Nº123 25-10-2015

Anteriores

Nº123 - 25-10-2015

NA BARCA DA FÉ

 

ILUMINADOS PARA SEGUIR CRISTO

O episódio da cura do Bartimeu narrado no Evangelho deste Domingo (Mc 10, 46-52) é uma catequese sobre a iluminação que o cristão recebe quando, no baptismo, encontra Cristo. É neste sacramento que são abertos ao ser humano os olhos e é aí que se compreende o que significa seguir Cristo.

O primeiro passo para a cura é dado quando se começa a tomar consciência da própria situação e se descobre que é desumana, inaceitável e então se decide sair dela. Bartimeu não se resigna às trevas (cegueira) em que está envolvido, não se afeiçoa à doença que o leva a viver preguiçosamente de esmolas e não se compraz com o próprio estado.

Também a cura da cegueira espiritual começa assim. Parte duma profunda insatisfação interior, da náusea por uma vida sem sentido e sem ideias. A dependência de certos hábitos, de certos comportamentos cada vez mais devastadores leva a formas de escravidão comparáveis à dos israelitas de quem se fala na primeira Leitura. Também eles são cegos, coxos e incapazes de caminhar rumo à liberdade, esperando na ajuda do Senhor.

Um dia Bartimeu descobre que algo está para mudar na sua vida. Ouve falar de Jesus, compreende que está prestes a apresentar-se-lhe uma oportunidade única: poder encontrar o “Filho de David”, poder escutar a Sua voz que cura, e poder abrir os olhos. E, superando as hesitações e os medos, o embaraço e a vergonha, grita, pede ajuda, não quer mais ficar naquela condição.

A sua experiência é repetida por todos os que, insatisfeitos com a maneira como estão a levar a vida, procuram desesperadamente a luz. O caminho que conduz a Cristo começa sempre por esta inquietação interior, inquietação que leva à procura de propostas alternativas, que desperta a atenção para novas formas de linguagem, para novos modelos de vida diferentes dos que todos seguem.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - XXX DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO B

Jer 31, 7-9; Sal 125 (126); Hebr 5, 1-6 Mc 10, 46-52

A pergunta de cada domingo é: de que modo a Palavra pode vir iluminar a minha vida? Vejo neste domingo que posso fazer-me de Bartimeu, o cego que mendigava à saída de Jericó, e falar directamente com o Senhor.

“Jesus, filho de David, tem piedade de mim!”. Esta oração evangélica põe-me na perspectiva certa da relação com Deus e com os outros. Preciso imenso de que Jesus Cristo, que passa de forma particular ao domingo na eucaristia, pare e faça o milagre de me curar. Preciso que me cure do meu orgulho, do meu egoísmo, da minha ira, de todo o meu pecado. Este é um trabalho de uma vida inteira, e de mais um tempo de purificação no purgatório. Só a misericórdia de Deus o pode fazer, porque “onde abundou o pecado, superabundou a graça”. (Rm 5,20)

Qual é então a minha tarefa? Gritar! Com todas as forças! Para que Deus me cure da cegueira que não me permite vê-l’O nem ver os outros. E só Jesus, que conhece muito bem a minha realidade, o pode fazer, como único intercessor, como o único que faz a ligação entre o homem e Deus. Conhece-me e apesar disso ama-me. Só o reconhecimento desse Amor, desinteressado, eterno, total, que o Pai tem por mim, me pode fazer amar o outro sem esperar nada em troca, sem querer mudar o outro, sem julgar o outro.

Este caminho para a Jerusalém celeste, em conjunto com os restantes cegos, coxos, mudos, endemoninhados, ladrões, prostitutas, vai-se fazendo de cura em cura, até que o meu coração de pedra seja substituído por um coração de carne, que dá a vida pelo inimigo. Um coração capaz de chorar o seu pecado. É a quem tem este coração que Deus abre as portas da Vida Eterna. 

Zé Chambel Leitão



Deus surpreende-nos sempre!

Entramos na última semana do mês de outubro, um mês, tradicionalmente, dedicado a Nossa Senhora invocada como Nossa Senhora do Rosário.

Há cerca de dois anos, na Praça de S. Pedro, diante da Imagem de Nossa Senhora de Fátima (Nossa Senhora do Rosário de Fátima), o Papa Francisco encorajava cada um de nós a consagrar a nossa vida a Nossa Senhora, recitando a belíssima oração: “Ó Senhora minha, ó minha Mãe …”.

Por aquela ocasião, diante da Imagem de Maria, o Santo Padre lançou alguns desafios que nos podem ajudar a viver melhor este final do mês de outubro.

Dizia o Papa Francisco: “Hoje, encontramo-nos diante de uma dasmaravilhas do Senhor: Maria! Uma criatura humilde e frágil como nós, escolhida para ser a Mãe de Deus, a Mãe do Criador.

Olhando Maria … queria reflectir convosco sobre uma realidade … Deus surpreende-nos!”.

E acrescentava: “Deus surpreende-nos sempre, rompe os nossos esquemas,põe em crise os nossos projectos, e diz-nos: confia em Mim, não tenhas medo, deixa-te surpreender, sai de ti mesmo e segue-Me!”.

Explicava ainda o Santo Padre: “É na pobreza, na fraqueza, na humildadeque Ele Se manifesta e nos dá o Seu amor que nos salva, que cura, que dá força. Pede somente que sigamos a Sua palavra e tenhamos confiança n’Ele.

Esta é a experiência da Virgem Maria! Perante o anúncio do Anjo, Maria não esconde a sua admiração. Fica admirada ao ver que Deus, para Se fazer homem, escolheu precisamente a ela, jovem simples de Nazaré, que não vive nos palácios do poder e da riqueza, que não realizou factos extraordinários, mas que está disponível para Deus, que sabe confiar n’Ele, mesmo não entendendo tudo: «Eis a serva do Senhor, faça-se em Mim segundo a tua palavra» (Lc 1, 38).

Uma proposta para nossa reflexão, tendo diante de nós o exemplo de Maria, poderá ser esta: “Tenho medo daquilo que Deus me está a pedir oupoderá pedir? Como Maria, deixo-me surpreender por Deus, ou fecho-me nas minhas seguranças (seguranças materiais, seguranças intelectuais, seguranças ideológicas, seguranças dos meus projectos)? Deixo Deus entrar, verdadeiramente, na minha vida? Como Lhe respondo?”. 

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral

Este Domingo, dia 25 de Outubro, comemora-se o Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Os Acólitos são convidados a, dentro do possível, participarem na Eucaristia comemorativa que terá lugar na Sé Patriarcal.

2.    Encontro para Catequistas

No próximo Sábado, dia 31 de Outubro, terão lugar, no Seminário de Alfragide, dois encontros para Catequistas. Os horários serão os seguintes:

9:00 às 13:00 horas   Catequistas do 1º ao 6º Catecismos.

14:00 às 18:00 horas  Catequistas do 7º ao 10º Catecismos.

3.    Missa no Cemitério de Barcarena

No próximo Domingo, dia 1 de Novembro (Solenidade de Todos os Santos), por ser véspera do dia litúrgico em que comemoramos Todos os Fiéis Defuntos, no Cemitério de Barcarena, às 16:00 horas, será celebrada a Missa, por todos os Paroquianos já falecidos.

4.    Missa Vespertina (ao Sábado) em Barcarena

Com o início da Catequese e com a Abertura do Ano Escutista vamos retomar a Celebração da Missa Vespertina com Crianças, em alguns Sábados, em Barcarena, às 15:15 horas.

Em Outubro e Novembro essa Missa com Crianças será celebrada nos seguintes Sábados: OutubroDia 31; NovembroDia 28.

5.    Inscrições para Novos Escuteiros

Estão abertas as inscrições para Novos Escuteiros. As inscrições deverão ser feitas através do e-mail   Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. -escutismo.pt, indicando a idade e o contacto.

6.    Novos Acólitos

Queres fazer parte do Grupo de Acólitos de Barcarena? Se sim, contacta um dos Acólitos no final das Missas de Sábado ou Domingo,

Podes ainda contactar-nos por e-mail:   Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. m.

Teremos todo o gosto em receber-te. Ficamos à tua espera!


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena