Recentes



Nº88 28-12-2014

Anteriores

Nº88 - 28-12-2014

NA BARCA DA FÉ

 

SAGRADA FAMÍLIA

O mistério da Incarnação passa-se no contexto de uma família e aí Jesus viveu a Sua vida oculta até se manifestar ao povo.

O Natal é já a Festa da Família por excelência. Mas a Igreja quer celebrar mais concretamente a Festa da Sagrada Família, logo a seguir ao Natal, para a colocar como modelo exímio de todas as famílias e insistir no seu valor sagrado.

Embora a figura central do Natal seja evidentemente Jesus, Maria e José estão sempre presentes. Foi no seio desta Família que Jesus aprendeu a andar, a falar, a comportar-se. Aprendeu o amor sendo muito amado em criança,

crescendo entre um homem e uma mulher que gostavam muito d’Ele. E o que foi bom e importante para Jesus é também bom e importante para cada um de nós. Será, por isso, importante que a Igreja recorde o valor da família.

Nos nossos dias a família está a experimentar uma crise profunda, de consequências verosimilmente muito graves. O amor do homem e da mulher aparece cada vez mais como provisório, como uma aventura intensa e fascinante da afectividade e da sexualidade, mas a manter enquanto for boa para os dois. Aparece, muitas vezes, como um bem de consumo importante... mas, como todos os bens de consumo, tem duração limitada.

“Título, honras e favores humanos, tudo, tudo é apenas nuvem fugaz; o único bocado sólido de sorte é a felicidade familiar.” (H. Vierordt)

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ – Ano B

Sir 3, 3-7.14-17a; Salmo 127 (128), 1-2.3.4-5; Col 3, 12-21; Lc 2, 22-40

Que nos diz a Palavra de Deus este domingo sobre a Família?

Desde logo é lugar de Pai, Mãe e Filhos. É lugar de honrar, obedecer, amparar, perdoar, amar. É nesses cuidados mútuos entre pais e filhos que a árvore familiar dá frutos através de gerações: “Deus quis honrar os pais nos filhos e firmou sobre eles a autoridade da mãe. Quem honra seu pai obtém o perdão dos pecados, e acumula um tesouro quem honra sua mãe. Quem honra o pai encontrará alegria nos seus filhos e será atendido na sua oração.” (Sir 3, 3-6).

Parece quase poético mas quando passado à prática é muito difícil, se não impossível. O pecado original de cada um de nós faz-nos egoístas, em particular no seio da família. É exactamente aí que se acolhe, ou não a palavra de São Paulo: ”Suportai-vos uns aos outros”. Paulo escreve para pessoas como eu que querem ser perdoadas por Deus mas não se lembram de que isso implica perdoar o outro: “Tal como o Senhor vos perdoou, assim deveis fazer vós também”. O perdão começa na família. A paz começa na família.

Também aqui se pode utilizar o que diz São João “Se alguém disser: «Amo a Deus», mas odeia o seu irmão, é um mentiroso” (1Jo 4, 20). Por isso, “Como eleitos de Deus, santos e predilectos, revesti-vos de sentimentos de misericórdia, de bondade, humildade, mansidão e paciência” (Col 3, 12) antes de mais com os que me são próximos: mulher, marido, pais, filhos, irmãos, etc.

Somos chamados a formar um só corpo com Cristo na Igreja. Este chamamento começa de forma física no casal, dá frutos de vida que são os filhos, e todos são chamados a ser o mesmo corpo místico na Igreja familiar. Em ajuda das nossas dificuldades do dia-a-dia vem a Palavra de Deus, para nos instruirmos e aconselharmos uns aos outros com sabedoria, e a liturgia, para “com salmos, hinos e cânticos inspirados” cantar a Deus a nossa gratidão.

Zé Chambel Leitão



“Fraternidade, Caminho para a Paz”

O Dia Mundial da Paz, instituído pelo Papa Paulo VI, é comemorado e celebrado em todo o Mundo no primeiro dia de cada ano (dia 1 de Janeiro).

Recordamos hoje o tema que o Papa Francisco escolheu, no primeiro ano do seu Pontificado, para o Dia Mundial da Paz.

“Fraternidade, Caminho para a paz”.

Desde o início do seu Ministério como Bispo de Roma, o Papa Francisco tem sublinhado a importância de superar a “cultura do desperdício” e promover a “cultura do encontro”, de modo a caminhar para a realização de um mundomais justo e pacífico.

A fraternidade é um dom que todo homem e mulher têm em si, enquanto ser humano, filho de um mesmo Pai.

Diante das múltiplas tragédias que afectam os povos (pobreza, fome, subdesenvolvimento, conflitos, migrações, poluição, desigualdade, injustiça, crime organizado, fundamentalismos) a fraternidade é o fundamento e ocaminho para a paz.

A cultura do bem-estar faz perder o sentido da responsabilidade e da relação fraterna. Os outros, em vez de nossos “semelhantes”, são vistos como inimigos … Os pobres e os necessitados são considerados um “fardo”, um impedimento ao desenvolvimento. No máximo, são objecto de ajuda assistencialista, não são vistos como irmãos

A fraternidade, dom e empenho que vem de Deus, pede o compromisso de sersolidário contra as desigualdades e a pobreza que enfraquecem a vida social, pede o compromisso de cuidar de todos, especialmente dos mais pequenos eindefesos, de amar como a si mesmo, com o coração de Jesus.

Num mundo em que, constantemente, aumenta a interdependência não pode faltar o bem da fraternidade à qual o Papa Francisco tem acenado repetidamente.

A globalização da indiferença deve dar lugar a uma globalização da fraternidade.

A fraternidade diz respeito a todos os aspectos da vida (economia, desenvolvimento, finanças, sociedade civil, sociedade política, instituições públicas e culturais).

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Horário das Missas no dia 31 de Dezembro e Dia de Ano Novo

No dia 31 de Dezembro apenas haverá Missa em Tercena, às 9:30 horas. A Missa das 19:00 horas, em Queluz de Baixo, será cancelada.

No dia de Ano Novo (Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus e Dia Mundial da Paz) o horário das Missas é o seguinte:

10:30 horas – Tercena e Valejas; 11:00 horas – Leceia; 12:00 horas –

Igreja Paroquial de S. Pedro de Barcarena; 18:00 horas– Queluz de Baixo

2.    Grupo de Jovens – “Janeiras”

Entre os dias 2 a 4 de Janeiro, o Grupo de Jovens vai passar por todas as Comunidades da Paróquia para cantar as “Janeiras” em casa de todos os

Paroquianos que o desejarem. Todas as famílias que quiserem receber, em suas casas, o Grupo de Jovens, devem fazer a respectiva inscrição, no final das Missas Vespertinas e/ou Dominicais.

3.    Loja dos Sorrisos

A Loja dos Sorrisos está aberta nos seguintes horários: Segunda a Sexta-Feira, das 10:00 às 11:00 horas. Terça, Quarta e Quinta-Feira, das 16:30 às 18:30 horas. Sábado, das 9:30 às 11:30 horas.

Visite a loja dos Sorrisos e espalhe Sorrisos pela Freguesia de Barcarena!

4.    Peregrinação Paroquial a Santiago de Compostela e Lurdes

Estão abertas as inscrições para a Peregrinação Paroquial a Santiago de Compostela e Lurdes, a ter lugar em Julho de 2015.

As inscrições terão de ser feitas no Cartório Paroquial.

5.    Campanha dos Escuteiros – Missão Ambiente

Os Escuteiros de Barcarena estão a participar numa campanha (recolha de medicamentos fora de validade, embalagens de medicamentos, folhetos, frascos, copos e colheres doseadoras, bisnagas, cremes, saquetas, etc.). Os Escuteiros pedem a vossa ajuda e empenho, entregando esse material nas Farmácias de Tercena ou Barcarena. Ao fazerem a entrega, devem indicarque a mesma se destina ao Agrupamento 1278 BARCARENA.

As entregas também poderão ser feitas junto das Zeladoras de cada Comunidade.

Em caso de dúvida, podem contactar o Chefe do Agrupamento (Carlos Soares) ou a Responsável pelo Projecto (Isabel Alberto).

Com a vossa colaboração, os Escuteiros podem ganhar uma carrinha! 


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena