a Solenidade de S. José é transferida para o dia 20 de Março. Em Tercena, no dia 20, às 10:00 horas, haverá Missa Solene em honra de S. José. Nessa Missa participarão os Centros de Infância e o Centro de Dia do CSPB.

7.    Confissões de Preparação para a Páscoa

Valejas –Domingo, dia 26 de Março, às 9:30 horas. Leceia –Domingo, dia 26 de Março, às 9:30 horas. Barcarena –Quarta-Feira, dia 5 de Abril, às 21:00 horas.

Centro de Dia (Tercena) –Quinta-Feira, dia 6 de Abril, às 10:30 horas. Tercena –Quinta-Feira, dia 6 de Abril, às 21:00 horas.

Queluz de Baixo –Sexta-Feira, dia 7 de Abril, às 21:00 horas.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena