Recentes



Nº77 12-10-2014

Anteriores

Nº77 - 12-10-2014

NA BARCA DA FÉ

 

CONVIDADOS PARA DANÇAR COM DEUS

O Reino de Deus constitui o motivo central da pregação de Jesus. Ele dá início à vida pública anunciando: “O Reino de Deus está próximo” (Mc 1, 15); depois, servindo-se de muitas parábolas, vai desvelando gradualmente “os seus mistérios” (Cf. Mc 13).

A parábola dos trabalhadores da última hora (Mt 20, 1-16) é certamente a mais desconcertante. Jesus contou-a para pôr em relevo quer a gratuidade do chamamento quer o empenho fiel que é pedido a quem entra no Reino de Deus. Não se pode negar que é fatigante permanecer fiel a Cristo. E se o ser-se discípulo comporta um esforço notável, como não considerar justificadas as queixas dos operários que começaram a trabalhar às seis da manhã e foram retribuídos da mesma forma que os outros que chegaram às cinco da tarde?

Se a relação com Deus for vista em termos de trabalho remunerado sem equidade, se o prémio que se recebe no Paraíso não for proporcional aos méritos acumulados, então é de pensar que é feliz aquele que põe os pés no Reino dos Céus apenas no último momento, aquele que tem a sorte de “morrer na graça de Deus” depois de “ter gozado a vida” longe dele.

É esta a mentalidade que cria o desinteressado (aquela pessoa que se desinteressa dos convites à fé), o atrasado (quem se compromete o mais tarde possível), oobstinado (que observa os mandamentos com muitoesforço e por medo de ir para o Inferno), o maltrapilho (a pessoa baptizada que continua a comportar-se como pagã). Só quem entendeu que o Reino de Deus é umafesta, é um banquete, é que entra decidido e semdemoras, porque não quer perder um instante da alegria que lhe é oferecida.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - XXVIII Domingo do Tempo Comum - Ano A

Isaías 25, 6-10a; Salmo 23 (22); Carta aos Filipenses 4, 12-14.19-20; Evangelho de S. Mateus 22, 1-14

A Palavra que me interpela neste Domingo é a do convite para o banquete preparado por Deus.

O profeta Isaías começa por estendê-lo a todos os povos, a todas as nações, por isso não será abusivo da minha parte sentir-me convidada e honrada com esse convite.

No entanto, a parábola contada por Jesus no Evangelho faz-me pensar em que grupo de convidados me revejo.

Passado o primeiro momento de deslumbre com a Palavra começo a perceber que não estou muito distante daqueles convidados que me parecem uns tolos por não aceitarem de imediato o tesouro que lhes é oferecido gratuitamente. De facto, vejo que muitas vezes até reconheço os convites que Deus faz no meu dia a dia para gozar da Sua presença e dos Seus louvores, mas que escolho adiar essa aceitação para ir atrás de outros tesouros que a traça corrói, como diz Jesus noutra passagem (Mt 6, 19).

E há algum problema nisso? Não. Como diz o Papa Francisco: “Deus não se cansa de perdoar, nós é que nos cansamos de pedir perdão”. Por isso, digo eu, também não se deve cansar de esperar, porque Ele é sempre fiel. Então, qual é o problema? Como disse Santo Agostinho nas Confissões “tarde Vos amei, ó beleza tão antiga e tão nova, tarde Vos amei!”. Se posso tomar parte na festa já, agora, porque demoro a aceitar o convite? Qual é a vantagem? Nenhuma. Não será o pecado que me afasta de ir ao encontro do Pai? De poder dizer sempre e em todas as situações como S. Paulo: “tudo posson’Aquele que me conforta”? Porque muito provavelmente as tribulações, ossofrimentos, a cruz, não vão desaparecer, são da natureza deste mundo, mas como diz o salmista “o Senhor é meu pastor: nada me falta. (…) Ainda queatravesse vales tenebrosos, de nenhum mal terei medo porque Tu estás comigo”.E isto faz toda a diferença. Ou seja, está nas minhas mãos experimentar que hoje, em Outubro de 2014, é a palavra de Deus que alimenta a minha vida e “reconforta a minha alma” e não as minhas vontades e pequenos prazeres.O Amor de Deus não está guardado à espera de uma oportunidade na Vida Eterna. “Na verdade, a Tua bondade e o Teu amor hão-de acompanhar-metodos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor para todo o sempre”,assim eu diga que sim ao convite e Ele me conceda essa graça.

Filipa Aguiar Ferreira



A nossa Paróquia em Caminho Sinodal

Este Domingo marca o início solene do Caminho Sinodal na nossa Paróquia. O título dado a este programa é lindíssimo: “O sonho missionário de chegar a todos”. Trata-se de uma iniciativa para a Igreja de Lisboa que pretende responder ao apelo de renovação da Igreja proposto pelo Papa Francisco na Exortação Apostólica “A Alegria do Evangelho” onde é salientada a necessidade de um Programa de Vidapara toda a Igreja.

O Caminho Sinodal que iniciamos contempla três realidades:

1. Uma Igreja em saída, uma Igreja que quer chegar à cidade dos homens para lherevelar o Senhor.

2. A universalidade da salvação que deve chegar a todos os homens.

3. A esperança que o sonho missionário contempla.

No número 25 da Exortação Apostólica, que transcrevemos, o Papa afirma claramente que quer que esta Exortação Apostólica seja um Programa de Vida para toda a Igreja:

“ (…) O que pretendo deixar expresso aqui possui um significado programático e tem consequências importantes. Espero que todas as comunidades se esforcem por usar os meios necessários para avançar no caminho de uma conversão pastoral e missionária que não pode deixar as coisas como estão. Neste momento não nos serve uma «simples administração». Constituamo-nos em «estado permanente de missão» em todas as regiões da Terra”.temática de toda a Exortação Apostólica gira em torno dos dois grandes eixos da vida cristã: A Missão e a Experiência Comunitária, onde, como o Papa sublinha, a Paróquia ocupa um lugar de relevo. A Missão não tem outra finalidade senão a construção da Comunhão, fazer acontecer Comunidade. Por outro lado não há Experiência Comunitária, que o seja de verdade, se não é Missionária.

Escrita na linguagem simples a que nos habituou o Papa Francisco, a Exortação Apostólica faz crescer em todos nós a necessidade e a urgência da Missão, ou seja, de passar a outros a “Alegria do Evangelho”.

E, como afirmou o Senhor Patriarca, “É obra de todos este sonho de chegar atodos!”. É um sonho de Deus de que nós nos tornamos participantes activos, não tanto pelo que fazemos mas antes de mais nada pelo que somos. Abracemos estecaminho com a “Alegria do Evangelho”!

Contamos convosco!

Diácono Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1. Informações relativas à Catequese

Inscrições das Crianças que vão frequentar a Catequese pela 1ª vez

Ainda continuam abertas as inscrições das crianças que vão frequentar a Catequese pela primeira vez. Podem ser feitas junto das Coordenadoras da Catequese de cada Comunidade.

Entrega de Catecismos

As crianças que ainda não têm Catecismo podem adquiri-lo junto do(a)Catequista. Aos Pais é pedida uma contribuição de 10 € (7 € para o Catecismo; 2,5 € para o Seguro; 0,5 € para Material).

Compromisso dos Catequistas e das Crianças da Catequese em Tercena e Barcarena

No próximo Sábado, dia 18 de Outubro, e no próximo Domingo, dia 19 de Outubro, Catequistas e Crianças da Catequese vão fazer o seu compromisso. Em Tercena, dia 18 de Outubro, na Missa Vespertina das 19:00 horas.

Em Barcarena, dia 19 de Outubro, na Missa Dominical das 12:00 horas.

2.  Encontro de Formação com Pais das Crianças da Catequese de Queluz de Baixo

Na próxima Sexta-Feira, dia 17 de Outubro, às 21:00 horas, na Igreja de Queluz de Baixo, vai ter lugar um Encontro com os Pais das Crianças da Catequese, subordinado ao tema “Uma Igreja em saída”.

3. Catequese de Adultos (Preparação para o Crisma)

As inscrições para a Cateque de Adultos na Paróquia (Preparação para os Sacramentos da Iniciação Cristã, 1ª Comunhão e Crisma) podem ser feitas no Cartório Paroquial, no seu horário normal de funcionamento.

O início desta Catequese está agendado para o mês de Novembro.

4. Vigília de Oração enquadrada na Semana das Missões

Enquadrada na Semana das Missões, no próximo Sábado, dia 18 de Outubro, às 21:00 horas, vai ter lugar, na Capela de S. Sebastião, uma Vigília de Oração orientada pelo Grupo de Pastoral Vocacional da nossa Paróquia. Apelamos à participação de todos os Paroquianos.

5. Abertura Solene do Sínodo Diocesano em Valejas

No próximo Domingo, dia 19 de Outubro, na Missa Dominical das 10:30 horas, o nosso Pároco fará a abertura solene do Sínodo Diocesano na Comunidade de Valejas.  


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena