Nº138 07-02-2016

Anteriores

Nº138 - 07-02-2016

NA BARCA DA FÉ

 

CHAMADOS A SALVAR A HUMANIDADE

A razão principal porque S. Lucas narra o episódio da pesca milagrosa, que escutámos no Evangelho deste Domingo (Lc 5, 1-11), é fazer compreender aos discípulos, ontem como hoje, que a tarefa que devem desempenhar será sempre: “ser pescadores de homens”.

Quem são os pescadores e quem são os peixes? Antigamente, os sacerdotes eram considerados bons “pescadores” quando, ao colocarem habilmente a isca, conseguiam aumentar o número dos baptizados. Subordinados a eles, podiam também os simples cristãos tornar-se “pescadores de homens”, bastando para isso que se empenhassem em ajudar os sacerdotes na sua acção.

Os peixes, bem o sabemos, estão muitíssimo bem dentro da água e não ficam nada contentes por serem pescados. Agora os homens é que já não estão tão à vontade dentro de água, especialmente quando se trata do mar imenso, profundo, negro, agitado. Os peixes tirados para fora morrem, e as pessoas, ao contrário, vivem. Jesus serve-se deste simbolismo para explicar aos discípulos qual é a sua missão. Jesus não os convida a “apanhar os homens com anzol”, mas a “tirá-los vivos com a rede” das ondas impetuosas que ameaçam vencê-los, submergi-los e levá-los ao fundo.

Homens que devem ser “pescados”, quer dizer, ajudados a viver, são os que se sentem enleados nos seus vícios, entregues às suas próprias paixões violentas, sendo bem capazes de fazerem mal a si mesmos e aos outros. Mas “peixe” que deve ser tirado da sua condição desesperada é toda a humanidade que se arrisca a ser engolida pelas forças do mal: o egoísmo, a violência, o ódio, a guerra, a mentira... Os discípulos de Cristo têm a tarefa de a salvar da catástrofe.

Esta missão não foi confiada apenas aos sacerdotes, mas a toda a comunidade cristã. Esta está encarregada de demonstrar que é possível construir uma sociedade fundada em princípios novos: no perdão, na partilha de bens, no serviço mútuo, no respeito pelos outros.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - V DOMINGO do TEMPO COMUM - ANO C

Is 6, 1-2a. 3-8; Sal 137 (138); 1 Cor 15, 1-11; Lc 5, 1-11

“Jesus disse a Simão: «Não temas. Daqui em diante serás pescador de homens». Tendo conduzido os barcos para terra, eles deixaram tudo e seguiram Jesus.” (Lc 5, 10b-11) Esta resposta ao convite de Jesus segue-se ao milagre de uma pesca em quantidades improváveis.

É esta a função do milagre: provocar uma mudança de vida. Neste caso foram várias vidas que mudaram radicalmente. É fácil não ver milagres em lado nenhum. É difícil mudar completamente a própria maneira de ser que me vem da genética, da família e da sociedade. “Burro velho não aprende línguas”, diz um ditado popular.

Milagres e mudança de vida estão muito ligados nas escrituras: no episódio da mulher adúltera, que provavelmente mudou de vida quando não foi apedrejada por uma multidão e recebeu o perdão dos seus pecados, em Zaqueu, um chefe de publicanos que seguramente mudou de vida, em São Paulo, que perseguia os cristãos e veio a ser o Apóstolo dos gentios dando a vida por Cristo.

Mas hoje continua a haver milagres que me possam ajudar a mudar de vida? Sim! Sempre que alguém dá a vida por outro sem esperar receber nada em troca, isso é um milagre. Sempre que alguém não acusa outro podendo fazê-lo, isso é um milagre. Sempre que alguém recusa um presente que corrompe, isso é um milagre. Sempre que um casal não se fecha à geração dos filhos, isso é um milagre. Todos os dias são uma oportunidade que o Senhor me dá de mudar, olhando para os milagres que Ele faz à minha volta.

E tal como os milagres, a mudança da minha vida não vem de mim mas da “graça de Deus que está comigo” como escreve São Paulo; é um novo milagre! 

Zé Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Constituição do Conselho Pastoral Paroquial

Equipa Pastoral

Padre Mário Faria Silva

Diácono Carlos Manuel Ferreira de Sousa Borges

Representante do Conselho Económico

Maria de Fátima Garrido Rocha Neco da Mota

Membros Nomeados

Elisabete Margarida Pereira da Silva Bandeira

Fernando Manuel Vaz Dias

Francisco Augusto Damião de Carvalho Matos Figueiredo

João Pedro Queiroz Andrade

Maria Margarida Almeida Matos Fonseca

Representantes das Comunidades

António Joaquim Pinheiro Peres

Comunidade de Tercena

 

Maria da Conceição Nunes A. Barroca

Comunidade de Queluz de Baixo

 

Maria Fernanda dos Santos Mateus

Comunidade de Leceia

 

Paula Cristina Monteiro C. M. Almeida

Comunidade de Valejas

 

Teresa de Jesus Fernandes Cabral

Comunidade de Barcarena

 

 

 

 

Evangelização

 

Maria da Luz Rosa da Silva Borges

Coordenadora da Catequese

 

Pedro Alexandre Rodrigues de Carvalho

Pastoral da Comunicação e Imagem

 

Miguel Augusto D. C. Matos Figueiredo

Pastoral Familiar

 

Andreia Sofia S. S. Viegas Figueiredo

 

 

 

Lourival de Oliveira Trovisco

Pastoral Familiar/CPM

 

Maria de Fátima P. L. Carvalho Trovisco

 

 

 

Maria Elisa Valpaços Martins Quaresma

Pastoral Juvenil

 

Pedro Miguel da Piedade Escaleira

Pastoral Litúrgica/Acólitos

 

Filomena Maria R. Carvalho Dias Alves

Pastoral Litúrgica/Grupos Corais

 

Laurinda da Silva Rodrigues

Pastoral Litúrgica/MEC

 

Rita Maria Abreu de Almeida Soares

Pastoral Sócio-Caritativa/CSP

 

Irmã Maria Izabel Ferreira

Pastoral Vocacional

 

 

 

Representantes de Grupos Paroquiais

 

Carlos Aberto Tavares Soares da Silva

Agrupamento 1278/Escuteiros Barcarena

 

José Manuel Chambel F. Lopes Leitão

Caminho Neocatecumenal

 

Irmã Maria Sílvia Guimarães dos Santos

Comunidade das Irmãs Canossianas

 

Maria Luísa Alves da Cruz Peres

Legião de Maria

 

 

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Dia de Carnaval - Missas

Na próxima terça-feira, dia 9 de fevereiro, não haverá Missa, às 9:30 horas, em Tercena e às 19:00 horas, em Barcarena.

2.    Horário das Celebrações de quarta-feira de Cinzas

Tal como tem acontecido nos anos passados, no dia 10 de fevereiro (quarta-feira de cinzas) o horário das Missas com bênção e imposição das cinzas é o seguinte:

Tercena – 10:00 horas; Queluz de Baixo – 19:00 horas; Barcarena – 21 horas.

3.    Dia Mundial do Doente

Na próxima quinta-feira, dia 11 de fevereiro (Dia Mundial do Doente), às 10:00 horas, em Tercena, haverá Missa com Unção dos Enfermos.

4.    Exposição do Santíssimo Sacramento em Tercena

Na próxima quinta-feira, dia 11 de fevereiro (2ª quinta-feira do mês), entre as 16:00 e as 17:30 horas, em Tercena, haverá Exposição do Santíssimo.

5.    Jornada Vicarial de Jovens

No próximo domingo, dia 14 de fevereiro (I Domingo da Quaresma), entre as 9:00 e as 17:00 horas, decorrerá, na Paróquia de Porto Salvo, a Jornada Vicarial de Jovens.

6.    Reunião do Conselho Pastoral

No próximo domingo, dia 14 de fevereiro (I Domingo da Quaresma), às 20:30 horas, terá lugar, na Igreja Paroquial, uma reunião do Conselho Pastoral.

Apelamos à presença de todos os Conselheiros nesta reunião que marca o início do novo Conselho Pastoral.

7.    Via Sacra Vicarial

No próximo dia 21 de fevereiro (II Domingo da Quaresma), às 16:00 horas, terá lugar, na Igreja de Porto Salvo, a Via Sacra Vicarial.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena