Nº170 13-11-2016

Anteriores

Nº170 - 13-11-2016

NA BARCA DA FÉ

 

DA VOSSA CABEÇA NEM UM SÓ CABELO SE PERDERÁ

Jesus, no final do Evangelho deste Domingo (Lc 21, 5-19), recorda uma expressão muito usada no seu tempo: “Da vossa cabeça nem um só cabelo se perderá”. Com isso não promete preservar os seus discípulos de qualquer tipo de desgraças e perigos.

Os cristãos perseguidos não devem esperar libertações milagrosas: perderão os bens, o trabalho, a reputação e talvez também a própria vida por causa do Evangelho. Jesus, porém, garante-lhes que, não obstante as indicações em contrário, o Reino de Deus continuará a avançar. Os que se sacrificarem por Cristo talvez não colham os frutos do bem que tiverem semeado, mas devem cultivar a alegre certeza de que os frutos serão abundantes. Talvez neste mundo não seja reconhecido o valor do seu sacrifício; talvez sejam esquecidos ou até amaldiçoados, mas Deus, e é o Seu juízo que conta, dar-lhes-á a recompensa quando se der a ressurreição dos justos.

A segunda Leitura da Missa de hoje (2Tess 3, 7-19) põe de sobreaviso contra um perigo em que caíram os cristãos da comunidade de Tessalónica, perigo que continua a ser actual também para nós hoje. Trata-se da sedução representada por aqueles que prometem soluções fáceis, imediatas e milagrosas para os problemas. O “mundo novo” deve ser construído pouco a pouco, com muita paciência, muita tolerância e muitos sacrifícios... e deve começar dentro de cada um de nós. E há por aí tantas “religiões” a prometeram uma salvação fácil... e há-as para todos os gostos!

Oxalá os cristãos da nossa Paróquia alimentem a certeza de que, não obstante todo o tipo de oposição, o mundo novo, o Reino de Deus, um dia certamente aparecerá. As dificuldades sempre surgirão aos discípulos de Cristo e, quando surgem há que “erguer-se e levantar a cabeça”. O desânimo nunca poderá ser o caminho!

O vosso Pároco

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO XXXIII DO TEMPO COMUM – ANO C

L1 Mal 3, 19-20ª; L2 2 Tes 3, 7-12; Ev Lc 21, 5-19

Ando numa fase de intensa contestação. Sinto que sou oprimido por uma sociedade crescentemente marxista. O facto de ser católico, viver a minha fé numa pequena comunidade, ser casado com uma mulher, ser pai de três filhos e trabalhar numa pequena empresa privada que precisa de ter lucro, parece fazer de mim um cidadão altamente subversivo. A carta de São Paulo parece suportar a minha indignação relativamente a uma sociedade que não valoriza o trabalho mas sim a poesia egoísta dos direitos adquiridos.

…quem não quer trabalhar, também não deve comer. Ouvimos dizer que alguns de vós vivem na ociosidade, sem fazerem trabalho algum, mas ocupados em futilidades. A esses ordenamos e recomendamos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que trabalhem tranquilamente, para ganharem o pão que comem.”(Tes 3, 10-12).

Quase que parece que neste Domingo Deus apoia as minhas reivindicações. Errado! Deus não quer saber da minha revolução de sofá. Sou mais um de uma longa lista que pensa ter a solução “«Tende cuidado; não vos deixeis enganar, pois muitos virão em meu nome e dirão: ‘Sou eu’; e ainda: ‘O tempo está próximo’. Não os sigais.” (Lc 21,8).

Cristo está vivo no meio de nós a operar a verdadeira revolução, aquela que muda verdadeiramente a sociedade porque opera ao nível do coração. A Igreja chama atualmente a esta revolução a Nova Evangelização (já teve muitos nomes). Homens e mulheres inspirados pelo Espírito Santo, pelo mundo todo, frente a quem não quer ouvir, expressam a razão da sua fé através da sua palavra e das suas ações. Este testemunho é um sinal tão forte da presença de Deus que faz com que as forças demoníacas reajam de forma violenta “…deitar-vos-ão as mãos e hão-de perseguir-vos, entregando-vos às sinagogas e às prisões, conduzindo-vos à presença de reis e governadores, por causa do meu nome. Assim tereis ocasião de dar testemunho. Tende presente em vossos corações que não deveis preparar a vossa defesa. Eu vos darei língua e sabedoria a que nenhum dos vossos adversários poderá resistir ou contradizer. Sereis entregues até pelos vossos pais, irmãos, parentes e amigos. Causarão a morte a alguns de vós e todos vos odiarão por causa do meu nome; mas nenhum cabelo da vossa cabeça se perderá. Pela vossa perseverança salvareis as vossas almas».” (Lc 21, 12-19). No Evangelho deste Domingo Jesus convida-me a desligar o noticiário, pôr-me a caminho e juntar-me à verdadeira revolução.

Paulo Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Jornada Mundial da Juventude

Um testemunho …

Que posso dizer sobre a Jornada Mundial da Juventude 2016, na Polónia? Sem dúvida, uma das melhores experiências de toda a minha vida! Um povo que me integrou, famílias que me acolheram, uma nação que me surpreendeu, uma cultura que me fascinou, uma fé que me emocionou … O primeiro impacto foi em Varsóvia, na Pré-Jornada, onde realmente percebi o significado da expressão “Bem-vinda”!

Logo de início, cansados de uma longa viagem, fomos recebidos de uma forma tão agradável e entusiasmante que eliminou qualquer cansaço existente. Felicidade pura, foi o que senti! Abraçaram-nos com toda a força, apoiaram-nos com todo o carinho, e receberam-nos com toda a vontade. Durante meses a Comunidade que nos recebeu preparou-se para este acolhimento … Pequenos gestos, grandes gestos, simpatia, dedicação, esforço, humildade e simplicidade, foi apenas um pouco do que os habitantes de Ursus nos deram. E o que mais? Atitudes com tanto significado que não podem ser transcritas para uma folha de papel. Acolhimento foi a palavra que definiu a experiência vivida em Ursus, Varsóvia.

Nunca me senti tão orgulhosa por ter tomado a decisão de participar nesta experiência. Foi, sem dúvida a melhor decisão! E porque digo isto? Porque foi uma experiência que me mudou enquanto crente.

E em Cracóvia, na Jornada Mundial da Juventude? Mais uma vez, fomos recebidos como reis e rainhas.

Em Cracóvia foi onde a multidão se juntou, onde muito se cantou, onde Francisco discursou e onde a fé jovem se manifestou.

Senti-me integrada, participativa, útil, feliz! Dormi pouco, cantei muito, dancei bastante, brinquei sempre, andei e corri ainda mais, rezei em todos os momentos, acreditei imenso, escutei tudo, agradeci como devia, chorei como não sabia, e sorri durante todo o tempo. O cansaço sentiu-se muito, mas a fé sentiu-se ainda mais. Aguentei mais do que imaginava, mas sei que compensou, pois estou mais próxima dos meus irmãos mundiais e de quem mais importa: Deus!

Em resumo: Obrigado! Dziękuję! 

Neuza Varela



VIDA PAROQUIAL

1.    Encerramento do Ano da Misericórdia

Este domingo, dia 13 de novembro, na Vigararia de Oeiras (Igreja Matriz de Oeiras), às 16:00 horas, haverá uma Missa de Ação de Graças, presidida pelo Cónego Mário Pais, a assinalar o encerramento do Ano da Misericórdia. Convidamos todos os Paroquianos de Barcarena a participarem nesta celebração.

2.    Aniversário do Centro de Dia (Centro Social e Paroquial)

Segunda-feira, dia 14 de novembro, ocorre mais um aniversário do Centro de Dia. Haverá uma Missa de Ação de Graças, às 10:00 horas, no Centro de Convívio de Leceia.

3.    Próximas Atividades do Grupo de Acólitos

No próximo domingo, dia 20 de novembro, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, na Missa Dominical (Igreja Paroquial, 12:00 horas), os Acólitos irão fazer o seu Compromisso. Às 15:30 horas, na Igreja Paroquial, haverá um encontro de Acólitos/Pais/Familiares com o Padre Luís Leal, Diretor do Serviço Nacional de Acólitos. Apelamos à participação de todos.

4.    Musical Partimos-Vamos-Somos 300 Anos do Patriarcado de Lisboa

Nos próximos 18 de novembro, às 21:30 horas, 19 de novembro, às 18:15 e às 21:30 horas e 20 de novembro, às 16:30 e às 21:30 horas, vai ter lugar, no Teatro Tivoli, em Lisboa, o Musical Partimos-Vamos-Somos

Todos são convidados a participar. Os bilhetes podem, por exemplo, seradquiridos na FNAC e na Worten. 

5.    Festa da Luz / Festa da Palavra – Queluz de Baixo e Barcarena

As Festas da Luz e da Palavra nas Comunidades de Queluz de Baixo e Barcarena estão agendadas para:

Queluz de Baixo, dia 26 de novembro, Missa Vespertina, às 19:15 horas. Barcarena, dia 27 de novembro, Missa Dominical, às 12:00 horas.

6.    Encontro de Formação – Centro Jovem (Queluz de Baixo)

No dia 26 de novembro (Sábado), entre as 14:30 e as 18:00 horas, vai ter lugar, no Centro Jovem, Queluz de Baixo, um encontro de formação cujo tema é: “No Centenário das Aparições”

A inscrição é gratuita, mas obrigatória. Pode ser feita, até ao dia 21 de novembro, por correio electrónico,   Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ,ou no Cartório Paroquial, durante o horário normal de funcionamento.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena