Nº172 27-11-2016

Anteriores

Nº172 - 20-11-2016

NA BARCA DA FÉ

 

UM JUÍZO QUE SALVA

“Teme o juízo de Deus!”

Creio que esta ameaça paira ainda em muitas das mentalidades e, infelizmente, já a tenho ouvido em homilias. A afirmação pretende ser dissuasora do mal, mas, pelo que observo, vai sendo cada vez menos eficaz.

A imagem de Deus juíz está presente no Evangelho, sobretudo no Evangelho de S. Mateus, onde nos aparece quase página a página. Qual será o seu sentido?

O ajuste de contas final está demasiado distante e é demasiado aleatório para ter um impacte nas escolhas de hoje e, acima de tudo, esta sentença sem apelo, de tipo forense, pronunciada por Deus no final da vida já não servirá a ninguém: chegados ali, será impossível a quem quer seja recuperar o tempo perdido ou mal usado.

A cada um de nós interessa um outro juízo de Deus: aquele que Ele pronuncia no presente.

Perante as escolhas que somos chamados a fazer, ouvimos muitos “juízos”: o dos amigos, da publicidade, da moda, da vaidade, do ciúme, do orgulho, da moral corrente... e também – muitas vezes flébil, abafado, coberto de outras “sentenças” – o juízo de Deus, o único que indica o caminho da vida, o único que no final se irá revelar válido.

Vigiar significa saber discernir, estar em condições de ouvir este juízo que chega pontual, mesmo se nas formas e momentos mais inesperados.

O vosso Pároco

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - I Domingo do Advento – Ano A

Is 2, 1-5; Salmo 121 (122); Rom 13, 11-14; Mt 24, 37-44

As leituras deste Domingo convidam-me ao desprendimento.

Vivo no mundo, tenho uma vida normal como toda a gente, com as mesmas preocupações e os mesmos anseios.

No entanto, como baptizada, sou chamada a viver como estando aqui de passagem, a “usar deste mundo, como se não o usufruísse plenamente” (1Co 7, 31), ao invés de estar agarrada às minhas coisas, às coisas que me atam ao mundo e me impedem de seguir “os caminhos” e de andar “nas veredas” de Deus.

Neste início de Advento, a palavra interpela-me a alegrar-me com a notícia de que «vamos para a casa do Senhor». Por isso, se vou em viagem, e para um lugar bom, não posso levar muitas coisas na bagagem. O que é acessório torna-se peso que dificulta a caminhada.

No meu dia-a-dia tenho muita “tralha” a pesar-me na mala, pequenos “nadas” que somados pesam (em horas, em preocupações ou aborrecimentos evitáveis) e que me entorpecem (distraem-me do essencial, alheiam-me temporariamente dos problemas).

Israel também foi convidado a estar de “rins cingidos” à espera da vinda do Senhor. E as leituras deste Domingo dizem-me que Ele virá num tempo não esperado.

Assim, devo deixar para trás o meu pecado, ser mais fiel e perseverante na oração, partilhar o que Deus me concede administrar.

Uma das coisas que preciso de administrar melhor é o meu tempo. Se, com o pretexto de estar bem informada, me demoro demasiado nas notícias, roubo tempo à oração. Se a oração é demasiado curta ou superficial, menos espaço haverá para o Espírito Santo me ajudar a fazer as escolhas do meu dia e para evitar que tropece tantas vezes.

Outro dos pesos a largar é a avareza. Neste campo, convida-me a partilhar com generosidade os bens que Ele me concedeu pela Sua graça administrar (porque nada tenho que não Lhe pertença). Convida-me a não regatear a caridade, a pôr amor no dar e não me limitar a cumprir uma obrigação.

Diz São Paulo na 2.ª leitura, “chegou a hora de nos levantarmos do sono, porque a salvação está agora mais perto de nós do que quando abraçámos a fé. A noite vai adiantada e o dia está próximo. Abandonemos as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz.”São elas que devo levar comigoenquanto espero, caminhando, a chegada do Senhor Jesus Cristo. 

Filipa Aguiar Ferreira



VIVENDO A FÉ - Ir ao encontro de todos anunciando!

Celebramos hoje o I Domingo do Advento que marca o início de um novo Ano Litúrgico.

Para a vivência do tempo do Advento, propomos a toda a Comunidade Paroquial uma “caminhada” que tem como “tema”: Natal: Tempo de Acolhimento. Trata-se de uma“caminhada”que tem por objetivopreparar e converter o coração para acolher Jesus, o Salvador.

Como podemos acolhê-Lo? Se tivermos em atenção as palavras de Jesus, facilmente concluiremos que nos gestos de acolhimento que dispensamos aos outros se concretiza o acolhimento a Jesus. “O que fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes” (Cf. Mt 26, 31-46).

Esta proposta de “caminhada” remete para a recolha de bens relacionados com as necessidades de grupos com carências. Uma outra vertente que é explorada é a Palavra de Deus proclamada na Liturgia de cada um dos quatro domingos do Advento, plena de apelos a assumir por todos.

Desenvolvimento da “caminhada” para a 1ª Semana Recolha de Roupas de Cama. Palavra-chave– Atenção

Palavra Bíblica

(Is 2, 1-5) – “Vinde subamos ao Monte do Senhor”

(Rom 13, 11-14) – “Revesti-vos do Senhor Jesus Cristo”

(Mt 24, 37-44) – “Estai preparados (…) Vigiai, porque não sabeis em que dia virá o Senhor”

Breve comentário

O Senhor vem até nós. Não sabemos como nem quando. O encontro com Ele enche-nos de alegria e convida-nos à paz. Devemos ter atenção e vigiar.

Oração

Senhor Jesus, queremos acolher-Vos no presépio do nosso coração e viver com alegria e entusiamo a pobreza e a humildade da Vossa doação. Derramai sobre nós o Vosso Espírito. Que seja Ele a manter-nos vigilantes e atentos ao Vosso projeto de salvação; que seja Ele a derramar nos nossos corações a paz que vem do Vosso Amor para, com audácia, vencermos os obstáculos que se vão opondo à construção de um mundo mais justo e mais fraterno.

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Celebração de Abertura do Sínodo Diocesano

A Celebração de Abertura do Sínodo Diocesano está marcada para este domingo, dia 27 de novembro, às 16:00 horas, na Sé Patriarcal. Todos somos convidados a participar nesta Celebração.

A Assembleia Sinodal vai reunir entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro. Todos somos convidados a acompanhar os trabalhos através da nossa oração.

2.    Celebração da Eucaristia em Leceia

No próximo domingo, dia 4 de dezembro, a Capela de Leceia voltará a estar aberta ao culto. Nesse dia, a Eucaristia, às 11:00 horas, será presidida pelo Pároco que será acompanhado pelo Diácono.

A partir do dia 8 de dezembro, a Celebração da Eucaristia continuará a ser assegurada pelo Senhor Padre Celestino.

Deixará de haver Missa ao sábado.

3.    Rezar no Advento

À semelhança dos anos anteriores, o Grupo de Jovens está a vender o livro “Rezar do Advento”. Trata-se de um bom “subsídio” para ajudar a nossa oração no tempo do Advento. O custo do livro é de 1,50 €.

4.    “Caminhada” do Advento

Como já foi explicado, a “caminhada” do Advento remete para a recolha de bens relacionados com as necessidades de grupos com carências. Durante esta I Semana do Advento serão recolhidas roupas de Cama, para entregar na CerciOeiras.

Na catequese desta primeira semana, os catequistas vão distribuir às crianças uma caderneta de 10 bilhetes a 0,50 “tijolos” (ou uma caderneta de 5 bilhetes a 1 “tijolo”) de modo a que cada criança possa entregar no final da “caminhada” (4ª Semana) 5,00 €. O dinheiro recolhido destina-se às Obras doCentro de Dia.

Paralelamente a estas duas acções, em todas as Comunidades, haverá um cesto onde podem ser depositados produtos alimentares não perecíveis que se destinam aos Cabazes de Natal que serão oferecidos a Famílias com dificuldades económicas.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena