Nº176 25-12-2016

Anteriores

Nº176 - 25-12-2016

NA BARCA DA FÉ

 

NATAL, FESTA DA LUZ

As trevas cobriam o abismo aquando “Deus disse: faça-se a luz” (Gen 1, 2-3).

Luz é a primeira palavra que Deus pronuncia na Bíblia, palavra essa que assinala o início da criação (Gén 1, 3). E desde o momento em que “Deus viu que a luz era boa” (Gén 1, 4), o homem nunca deixou de a amar, de a procurar, ao mesmo tempo que tem medo e foge da escuridão. As trevas evocam a morte e dela quer o ser humano fugir.

Quem nasce vem para a luz, quem morre encaminha-se para a terra das trevas (Job 10, 21). “Deus – afirma Job – descobre os segredos das trevas e traz à luz o que é mais recôndito” (Job 12, 22). Na concepção bíblica as trevas são apenas um estado provisório da luz, estão destinadas a tornar-se luz.

Deus é Luz e impregna de luz cada uma das Suas criaturas: o orvalho torna-se, na imagem poética de Isaías, o orvalho de luz (Is 26, 19); também as nuvens, mesmo se são escuras e ameaçadoras, estão carregadas de luz que resplandece, de improviso, quando se acende o relâmpago (Job 37, 15).

No Natal, Deus manifesta a imensidão de Seu amor incondicional. Esta é a Sua Luz! Todos os povos são convidados a contemplá-la com admiração e a deixar-se libertar do medo porque “no amor não há temor; pelo contrário, o perfeito amor lança fora o temor; de facto, o temor pressupõe castigo, e quem teme não é perfeito no amor” (Jo 4, 18).

Santo Natal!

O vosso Pároco

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - NATAL DO SENHOR – Ano A

Is 9, 1-6; Salmo 95 (96); Tito 2, 11-14; Lc 2, 1-14 (Missa da Noite)
Is 52, 7-10; Salmo 97 (98); Hebr 1, 1-6; Jo 1, 1-18 (Missa do Dia)
 

“O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam nas sombras da morte uma luz começou a brilhar.” (Is 9,1)

Começa deste modo a primeira leitura da Missa da Noite. Apropriadamente, numa vigília noturna, se invoca a luz porque é de noite que a luz faz a diferença. De dia não sinto falta da luz. Conhecendo as sombras da morte em que a minha natureza habita permanentemente (o meu pecado) posso valorizar esta luz. Por isso é importante esta profecia de Isaías para todo o povo: “uma luz começou a brilhar”.

“O Verbo era a luz verdadeira, que, vindo ao mundo, ilumina todo o homem.” (Jo 1,9) Aqui João liga diretamente a luz e o Verbo (a Palavra) escrevendo logo de seguida que “o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós.” (Jo 1,14) A Palavra de Deus é o Senhor Jesus que habita a minha natureza iluminando-a. É por isto que quando caio no pecado devo procurar a Palavra para iluminar a minha realidade, procurando a força para o confessar e sair dele. Mas a Palavra é também a luz do caminho para o Pai. É ela que me ajuda a discernir a vontade de Deus em todas as situações: “De novo Jesus lhes falava:

«Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas mas terá a luz da vida»”. (Jo 8,12)

No meio dos medos e angústias a que me levam as trevas, é muito importante para mim saber o que é a verdade e por onde é o caminho para chegar à vida. O menino Jesus, em todo o contexto do seu Natal, vem mostrar-me tudo isto. Na pobreza, na fraqueza, na simplicidade, na humildade, no louvor, vem de Deus apontar-me o caminho para Deus: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados”. 

Zé Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Natal: Uma mensagem de Amor e de Esperança!

O Natal quase perdeu o seu significado mais profundo. Celebram-no também homens e mulheres de outras religiões. Não-crentes vivem neste dia uma certa forma de liturgia profana. As ruas enchem-se de luzes, as lojas enchem-se de pessoas, numa procura “desenfreada” daquela prenda para oferecer na noite de consoada. O Natal é, cada vez mais, vivido como uma festa do consumismo e o seu autêntico significado é, muitas vezes, esquecido.

Entre as muitas decorações natalícias, não encontramos Jesus, o festejado, o verdadeiro dom, o protagonista da festa.

O nosso mundo “alterou” o significado do Natal, “desalojou” Jesus!

Não há ninguém que perca um presente de Natal ou, pelo menos, um bom jantar, mas não se pensa em Jesus. “Não havia lugar para ele na hospedaria” (cfr Lc 2, 7), nem mesmo no Natal.

Que nas nossas casas, pelo menos no Natal, se “grite” Quem nasceu!

Este ano, o Natal chega de novo a uma terra “ferida”. A paz mundial continua ameaçada por um fundamentalismo que usa a religião para interesses políticos e económicos. Quanto sofrimento por causa do desemprego! Quantos jovens não conseguem trabalho! Quantas crianças continuam a morrer! Quantas pessoas inocentes, nas barcas do desespero, dobram os mares para fugir à guerra! E o Natal diz-nos: Se há mais dor é necessário mais Amor! E um último pensamento: Natal é a Festa da Família.

Mas onde nasceu a família mais extraordinária senão na Gruta de Belém? Família! Eis uma palavra com um significado imenso, rico, profundo, sublime e simples.

Atmosfera de família é atmosfera de compreensão, de tranquilidade, de segurança, de unidade, de amor recíproco, de paz!

Desejo a todos que neste Natal fique bem gravada nos nossos corações esta palavra: Família.

Feliz Natal!

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Ano Novo – Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus: Horário das Missas

Dia 31 de Dezembro–Não haverá Missa Vespertina em Tercena e emQueluz de Baixo.

Dia 1 de Janeiro Tercena, 10:30 horas. Leceia, 11:00 horas. Barcarena,12:00 horas. Queluz de Baixo, 18:00 horas.

Valejas, não haverá Missa.

2.    “Vamos cantar as Janeiras”

Mantendo viva a tradição, o Grupo de Jovens e o 10º ano da Catequese irá passar por todas as Comunidades da Paróquia para cantar as Janeiras: Dia 6 de Janeiro (noite) Tercena; Dia 7 de Janeiro (tarde) Valejas; Dia 7 de Janeiro (noite) Queluz de Baixo; dia 8 de Janeiro (tarde) Barcarena eLeceia.

As inscrições poderão ser feitas, no final das Missas, junto de um dos Jovens, ou junto das Zeladoras.

Em alternativa, as inscrições poderão ser enviadas para o seguinte email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Apelamos, por um lado, à participação dos Jovens e do 10º ano da Catequese e, por outro lado, à inscrição dos Paroquianos.

3.    Universidade Sénior – Centro Social e Paroquial

Estão abertas as inscrições para a frequência da Universidade Sénior, cujo início de aulas está marcado para o dia 2 de Fevereiro, no Centro Jovem, em Queluz de Baixo.

As Disciplinas que vão funcionar são: Informática; Artes Decorativas; Pintura a Óleo; Pintura Decorativa; Inglês.

As inscrições podem ser efectuadas nos seguintes locais: Centro Jovem de Queluz de Baixo;

Centro de Infância de Tercena (Serviços Administrativos).


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena