Nº144 20-03-2016

Anteriores

Nº144 - 20-03-2016

NA BARCA DA FÉ

 

NINGUÉM JAMAIS AMOU COMO ELE...

No relato da Paixão, à semelhança de S. Marcos e S. Mateus, também S. Lucas diz que, depois de ter renegado o Mestre em casa do sumo sacerdote, Pedro foi para fora e começou a chorar. Mas apenas S. Lucas nota que “o Senhor, voltando-Se, fixou os olhos em Pedro” (Lc 22, 61-62).

Este gesto de Jesus é comovente! Indica a Sua compreensão para com a fraqueza do Seu discípulo. Nós, normalmente, tomamos em conta o que aparece exteriormente, o gesto cobarde, as aviltantes palavras de Pedro. Jesus “olha o íntimo”, vê dentro do seu coração e descobre alguém que age com pusilanimidade, mas que, no fundo, conserva um coração fiel e cheio de amor.

Sublinhando este olhar, S. Lucas (o grande evangelista da Misericórdia!) indica aos cristãos como deve ser encarada a fragilidade própria dos irmãos: deve ser vista com um olhar que permite confiança e desenvolve esperança, um olhar que sabe ir mais além da superfície e descobre, inclusive no maior pecador, uma centelha de amor e o ajuda a recomeçar.

S. Lucas é o exemplo do “pastor das almas” que, embora sem justificar o pecado, o sabe compreender, atribuindo-o à ignorância e à miséria humana que todos partilhamos. Não sublinha o erro cometido, não deita à cara, porque sabe que quem é humilhado e envergonhado, quem não se sente acolhido e estimado, apesar das suas fraquezas, acaba por se fechar perigosamente em si mesmo, acobarda-se e fecha-se a toda a possibilidade de recuperação.

“Onde a Igreja estiver presente, aí deve ser evidente a misericórdia do Pai. Nas nossas paróquias, nas comunidades, nas associações e nos movimentos - em suma, onde houver cristãos -, qualquer pessoa deve poder encontrar um oásis de misericórdia”. Papa Francisco

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO DE RAMOS NA PAIXÃO DO SENHOR - ANO C

Is 50,4-7; Salmo 21 (22); Filip 2,6-11; Lc 22,14-23,56

O Profeta Isaías profetizou a chegada de um messias que traria “uma palavra de alento aos que andam abatidos”. Deus sempre olha para os abatidos, quer chegar a eles e mostra-lhes esperança. Neste Domingo de Ramos chegou essa esperança. No meio de um turbilhão de acontecimentos Jesus começa por dizer: “Eu preparo para vós um reino”. Esta é uma palavra de esperança para mim e para todos no mundo. Um mundo que continua a negar uma vida digna à maior parte dos seus habitantes. Um mundo que despreza a vida através de abortos e eutanásias. Mas Jesus preparou para mim um reino.

Quando os discípulos ouviram esta palavra perceberam que finalmente Jesus ia impor a todos um reino e disseram logo: «Senhor, estão aqui duas espadas». Jesus disse-lhes “basta!” Afinal os discípulos ainda não tinham percebido nada.

Eu ainda não percebi nada… Também eu quero impor o Reino de Deus aos outros. Quero impor a todos as leis justas que coloquem o mundo no caminho certo. Mas Jesus diz “Levantai-vos e orai, para não entrardes em tentação”. Afinal não tenho de fazer guerra com os outros. Deus não precisa de mim para implementar o seu reino mas convida-me sim a entrar nele. Para isso tenho de fazer uma guerra dentro de mim contra o orgulho, a inveja e a avareza. Aos outros apenas posso amá-los e ajudá-los na sua guerra interior. Nunca posso ir contra o meu próximo.

Jesus convida-me a rezar muito para não entrar em tentação. O quê? Não entrar em tentação? Mas até São Pedro entrou em tentação escandalosa e cobarde. Quando lhe perguntaram se conhecia o seu melhor amigo (Jesus) ele respondeu “Não O conheço”. Como é que eu não hei de entrar em tentação?

São Pedro não se deixou entrar na tentação mais grave: afastar-se de Deus. Não se escandalizou com o seu pecado e aceitou o perdão. Aceitou ser visto por todos como o cobarde que negou conhecer Jesus no momento mais difícil.

Penso que São Pedro nunca mais adormeceu a rezar, como naquele dia no Jardim das Oliveiras. É também a isso que sou convidado. A estar acordado na oração para que no dia da tribulação não entre na tentação. A orar o suficiente para ser um bom cristão e um bom Pai. Para isso tenho de andar mais acordado do que até agora, pois ”Todas as manhãs Ele desperta os meus ouvidos, para eu escutar”. 

Pedro Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Não PEQ’s +

Caminha na misericórdia

Entramos na última semana de preparação para a Páscoa.

Continuamos a nossa “Caminhada” Quaresmal. O tema para esta VI Semana é: Compromete-te!

Para além dos textos que nos são propostos para meditar, rezar e agir, deixo-vos um outro que retirei da Bula de Proclamação do Ano Jubilar da Misericórdia.

“Deixemo-nos surpreender por Deus. Ele nunca Se cansa de escancarar a porta do seu coração, para repetir que nos ama e deseja partilhar connosco a sua vida”. (n. 25)

Meditar:

Chegámos ao Domingo de Ramos com o qual se inicia a Semana Santa. Olhando o caminho percorrido, foi-te proposto que te libertasses do que te impedia de caminhar, que organizasses o teu tempo para o que é realmente importante na tua vida, que fizesses silêncio para escutares e acolheres Jesus que é a Palavra, que deitasses fora as pedras que carregas no coração e que vivesses no respeito a ti mesmo e a todos.

Agora que estás de coração livre proponho que te comprometas, que fortaleças a tua amizade com Jesus. Só pode assumir compromissos quem é livre.

Nada vale a pena se não for levado a sério. Jesus leva-te a sério.

Compromete-te com Ele!

Rezar:

Senhor Jesus, quero aumentar a minha amizade Contigo. Quero amar-Te cada vez mais. Conhecer-Te melhor. Ensina-me a ser como Tu.

Agir:

Obra de Misericórdia – Perdoar as injúrias. Suportar com paciência as fraquezas do nosso próximo. 

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Horários das Celebrações da Semana Santa Quinta-Feira Santa(dia 24 de março)

Missa Crismal–Sé Patriarcal, às 10:00 horas.

Missa Vespertina da Ceia do Senhor–Igreja Paroquial, às 21:00 horas,seguida de Adoração ao Santíssimo, até às 24:00 horas.

Horário da Partida do Autocarro

20:00 horas – Leceia ; 20:10 horas – Tercena ; 20:20 horas – Queluz de Baixo ; 20:30 horas – Valejas

Sexta-Feira Santa(dia 25 de março)

Oração de Laudes–Igreja Paroquial,às 10:00 horas.

Celebração da Paixão do Senhor

Igreja Paroquial, às 15:00 horas.

Horário da Partida do Autocarro

14:00 horas – Leceia ; 14:10 horas – Tercena ;

14:20 horas – Queluz de Baixo  ;  14:30 horas – Valejas

Sábado Santo(dia 26 de março)

Oração de Laudes–Igreja Paroquial, às 10:00 horas. Solene Vigília Pascal –Igreja Paroquial, às 21:00 horas.

Horário da Partida do Autocarro

20:00 horas – Leceia  ;  20:10 horas – Tercena

20:20 horas – Queluz de Baixo  ;  20:30 horas – Valejas

2. Horários das Celebrações no Domingo de Páscoa

Tercena e Valejas–10:30 horas Leceia –11:30 horas Barcarena –12:00 horas Queluz de Baixo18:00 horas

3.    Férias do Pároco

Durante a semana a seguir à Páscoa (de segunda-feira, dia 28 de março, a sexta-feira, dia 1 de abril) o Pároco vai estar de férias. Nessa semana não haverá Celebração da Missa em Barcarena, Tercena e Queluz de Baixo.

Qualquer assunto relacionado com o normal funcionamento da Paróquia (funerais e outros) deverá ser tratado com o Diácono.

4.    Reinício da Catequese

As atividades da Catequese reiniciam no fim de semana de 2 e 3 de abril.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena