Nº134 10-01-2016

Anteriores

Nº134 - 10-01-2016

NA BARCA DA FÉ

 

BAPTISMO DO SENHOR

Por que motivo quis Jesus ser baptizado, Ele, que é sem pecado? A Tradição respondeu: para nos salvar, Ele identificou-se connosco. “Aquele que não tinha conhecido o pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nos tornássemos nEle, justiça de Deus” (1Cor 5,21; Gal 3,13). Aceitará sujeitar-Se à morte, como dom deamor, ao Pai e a todos nós. Por isso dirá uma coisa que os discípulos vão tardar a entender: aguarda um novo baptismo, que será o baptismo definitivo, o da Cruz (Cf Mc 10, 38-39; Mt 20, 22; Lc 12, 50).

O nosso baptismo (Mt, 28, 19; Mc 16,16) deriva do “segundo” baptismo de Cristo.

Ser baptizado é ser enxertado em Cristo, é aceitar os riscos implicados no anúncio do Evangelho, é receber a promessa da ressurreição. Como diz S. Paulo, nós somos baptizados na morte e ressurreição (Rom 6, 4-6; 8, 1-11). Ser imerso na água do baptismo é aceitar morrer para as alegrias vãs do pecado. E aquele que emerge da água do baptismo ergue-se para a ressurreição e para a vida eterna (Rom, 6, 4-5).

Pedir à Igreja o baptismo é uma coisa séria. Por isso, quando o fizer, para si ou para os seus filhos, faça-o de forma consciente e responsável. As normas sobre a celebração do baptismo na nossa paróquia estão no sítio da internet www.paroquiadebarcarena.pt. Na página 3 desta “folha paroquial” encontrará um resumo dessas normas.

Creiam-me sempre disponível!

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - Festa do BAPTISMO DO SENHOR - ANO C

Is 42,1-4.6-7; Salmo 28 (29); Actos 10,34-38; Lc 3,15-16.21-22

O Deus menino nasceu e manifestou-se à Humanidade como Rei. Depois desapareceu da cena pública. Já adulto volta a manifestar-se, mediante o seu baptismo. O Rei, mais uma vez, se humilha. Primeiro nasceu numa gruta, agora desce às águas do Jordão num baptismo de penitência. Ele que não tinha pecado foi baptizado como pecador. Ou como diz João Batista no Evangelho “(…) vai chegar quem é mais forte do que eu, do qual não sou digno de desatar as correias das sandálias (…)”. Como profetizou Isaías (na primeira leitura) mais de 600 anos antes, o Eleito de Deus, o Messias “Não gritará, nem levantará a voz”. Jesus desce ao mais fundo da Terra (ao Jordão), junto com os restantes penitentes. A profecia de Isaías cumpre-se em Jesus Cristo “Sobre ele fiz repousar o meu espírito, para que leve a justiça às nações”.

Este Messias, primeiro profetizado e depois concretizado, é de uma esperança grande para mim. Nas dificuldades do trabalho, da família, Deus faz-me uma promessa clara. Ele dispõe-se a vir ao mais fundo das minhas insuficiências e dos meus pecados. Nos Atos dos Apóstolos, a Igreja, mediante o seu primeiro Papa, assegura-me: “Na verdade, eu reconheço que Deus não faz acepção de pessoas, mas, em qualquer nação, aquele que O teme e pratica a justiça é-Lhe agradável”. Deus convida-me a duas coisas apenas: temer a Deus e praticar a justiça. Ou seja, temer significa acreditar na sua possibilidade infinita de mudar o meu coração orgulhoso para um coração humilde. Mudar o meu coração para amar o meu próximo. Praticar a justiça significa para mim ajustar-me ao plano que Deus tem para a minha vida. Esse plano não é sopas e descanso (embora eu o deseje todos os dias). O seu plano é a salvação de cada homem pelo anúncio do Evangelho. A isso Deus me chama, a participar nesse anúncio. A cada dia mudar o meu coração e anunciar o Amor de Deus que me salvou da morte.

Pedro Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - O Sacramento do Batismo

O que é o Batismo?

O Batismo é um Sacramento, um sinal sensível e eficaz da Graça, instituído por Jesus e confiado à Igreja, mediante o qual nos é concedida a Vida Divina. O Batismo é um sinal visível (através da água e das palavras do celebrante) de uma realidade invisível mas real: o Amor e a Salvação de Deus.

Quem pode receber o Batismo?

Qualquer pessoa ainda não batizada pode receber o Batismo.

O Batismo das Crianças

As crianças, são batizadas na “Fé da Igreja”, concretizada, sobretudo, na Fé dos Pais e dos Padrinhos.

Quem é criança?

São consideradas crianças, aquelas que ainda não atingiram o “uso darazão”. Como critério, fazemos coincidir o “uso da razão”, com o início do “1º ciclo do ensino básico” e o completar dos sete anos de idade.

Quem pode pedir o Batismo de Crianças?

Todos os pais têm o direito de pedir o Batismo para os seus filhos, mesmo que sejam solteiros ou casados civilmente, porque o Batismo é um dom para a Criança. Na circunstância, hoje frequente, de pais separados, se um deles pede o Batismo para o seu filho, procure-se, pelo menos, informar o outro progenitor.

A garantia de uma educação cristã que os Pais se comprometem a dar à Criança é uma condição essencial para a Criança poder ser batizada.

Sobre os Padrinhos

Os Padrinhos são membros da Comunidade, escolhidos pelos Pais, e que têm como missão acompanhar o afilhado e mostrar-lhe a beleza e a importância de uma vida dentro da Igreja.

Podem ser aceites como padrinhos: Membros da comunidade cristã em plena comunhão com a Igreja Católica e que tenham recebido os Sacramentos da Iniciação cristã: Batismo, Confirmação e Eucaristia.

No caso de pessoas casadas, é necessário que sejam casadas na Igreja, que, perante a Igreja no que diz respeito a situações maritais, não estejam em situação ilegal (por exemplo, união de facto).

As pessoas escolhidas para padrinhos devem ter, pelo menos, dezasseis anos de idade.

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Reunião do Secretariado Permanente do Conselho Pastoral

Este domingo, dia 10 de janeiro, pelas 21:00 horas, terá lugar, na Igreja Paroquial, uma reunião do Secretariado Permanente do Conselho Pastoral.

2.    Encontro Vicarial de Crismandos e Crismados com o Senhor Bispo

No próximo domingo, dia 17 de janeiro, entre as 15:00 e as 17:00 horas, terá lugar, na Paróquia de Outurela, um encontro de Crismandos e Crismados com o Senhor Bispo.

3.    Encontro Vicarial dos Secretariados Permanentes do Conselho Pastoral

No próximo domingo, dia 17 de Janeiro, às 15:30 horas, terá lugar, na Paróquia de Queijas, um encontro dos Secretariados Permanentes do Conselho Pastoral.

4.    Festa Litúrgica de S. Sebastião

No próximo dia 20 de Janeiro, dia em que a Igreja celebra a Festa Litúrgica de

S. Sebastião, às 21:00 horas, haverá Missa na Capela de S. Sebastião.

5.    Festa Litúrgica de S. Vicente, Padroeiro Principal do Patriarcado de Lisboa

No próximo dia 22 de janeiro, a Igreja celebra a Festa Litúrgica de S. Vicente (Diácono), Padroeiro Principal do Patriarcado de Lisboa.

Na Sé Patriarcal, às 19:00 horas, será celebrada a Eucaristia, presidida pelo Cardeal Patriarca, com renovação das Promessas Diaconais.

6.    Encontro Vicarial dos Conselhos Económicos Paroquiais

No próximo dia 24 de Janeiro, às 15:30 horas, terá lugar, na Paróquia de Linda a Velha, um encontro dos Conselhos Económicos Paroquiais.

7.    Visita da Imagem Peregrina à Vigararia de Oeiras

Nos próximos dias 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro, a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima visita todas as Paróquias da Vigararia de Oeiras.

A  chegada da Imagem à nossa Paróquia está prevista para as 15:45 horas do dia 31 de Janeiro, seguindo-se um momento celebrativo.

Às 21:00 horas, da Igreja Paroquial da Cruz Quebrada, sairá uma Procissão de Velas em direcção ao Santuário de Nossa Senhora da Rocha, que termina com a Celebração da Eucaristia.

A  Missa de despedida da Imagem terá lugar, no Santuário de Nossa Senhora da Rocha, às 13:00 horas do dia 1 de Fevereiro.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena