Nº97 01-03-2015

Anteriores

Nº97 - 01-03-2015

NA BARCA DA FÉ

 

A TRANSFIGURAÇÃO

A narrativa da transfiguração de Jesus encontra-se exactamente ao centro do Evangelho de Marcos. Os discípulos, desde o início, perguntavam-se a si mesmos quem era Ele (Mc 1, 27; 4, 41; 6, 2-3). A uma dada altura começaram a intuir que Jesus era o Messias. Contudo, tinham ideias muito confusas a esse respeito. Como todos, esperavam um rei glorioso, vencedor, rico e poderoso, capaz de instaurar milagrosamente o Reino de Deus sobre a terra.

Esta ideia errada transparece das palavras de Pedro que quer construir as três tendas. Está convencido de que o tempo do Reino está a chegar e que não é preciso passar pela morte e pelo sacrifício de si.

Para instaurar o Reino que Jesus deixa entrever aos discípulos durante a transfiguração, é necessário passar através do sacrifício da própria vida. Não se pode entrar no Reino de Deus por atalhos, como Pedro procura fazer. É preciso que todos os discípulos sigam corajosamente o percurso feito pelo Messias.

Os discípulos foram descobrindo de maneira lenta, penosa e progressiva este rosto sofredor do Messias. Melhor, mesmo depois de todas as instruções e explicações do Mestre, nunca teriam chegado a compreender o projecto de Deus se não tivesse havido a luz da Páscoa, a experiência do Ressuscitado.

Hoje também nós podemos ceder às falsas expectativas de Pedro. Mas não há outro caminho senão o de Cristo, o que leva à Ressurreição passando pela cruz.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - II DOMINGO da QUARESMA – Ano B

L 1 Gn 22,1-2.9a.10-13.15-18
L 2 Rm 8,31b-34
Ev Mc 9,2-10

Deus, na leitura dos Genesis, pergunta-me de forma directa quem é o Deus da minha vida. "Deus pôs Abraão à prova. Chamando-o, disse: 'Abraão!' Eele respondeu: 'Aqui estou'. E Deus disse: 'Toma teu filho único, Isaac, a quem tanto amas, dirige-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um monte que eu te indicar'." (Gn 22,1-2). O pedido que Deus faz aAbraão choca muito com a minha sensibilidade de pai. Esta leitura mexe comigo porque sou obrigado a concluir que o Deus de Abraão é um deus menor na minha vida. Claramente que o afeto que sinto pelos meus filhos é um “deus” que no dia-a-dia se sobrepõe à minha fé. Sinto-me às vezes tentado a suavizar esta palavra de Deus. Pode ter acontecido que Abraão motivado por alguma aflição (e.g. fome, guerra) caiu na tentação de sacrificar o próprio filho, que era um costume próprio daquela época e região.

A leitura de São Paulo aos Romanos surge como um travão a esta minha tentativa de adaptar a palavra de Deus à minha sensibilidade. São Paulo lembra-me que Deus é um Pai disposto a tudo para salvar os seus filhos "Deus que não poupou seu próprio filho, mas o entregou por todos nós,como não nos daria tudo junto com ele?" (Rm 8,32). À luz deste zelo de Paiextremoso fico na dúvida se o acontecimento descrito no Genesis foi Deus a interromper um ritual bárbaro ou foi algo diferente. Aquele "ritual bárbaro" pode ter sido inspirado por Deus, por um lado, para deixar gravado de forma permanente na história do povo Judeu a força da fé de Abraão e, por outro, para lembrar para sempre aos Cristãos que o sacrifício de Jesus foi um gesto de amor de um Pai que rompe todas as barreiras para nos salvar.

Deus interfere na minha história e na história da humanidade de uma forma que fura todos os meus raciocínios deixando-me só com a ferramenta da oração e da contemplação para compreender os porquês "Então Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: 'Mestre, é bom ficarmosaqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias." (Mc 9,5).

Paulo Chambel Leitão



Como vais viver a tua Quaresma?

Entramos hoje na 2ª Semana da Quaresma. O Valor que nos é proposto é:

Descobre … a beleza do amor. E o desafio é: Visitar um doente ou um idoso.

Quase de propósito, as palavras do Papa Francisco, proferidas durante a homilia da Missa que celebrou na Capela de Santa Marta, no passado dia 20 de Fevereiro, são para nós um estímulo: “Os cristãos, especialmente no tempoda Quaresma, são chamados a viver coerentemente o amor a Deus e o amor ao próximo. Devem recusar condutas meramente exteriores que servem para cobrir a injustiça”.

E, logo a seguir, continua o Santo Padre: “Quantos homens e mulheres têm fémas dividem as tábuas da lei: Sim, eu faço isso... Sim, sim, sempre mando um cheque para a Igreja.

Mas, na tua Igreja, na tua casa, com quem depende de ti (filhos, avós, funcionários) tu és generoso, és justo?

Não se pode fazer ofertas à Igreja e, pelas costas, ser injusto ... Este é um pecado gravíssimo: usar Deus para cobrir a injustiça”.

O Papa Francisco recordou ainda que Jesus condenou os fariseus por fazerem “tantas observações exteriores, mas sem a verdade do coração … O jejum que Jesus quer é o que desfaz as cadeias injustas, liberta oprimidos, veste quem está nu, faz justiça. Este é o verdadeiro jejum – reiterou o Papa – o jejum que não é apenas exterior, … mas que vem do coração”.

O Santo Padre afirmou mesmo: “Não é bom cristão quem não faz justiça comas pessoas que dependem dele. Não é bom cristão quem não se despoja de algo necessário para dar ao próximo”.

O caminho da Quaresma é para Deus e para o próximo! O amor a Deus e ao próximo estão unidos!

Como vais viver a tua Quaresma? Nesta Quaresma vais deixar que no teu coração exista lugar para o teu próximo?

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Via-Sacra Vicarial

Este Domingo, II Domingo da Quaresma, terá lugar, na nossa Paróquia, a Celebração da Via-Sacra Vicarial.

A   Celebração, que será presidida pelo Bispo Auxiliar de Lisboa, D. Joaquim Mendes, terá início às 16:00 horas, na Igreja Paroquial e irá terminar nas instalações da Fábrica da Pólvora.

Apelamos a todos os Grupos Paroquiais e a todos os Paroquianos que participem nesta Celebração.

2.    Vigília de Oração orientada pelo Grupo de Jovens

No próximo Sábado, dia 7 de Março, às 21.30 horas, terá lugar, na Capela de

S. Sebastião, uma Vigília de Oração organizada pelo Grupo de Jovens da nossa Paróquia.

Apelamos à participação de todos os Paroquianos. É mais uma forma devivermos bem este Tempo da Quaresma.

3.    Reunião do Plenário do Conselho Pastoral

No próximo Domingo, dia 8 de Março, às 20:30 horas, terá lugar, na Igreja Paroquial, uma reunião do Plenário do Conselho Pastoral.

Apelamos à participação de todos os Conselheiros.

4.    Celebração da Via-Sacra em Tercena

Todas as Sextas-Feiras da Quaresma, às 15:00 horas, haverá, na Igreja de Tercena, a Celebração da Via-Sacra.

5.    Campanha dos Escuteiros – Missão Ambiente

Como tem sido anunciado, os Escuteiros de Barcarena estão a participar numa campanha (recolha de medicamentos fora de validade, embalagens de medicamentos, folhetos, frascos, copos e colheres doseadoras, bisnagas, cremes, saquetas, etc.). A entrega pode ser feita nas Farmácias de Tercena ou Barcarena. Ao fazerem a entrega, devem indicar que a mesma se destina ao Agrupamento 1278 Barcarena.

A     entrega também poderá ser feita junto das Zeladoras de cada Comunidade ou na Sede do Agrupamento de Escuteiros.

Os Escuteiros pedem o empenho de todos Paroquianos, tendo em vista liderarem a quantidade entregue e, assim, poderem ganhar uma carrinha! 


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena