Nº183 12-02-2017

Anteriores

Nº183 - 12-02-2017

NA BARCA DA FÉ

 

OBSERVAM OS MANDAMENTOS, MAS NÃO ENTRAM NO REINO DE DEUS

Os Hebreus chamam Lei aos primeiros cinco livros da Bíblia. É um modo surpreendente de denominar uma colecção que contém, sem dúvida, normas, preceitos e mandamentos, mas que não constitui um código de direito como se poderia entender nos dias de hoje. É um relato apaixonante, uma história de amor de Israel com o seu Deus: começa pela criação do mundo e continua com o chamamento de Abraão, os acontecimentos dos patriarcas, a escravidão no Egipto e o êxodo. Uma Lei verdadeiramente original.

De facto, o termo Lei não traduz exactamente o termo hebraico “Tora”, que deriva da raíz “iaràh” e indica o acto de lançar uma seta para mostrar a direcção. Também nós, nas estradas, nos orientamos seguindo as “setas” dos sinais.

A Tora assinala o caminho que conduz à vida, não ditando uma normativa fria, rígida, impessoal, mas contando o que aconteceu a um povo, Israel, a esposa por vezes fiel, a maior parte das vezes infiel ao seu Senhor. Nas alegrias e desventuras, nos sucessos e fracassos, nas festas e nos lutos deste povo, cada pessoa vê reflectida a sua própria história: os perigos a evitar e as escolhas sábias a fazer.

Mas a Tora, revelada a Moisés no Sinai, não era a palavra definitiva de Deus. No monte das bem-aventuranças, Jesus reconheceu que era válida, mas, considerando-a apenas uma etapa, indicou uma nova meta, um horizonte mais amplo e sem limites: a perfeição do Pai que está nos Céus.

Quem não pratica a “nova justiça”, imensamente superior à dos escribas e fariseus, fica pelo caminho e não entra no Reino de Deus.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO VI DO TEMPO COMUM – Ano A

Sir 15, 16-21; Sal 118 (119); 1 Cor 2, 6-10; Mt 5, 17-37

A sabedoria é o quê? É conhecimento? É um atributo dos inteligentes? Dos mais idosos? Dos mais cultos?

Para o cristão existe apenas uma sabedoria: a que vem de Deus. Esta sabedoria não é atributo dos mais inteligentes, dos mais conhecedores das ciências ou da teologia, dos mais velhos ou dos mais inteligentes. Diz São Paulo que “Nós falamos de sabedoria entre os perfeitos, mas de uma sabedoria que não é deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que vão ser destruídos. Falamos da sabedoria de Deus, misteriosa e oculta, que já antes dos séculos Deus tinha destinado para a nossa glória.” (1Co 2, 6-7) A sabedoria dos simples e dos humildes.

A sabedoria humana leva-me inevitavelmente à soberba, a ver-me melhor que os outros, a julgar tudo e todos, a ter atitudes idênticas àqueles que crucificaram o “Senhor da glória”. A sabedoria de Deus vê-se na cruz de Jesus Cristo; não há outra chave para desvendar o mistério de Deus que não seja a cruz. Ainda na 1ª Carta aos Coríntios São Paulo escreve que “Os judeus pedem sinais e os gregos andam em busca de sabedoria; nós, porém, anunciamos Cristo crucificado, que para os judeus é escândalo, para os gentios é loucura, mas para aqueles que são chamados, tanto judeus como gregos, é Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus.” (1Co 1, 22-24)

É esta a razão pela qual Jesus me diz que irar-me com o irmão ou insultá-lo é o mesmo que matá-lo no meu coração; por isto é tão importante a reconciliação com o irmão. “A paz esteja convosco”, disse Jesus aos discípulos depois de ressuscitar. Não os julgou por terem fugido ou a Pedro por o ter negado. Veio com um sinal de reconciliação. É nestes sinais de paz e reconciliação dos cristãos que o mundo pode encontrar a sabedoria de Deus. O mundo precisa de encontrar-se com esta sabedoria para ter esperança na Vida eterna, que dá sentido a esta vida já que «nem os olhos viram, nem os ouvidos escutaram, nem jamais passou pelo pensamento do homem o que Deus preparou para aqueles que O amam». 

Zé Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Um só é o Amor!

 

Tal como o Papa Francisco disse: “O amor abre-te às surpresas. O amor é sempre uma surpresa porque pressupõe um diálogo a dois, entre quem ama e quem é amado.

E nós dizemos que Deus é o Deus das surpresas porque Ele amou-nos primeiro e espera-nos com uma surpresa”.

É com este mote que a Equipa da Pastoral Familiar da Paróquia de S. Pedro de Barcarena irá realizar, no próximo dia 18 de Fevereiro, o primeiro de jantar de namorados para casados.

Celebremos a nossa união, o Sim que demos para sempre.

Afinal, namorar também é importante para qualquer casal! E deixemo-nos surpreender por Deus!


A Equipa da Pastoral Familiar



VIDA PAROQUIAL

1.    Reunião do Plenário do Conselho Pastoral

Lembramos a todos os Membros do Conselho Pastoral que este Domingo, dia 12 de Fevereiro, às 20:30 horas, no Centro Jovem (Queluz de Baixo), haverá reunião do Plenário.

2.    Centenário das Aparições de Fátima

No âmbito da Celebração do Centenário das Aparições de Fátima, recordamos as seguintes actividades:

Este Domingo, dia 12 de Fevereiro, no Centro Jovem de Queluz de Baixo, às 16:00 horas, projecção de um filme sobre as Aparições de Fátima. Apelamos à participação de todos os Paroquianos.

Segunda-Feira, dia 13 de Fevereiro, às 21:00 horas, na Comunidade de Valejas, Terço orientado pelo Grupo de Jovens.

Apelamos à participação dos Paroquianos desta Comunidade.

3.    Celebração Evocativa do Dia dos Pastorinhos Francisco e Jacinta

A Igreja celebra a Festa dos Pastorinhos de Fátima no próximo dia 20 de Janeiro. Por esse dia ocorrer a uma Segunda-Feira, na nossa Paróquia, celebraremos o dia dos Pastorinhos, com as Crianças da Catequese, nas Missas Vespertinas do dia 18 de Fevereiro e nas Missas Dominicais do dia 19 de Fevereiro.

4.    Jornada Vicarial da Juventude/Encontro Vicarial de Liturgia

No dia 19 de Fevereiro, haverá os seguintes encontros Vicariais: Jornada Vicarial da Juventude, Paço de Arcos, todo o dia. Encontro Vicarial de Liturgia, Porto Salvo, todo o dia.

5.    Peregrinação dos Missionários da Consolata a Fátima

No próximo dia 18 de Fevereiro, vai ter lugar a peregrinação dos Missionários da Consolata a Fátima.

Os Paroquianos que desejarem participar nesta peregrinação poderão fazer a sua inscrição junto dos(as) Zeladores(as) de cada Comunidade. Custos: Viagem – 10 €; Almoço (para quem o desejar) – 8 €. 


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena