Nº92 25-01-2015

Anteriores

Nº92 - 25-01-2015

NA BARCA DA FÉ

 

A GRANDE NOTÍCIA

Jesus prega o “Evangelho”. Por este termo nós hoje entendemos um livro, mas, no tempo de Jesus, “evangelho” era uma palavra muito comum e significava apenas “boa notícia”. Assim, chamavam-se “evangelhos” todas as notícias alegres: um sucesso militar, a cura duma doença, o fim duma guerra e, sobretudo, o nascimento dum imperador, a sua subida ao trono ou a visita a uma cidade.

No início do seu livro, Marcos apresenta Jesus como arauto, o encarregado de proclamar a todos os homens uma notícia tão extraordinária e tão surpreendente que suscitaria em todos os que a ouvissem uma alegria imensa.

Há duas condições para poder fazer a experiência desta alegria: é preciso “converter-se e acreditar”. A “conversão” implica mudança radical do próprio modo de pensar. Quem antes seguia a lógica dos homens e punha acima de tudo os próprios interesses, o dinheiro, o sucesso, os prazeres, os divertimentos, etc., ao converter-se começa a pensar segundo Deus e não se põe a si mesmo como centro das atenções, mas sim as necessidades dos irmãos.

Depois, é necessário “acreditar”. A fé não consiste em arrazoados feitos com a cabeça e não se pode reduzir à aprovação intelectual do que Jesus disse, ao conhecimento do que Ele fez, mas consiste na adesão corajosa e incondicional à Sua proposta de vida.

A “grande notícia” anunciada por Jesus continua a ressoar hoje no mundo através das nossas comunidades. Procuremos então perguntar-nos: todos os que nos escutam começam realmente a sorrir, sentindo necessidade de festejar? Nós, cristãos, que ouvimos com frequência proclamar este Evangelho, saímos sempre contentes das nossas assembleias dominicais?

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO III do TEMPO COMUM – Ano B

L1 - Jn 3, 1-5.10, Sl 24, L2 - 1Cor 7, 29-31, Ev - Mc 1, 14-20

As leituras deste Domingo pedem-me para parar, olhar para trás e contemplar o caminho percorrido. Fico com a sensação que andei com a picareta do meu egoísmo a abrir caminhos ao lado da vereda plana que Deus tinha preparado para mim. Fiquei para trás. Ao longo de 43 anos parece que o caminho percorrido foi curto e, no entanto, o tempo passa a correr. Deus vem-me convidar a não desperdiçar o tempo, a acreditar e a arrepender-me dos meus pecados "Os habitantes de Nínive acreditaramem Deus, proclamaram um jejum..." (Jn 3, 5).

Estou cada dia mais próximo de ser convidado a ver o meu Pai adoptivo face a face. Às vezes, de tão agarrado ao chão da terra, esqueço-me que esse dia pode ser amanhã e não quando eu tiver mais tempo para reflectir sobre as coisas de Deus, graças à minha merecida reforma. O Espírito Santo incita-me a não viver agarrado às "coisas" a viver de mãos livres "...os que se utilizam destemundo, como realmente não se utilizassem. De facto, o cenário deste mundo é passageiro." (1 Cor 7, 31).

Deus é movimento, passa, convida e segue. Quando dou por ela já perdi mais uma oportunidade de o seguir, de o anunciar. O mundo é molengão, gosta do sofá e de se enterrar nas almofadas. Jesus, no Evangelho deste Domingo, passa por mim, olha-me nos olhos e diz-me que me deixe de teorias e que o siga: "Avançando um pouco, viu Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, quetambém estavam no barco a consertar as redes e logo os chamou. E eles deixaram, no barco, o seu pai Zebedeu, com os assalariados, e seguiram atrás d'Ele." (Mc 1, 19-20).

Paulo Chambel Leitão



Rumo ao Sínodo Diocesano – 2ª Etapa

A nossa Caminhada Sinodal com o tema “O Sonho Missionário de chegar a todos ”, inspirado no Nº 31 daExortação Apostólicado Papa Francisco, “AAlegria do Evangelho”, continua.

Estamos agora a iniciar a 2ª Etapa – “A Crise do Compromisso Missionário” – que terminará no final do mês de Março.

Durante estes três meses, somos convidados a ler integralmente o Capítulo II (Nº 50 a 109) da Exortação Apostólica “A Alegria do Evangelho”, a sublinhar o que mais nos chama a atenção, a partilhar, nos grupos em que estamos inseridos, as “luzes” que o texto do Papa Francisco nos suscita. Somos convidados a escutar os outros com atenção, a reflectir, a levantar novas questões e a apresentar propostas para o Sínodo debater, aprofundar e aclarar. O Guião Nº 2, disponibilizado pelo Patriarcado de Lisboa, começa por nos chamar a atenção para “alguns desafios do mundo actual”. Ali podemosler: Assim como o mandamento “não  matar”  põe  um  limite claro para assegurar o valor da vida humana, assim também hoje devemos dizer “não a uma economia de exclusão e de desigualdade social”. Esta economia mata. Em consequência desta situação, grandes massas da população vêem-se excluídas e marginalizadas. Os excluídos não são “explorados”, mas resíduos, “sobras”. (cf. Nº 53) … Exorto-vos a uma solidariedade desinteressada e a um regresso da economia e das finanças a uma ética propícia ao ser humano. (cf. Nº 58)

Eis algumas questões sobre as quais nos podemos debruçar: Somos capazes de nos compadecer ao ouvir os clamores alheios?

Procuramos cuidar do próximo ou assumimos que é responsabilidade de outrem?

As nossas comunidades procuram não só acolher como ir ao encontro dos mais fracos, excluídos e marginalizados? Ou será que vive fechada sob si mesma, dificultando muitas vezes a aproximação dos que estão mais afastados?

O que é que na nossa vida (individual e comunitária) é já expressão da procura por uma solidariedade desinteressada? 

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

Ao terminar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, vai realizar-se este Domingo, dia 25 de Janeiro, às 20:45 horas, no Centro Comunitário do Algueirão, um Encontro Ecuménico.

Todos são convidados a participar neste encontro.

2.    Reunião de Catequistas

Durante a próxima semana, em cada Comunidade, haverá uma reunião com os Catequistas. Os horários serão os seguintes:

Queluz de Baixo – Quarta-Feira, dia 28 de Janeiro, às 21:00 horas. Tercena – Quinta-Feira, dia 29 de Janeiro, às 21:00 horas. Barcarena – Sexta-Feira, dia 30 de Janeiro, às 21:00 horas.

3.    Encontro de Formação – Centro Jovem (Queluz de Baixo)

No próximo Sábado, dia 31 de Janeiro, entre as 14:00 e as 17:00 horas, no Centro Jovem de Queluz de Baixo, decorrerá um encontro de formação orientado pelo Doutor Juan Ambrosio com o tema: “Desafios actuais à transmissão da fé”.

A inscrição é gratuita mas obrigatória. Deve ser efectuada, por email  ( Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ), ou no Cartório Paroquial.

4.    Jornada Vicarial da Juventude

No próximo dia 1 de Fevereiro, no Estádio do Jamor, entre as 9:00 e as 17:00 horas, decorrerá a Jornada Vicarial da Juventude.

Cada jovem e cada animador deve levar apenas almoço para partilhar e o seu smartphone ou telemóvel. Se possível, é pedida a contribuição de 5 € por inscrição para cobrir o custo das t-shirts.

Apelamos à participação de todos os Jovens da Paróquia.

5.    Dia da Freguesia de Barcarena

A assinalar o dia da Freguesia de Barcarena, no dia 2 de Fevereiro, na Igreja Paroquial, às 12:00 horas, haverá uma Missa pelos defuntos que foram Autarcas.

6.    Peregrinação a Fátima – Família Missionária da Consolata

A família missionária da Consolata vai realizar a sua tradicional peregrinação a Fátima. Será no dia 14 de Fevereiro e é já a 25ª, ou seja, celebra-se este ano bodas de prata.

Na nossa Paróquia estão a ser organizados alguns autocarros para esta peregrinação. Todos os interessados em participar deverão contactar o Joaquim Peres (Tercena) ou a Fátima Mota (Queluz de Baixo). 


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena