Nº124 01-11-2015

Anteriores

Nº124 - 01-11-2015

NA BARCA DA FÉ

 

QUEM SÃO OS SANTOS?

No início de cada Missa, cantando o “Glória”, proclamamos, dirigindo-nos a Deus, “Tu só, és o santo”! Santo significa que não tem nada a ver com aquilo que é imperfeito, débil, precário. Neste sentido, apenas Deus é realmente santo. Só Ele está completamente acima do mundo caduco e efémero em que vivemos. Porém, também nós, os humanos, nos podemos elevar a Ele e participar na Sua santidade. Cada discípulo de Cristo empreendeu este caminho de aproximação à santidade de Deus.

Reparemos a forma como S. Paulo inicia algumas das suas cartas: “A todos os santos que vivem na cidade de Filipos...” (Fil 1, 1); “A todos os santos que estão em Éfeso...” (Ef 1, 1). Pode também ver Col 1, 2 e Rom 1, 7.

O Apóstolo não escreve a gente que se encontra entre os anjos do céu. Dirige-se a pessoas concretas que vivem sobre esta terra: habitam em Filipos, em Éfeso, em Colossos, em Roma. São eles os “santos”.

Santo é cada discípulo, esteja ele já com Cristo no Céu ou viva ele ainda sobre esta terra.

Portanto, hoje é a Festa da Família Cristã. É o dia em que homens e mulheres tomam consciência do dom que o Pai lhes fez: em Cristo, Deus tornou-nos membros da Sua Família, comunicou-nos o Seu Espírito de santidade.

A santidade não é uma condição superior que podemos alcançar com os nossos esforços ascéticos, não é fruto do nosso heroísmo, é um puro dom de Deus. Só Ele nos pode tornar santos.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - Solenidade de Todos os Santos - ANO B

Ap 7,2-4.9-14; Salmo 23 (24); 1Jo 3,1-3; Mt 5,1-12

Deus escolheu-me para ser santo. Como Pai bondoso todos os dias chama-me a ser santo. Em toda a história que Deus vai fazendo comigo ele mostra-me a minha condição de pecador. Faz-me passar por alegrias e provações. Mas em tudo Ele me marca com a sua cruz de santidade.

Visto assim pode parecer um pouco deprimente. Acordar cada dia para descobri mais um pecado. Descobrir em cada dia a consequência do meu pecado… Parece uma visão pouco positiva da realidade. Mas, antes pelo contrário, é o caminho para a minha santidade. É lavar-me dos meus pecados, ou como diz no livro do Apocalipse a propósito dos Santos: «São os que vieram da grande tribulação, os que lavaram as túnicas e as branquearam no sangue do Cordeiro».

O caminho para a minha santidade é conhecer o meu pecado e depois deixar que Jesus Cristo lave o meu pecado com o Seu sangue. Para isso só tenho de reconhecer que sou filho de Deus. E sendo filho de Deus tenho de Lhe obedecer e acreditar que um dia O verei tal como Ele é. Se assim fizer, realiza-se a promessa feita por João na sua carta: “Todo aquele que tem n’Ele esta esperança purifica-se a si mesmo, para ser puro, como ele é puro.”

E, se assim é, porque não faço eu a vontade do meu Pai? As razões são várias. Em primeiro lugar, o meu orgulho que me acompanha sempre. Depois, também a falta de Fé. Tenho dificuldade em acreditar que fazer a vontade de Deus é ser bem-aventurado. Parece-me uma melhor bem-aventurança ter uma casa com piscina e muito dinheiro no banco. Mas Jesus, no Evangelho, vem-me pôr na verdade: “ Bem-aventurados sereis, quando, por minha causa, vos insultarem, vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós. Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa”. A oferta gratuita que Deus me faz para ser santo não passa por encher a minha conta bancária. Passa, sim, por andar na verdade e na humildade: “Bem-aventurados…”. 

Pedro Chambel Leitão



Novembro, mês da Comunhão dos Santos, mês da Esperança do Encontro

Ao mês de Novembro associamos, normalmente, um “véu” de resignação e de passividade, porque, comumente, Novembro está associado ao “mês dos mortos”.

O mundo comercial tenta substituir esse “véu” com a máscara do “dia das bruxas”, ou apressa-se a propor como gastar o subsídio de natal em brinquedos ou prendas, muitas vezes desnecessárias.

Para nós, Cristãos, Novembro é o mês dos Santos e dos Fiéis Defuntos, o mês em que somos convidados a, de uma forma especial, rezar por todos aqueles que ainda estão no Purgatório, aguardando entrar na Glória do Céu. Seria um insulto a Deus e aos seus Santos viver o mês de Novembro na tristeza daqueles “que não têm esperança”1. Seria, igualmente, uma ofensa a Deus e aos nossos Defuntos se nos limitássemos a encher as campas de flores sem “ajudar as almas do purgatório oferecendo as nossas orações de sufrágio, em particular o Sacrifício Eucarístico, mas também esmolas, indulgências e obras de penitência”2.

Os Santos e as Almas do Purgatório, ainda em purificação, foram pessoas como nós, que viveram na Fé e na Graça de Deus, que sofreram, que venceram as tentações, que, até à morte, permaneceram fiéis a Cristo. Mas, a verdade mais bela é esta: todos eles, juntamente connosco, ainda peregrinos na Terra, formamos “uma só família, a Igreja, para louvor e glória da Trindade”3, naquela realidade de Graça a que chamamosComunhão dos Santos. Esta divina realidade “une-nos a Cristo, de quem procedem, como de Fonte e Cabeça, toda a graça e a própria vida do povo de Deus”4.

O mês de Novembro é o mês da Comunhão dos Santos, o mês da Esperança do Encontro com a nossa verdadeira família. Nesta divina Comunhão de Amor, podemos celebrar dignamente os Santos e honrar a memória dos nossos Defuntos, oferecendo por eles os sufrágios que a Igreja nos recorda e oferece.

1 Ts 4, 13
Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, Nº 211
Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, Nº 195
Catecismo da Igreja Católica, Nº 957 

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos

Na próxima segunda-feira, dia 2 de novembro, a Igreja reza por todos os Fiéis Defuntos.

Na nossa Paróquia haverá Missa, nos seguintes horários: 10:00 horas – Tercena

19:00 horas – Queluz de Baixo

21:00 horas – Igreja Paroquial (Barcarena)

2.    Jornada Sinodal do Clero

Na próxima terça-feira, dia 3 de novembro, todo o Clero da Patriarcado de Lisboa está convocado para uma reunião com o Senhor Cardeal Patriarca. Por esse motivo, o Pároco e o Diácono estarão ausentes da Paróquia.

Não haverá Laudes nem Missa em Tercena. Também não haverá Missa em Barcarena.

3.    Adoração ao Santíssimo Sacramento em Queluz de Baixo

Na próxima sexta-feira, dia 6 de novembro, entre as 18:00 e as 18:45 horas haverá exposição do Santíssimo Sacramento, em Queluz de Baixo.

4.    Vigília de Oração Organizada pelo Grupo de Jovens

No próximo sábado, dia 7 de novembro, às 21:30 horas, vai ter lugar, na Igreja de Nossa Senhora de Fátima (Queluz de Baixo), uma Vigília de Oração organizada pelo Grupo de Jovens.

Vamos ter como intenção principal as melhoras da filha da Catequista Alice, gravemente doente. Toda a Paróquia, sobretudo todos os Catequistas estão convidados a participar nesta noite de oração.

5.    Inscrições de Adultos para receberem os Sacramentos de Iniciação Cristã e do Crisma

Todos os Adultos que pretendam receber os Sacramentos de Iniciação Cristã (Batismo, Crisma e 1ª Comunhão) ou apenas o Sacramento do Crisma devem fazer a sua inscrição, até ao dia 13 de novembro, no Cartório Paroquial.

Os encontros de formação começarão ainda em novembro (data a anunciar).


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena