Recentes



Nº83 23-11-2014

Anteriores

Nº83 - 23-11-2014

NA BARCA DA FÉ

 

DEUS, JUIZ... PARA SALVAR

“Afastai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno que está preparado para o diabo” (Mt 25, 41). Estas são as palavras mais terríveis que encontramos no Evangelho, e não são únicas na boca de Jesus. S. Mateus lembra outras: “serão lançados nas trevas exteriores, onde haverá choro e ranger de dentes” (Mt 8, 12). “O Filho do

Homem enviará os seus anjos, que hão-de tirar do Seu Reino todos os escandalosos e todos quantos praticam a iniquidade, e lançá-los na fornalha ardente; ali haverá choro e ranger de dentes” (Mt 13, 41-42.50).

Frases como estas estão bem marcadas na nossa mente. Inspiraram gerações de artistas, que pintaram cenas de terror, desespero e tormento; sugeriram obras líricas como o “Dies irae”, a mais impressionante descrição do juízo universal; serviram de motivo a compositores musicais, que traduziram em sons a angústia do momento crucial em que Cristo pronuncia a sentença inapelável.

O juízo de Deus foi apresentado, e ainda hoje continua a ser visto assim, como um dramático ajuste de contas. Desta forma, o encontro com o Senhor, longe de ser desejado e esperado, é para toda a gente – até mesmo para os justos – uma grande incógnita. Diante daquele que “até mesmo nos seus anjos encontra defeitos” (Job 4, 18) quem poderá sentir-se seguro? Muitos cristãos já se consideram afortunados se conseguirem resolver a questão com uns anos de purgatório.

É esta a justiça de Deus?

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - XXXIV DOMINGO do Tempo Comum - Ano A

Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Ez 34, 11-12.15-17; Sal 22 (23), 1-2a.2b-3. 5-6; 1 Cor 15, 20-26.28; Mt 25, 31-46

O Evangelho deste domingo coloca-me perante o fim dos tempos. Nesse dia, os “malditos” ficarão à esquerda e os justos à direita: “Ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos; e colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda”(Mt 25, 32b-33).

Para iluminar a minha vida, a interpretação desta passagem precisa de ser ajudada por outras passagens das escrituras, não vá eu pensar que o mundo está dividido entre bons e maus, entre os pecadores que vão para o inferno e as boas pessoas que vão para o céu. Desde logo penso no ladrão que foi crucificado com Jesus, a quem bastou um pequeno diálogo às portas da morte para ter entrada no céu. Penso na prostituta que Jesus deixou que lhe lavasse os pés, em Zaqueu, um ladrão de alto nível. Penso na parábola do fariseu e do publicano (Lc 18, 9-14) que Jesus contou “para alguns que, convencidos de serem justos, desprezavam os outros”. Penso nas palavras de Jesus a Nicodemos: “Deus não enviou o seu filho ao mundo para julgar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele” (Jo 3, 17).

Jesus coloca-me perante a necessidade premente de o ver nos outros, em primeiro lugar, e depois de o ver no sofrimento dos outros, o que é mais difícil. A rejeição do sofrimento é algo natural e aceitar que Deus pode estar no que tem sede, ou fome, ou frio ou está doente, é algo sobrenatural. Mais ainda: sem julgar os que o ignoram. “Não julgueis”, diz Jesus no Semão da Montanha.

O julgamento é para o Pai. Há mesmo uma grande alegria no céu quando um pecador se converte. Mais alegria do que por noventa e nove justos que não precisam de arrependimento. Por isso há ícones com Maria e o menino ao colo a olhar de forma benevolente para a esquerda, para os “cabritos”, aqueles por quem Jesus veio dar a vida para que possam ter uma vida eterna.

Zé Chambel Leitão



Em caminho … Rumo ao Natal!

Celebramos este fim-de-semana o XXXIV Domingo do Tempo Comum e a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo que marca o final de mais um Ano Litúrgico. O Tempo Litúrgico não é um círculo fechado (que tem um início e um fim), mas um “círculo em espiral” que nos convida a estar sempre em caminho, que nos faz contemplar a beleza do Ser Cristão, sempre mais do alto.

Iniciaremos, no próximo Domingo, o percurso de mais um “círculo dessa espiral”, um novo tempo de Advento, um tempo em que somos chamados, como disse o Papa Francisco durante a Oração do Angelus, em 1 de Dezembro de 2013, “adescobrir a beleza de estarmos em caminho … todos em caminho através das veredas do tempo”.

Mas, estamos em caminho para onde?

Estamos em caminho para o Reino da Justiça, para o Reino da Paz!

E o Papa Francisco continua: “Este caminhonunca está terminado. Tal como navida de cada um de nós há sempre necessidade de partir de novo, de reencontrar o sentido da própria existência, a grande família humana não pode perder de vista o horizonte comum em direcção ao qual estamos em caminho: O horizonte de esperança!

O tempo do Advento restitui-nos o horizonte da esperança, uma esperança que não desilude, porque é fundada na Palavra de Deus. Uma esperança que não desilude porque o Senhor nunca desilude!

Ele é fiel! Ele não desilude! Pensemos e sintamos esta beleza.

O modelo desta atitude espiritual, deste modo de estar e caminhar na vida, é a Virgem Maria. Uma menina simples do campo, que traz no coração toda a esperança de Deus!

No Seu ventre, a esperança de Deus fez-se carne, fez-se homem, entrou na história: Jesus Cristo.

O Seu Magnificat é o cântico do Povo de Deus em caminho, o cântico de todos os homens e mulheres que esperam em Deus, no poder da Sua misericórdia.

Deixemo-nos guiar por ela, que é mãe, é mãe e sabe como guiar-nos.

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    1º Aniversário da Ordenação do Diácono Carlos M. Borges

No próximo dia 1 de Dezembro ocorre o 1º Aniversário da Ordenação do Diácono Carlos M. Borges.

Nesse dia haverá uma Missa de Acção de Graças, na Igreja Paroquial, às 21:00 horas.

Todos somos convidados a participar nesta Celebração.

2.    Dia de Santa Bárbara

No próximo dia 4 de Dezembro, a Igreja celebra o dia de Santa Bárbara, Padroeira dos Mineiros.

Nesse dia, às 12:00 horas, nas instalações da Fábrica da Pólvora, haverá Missa em honra de Santa Bárbara e por alma de todos os trabalhadores falecidos na Fábrica da Pólvora.

3.    Inauguração da Loja Social – Loja dos Sorrisos

No próximo dia 6 de Dezembro, pelas 15:30 horas, vai ter lugar a inauguração da Loja Social, a Loja dos Sorrisos.

A Loja Social fica localizada na Rua da Juventude, em Tercena (em frente às instalações do Centro de Infância de Tercena.

Convidamos todos os Paroquianos para esta cerimónia de inauguração.

4.    Vigília de Oração Juvenil Vicarial

No próximo dia 6 de Dezembro, pelas 21:30 horas, vai ter lugar, na Igreja Paroquial, uma Vigília de Oração Vicarial. Vão participar, nesta Vigília de Oração, jovens de todas as Paróquias da Vigararia de Oeiras.

Convidamos todos os Paroquianos para esta Celebração.

5.    Confissões de preparação para o Natal

O horário das Confissões de preparação para o Natal vai ser o seguinte:

Dia 13 de Dezembro, às 15:00 horas – Confissões das Crianças da Catequese e Catequistas, na Igreja Paroquial.

Dia 17 de Dezembro, às 17:30 horas – Valejas Dia 17 de Dezembro, às 21:00 horas – Barcarena Dia 18 de Dezembro, às 17:30 horas – Leceia Dia 18 de Dezembro, às 21:00 horas – Tercena

Dia 19 de Dezembro, às 21:00 horas – Queluz de Baixo

6.    Peregrinação Paroquial a Santiago de Compostela e Lurdes

Estão abertas as inscrições para a Peregrinação Paroquial a Santiago de Compostela e Lurdes, a ter lugar em Julho de 2015.

As inscrições terão de ser feitas no Cartório Paroquial. No momento da inscrição, cada participante escolherá o lugar que quer ocupar na camioneta.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena