Nº58 - 06-04-2014

Anteriores

Nº58 - 06-04-2014

NA BARCA DA FÉ

 

O SEPULCRO: UM SEIO, JÁ NÃO UM TÚMULO

Na antiguidade acreditava-se que “os deuses formaram a humanidade, atribuíram a morte à humanidade e ficaram com a vida nas suas mãos”. (Epopeia mesopotâmica Guilgamesh). Morrer é partir para o “país sem regresso”.

Também no Antigo Testamento é difícil encontrar alguma referência à hipótese da imortalidade da alma e à ressurreição dos mortos, e as que existem certamente não terão sido escritas antes do século II a. C.

Job afirmava: “Para a árvore há uma esperança: cortada, ao contacto com a água reverdecerá e deitará ramos como uma planta nova. Mas o homem, ao morrer acaba. As águas poderão desaparecer do mar, e um rio esgotar-se e secar. Mas o homem que morre nunca mais se levanta; enquanto durarem os céus não despertará, nem sairá do sono” (Job 14, 7-12).

Era desta forma que os espíritos mais iluminados da Antiguidade exprimiam a sua desilusão, a sua angústia, a sua desorientação perante a caducidade da vida. A Bíblia conservou a lembrança do seu desassossego para nos lembrar como eram densas as trevas do túmulo.

Com a Páscoa, no mundo resplandece uma nova luz. No Evangelho deste Domingo, Jesus ordena: “Tirai a pedra” (Jo 11, 39). Esta ordem é dirigida à comunidade cristã e a todos aqueles que ainda pensam que o mundo dos defuntos esteja separado e não comunique com o dos vivos. Quem acredita no Ressuscitado sabe que todos estão vivos, mesmo que participem de duas formas de vida diferentes. Todas as barreiras foram abatidas, todas as pedras foram removidas no dia de Páscoa.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - V Domingo da Quaresma - 2014 - Ano A

L 1 Ez 37, 12-14; Sal 129 (130), 1-2. 3-4ab. 4c-6. 7-8
L 2 Rom 8, 8-11
Ev Jo 11, 1-45 ou Jo 11, 3-7. 17. 20-27. 33b-45

Mendel e Lemaître

As leituras desta semana trazem-me uma mensagem de esperança. A morte não é o fim. Deus através da boca do profeta Ezequiel promete que "...«Vou abrir os vossos túmulos; deles vos farei ressuscitar..." (Ez 37, 12). Aos olhos do mundo esta é uma conversa alienada de quem não quer admitir que não somos mais do que uma combinação transitória de átomos.

Atualmente existe um programa "muito bem feito", recomendado pelos professores aos alunos de todas as idades denominado "Cosmos", o qual professa que a única coisa que existe, e existirá, é o Universo. Ao ver a descrição impressionante do número de estrelas e de galáxias que é possível observar a partir da Terra, e da possibilidade de haver outras dimensões e, mesmo outros Universos, realmente é difícil de acreditar que haja algo que seja maior (>  3.5×1080 m3) e mais velho (~14×109 anos) que o Universo. São Paulo teve a coragem de dizer que, as fronteiras naturais do homem vão para além do Universo. Esta afirmação não é baseada no método científico mas na fé, que é dom de Deus "Meus irmãos: Os que estão sob o domínio da simples natureza não podem agradar a Deus. Vós não estais sob o domínio dessa natureza, mas sob o domínio do espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós." (Rom 8,8-9).

O Evangelho desta semana é uma imagem perfeita de como Deus me tem desinquietado e tirado das minhas mortes através da Igreja "…bradou com voz forte: «Lázaro, vem para fora.» O morto saiu, de mãos e pés enfaixados com ligaduras e o rosto envolvido num lençol. Disse-lhes Jesus «Desligai-o e deixai-o ir.»" (Jo 11,43-44). Deus não luta contra a minha vontade de conhecer o Universo, sofre é ver-me limitado só às leis do Universo. O problema é que Deus quer sempre muito mais do que eu quero.

Paulo Chambel Leitão



Se quiseres conhecer a ternura de um pai dirige-te a Deus, experimenta e depois conta-me!

Aproxima-se o final da Quaresma, um tempo de preparação para as celebrações pascais, um tempo propício para um encontro “íntimo” com o Senhor, um encontro com o Senhor no Sacramento da Confissão.

Durante esta semana, em todas as Comunidades da nossa Paróquia, haverá um tempo destinado a Confissões.

A servir de estímulo para este encontro com o Senhor fica o conselho espiritual que o Papa Francisco nos deu durante a homilia da missa celebrada na manhã do dia 28 de Março, na capela da Casa de Santa Marta: “Se quiseres conhecer a ternura de um pai dirige-te a Deus, experimenta e depois conta-me!”.

“Por muitos pecados que possamos ter cometido, afirmou o Santo Padre, Deus espera-nos sempre e está pronto a acolher-nos e a festejar connosco e por nós, porque é um Pai que nunca se cansa de perdoar … Deus sabe amar sem medidas.

“Deus nunca se cansa … Ele volta sempre, porque o nosso Deus é um Deus que espera”. … “Adão saiu do Paraíso com uma pena mas também com uma promessa. E o Senhor é fiel à Sua promessa … Deus é fiel!.

Alguém pode pensar: Mas, eu tenho tantos pecados, não sei se Ele está contente comigo.

A resposta do Papa é: “Experimenta! Se quiseres conhecer a ternura deste Pai, vai ter com ele! Depois contar-me-ás! … O Deus que nos espera é também o Deus que perdoa: o Deus da misericórdia. … Deus não se cansa de perdoar, somos nós que nos cansamos de pedir perdão”.

O Deus que espera e perdoa é também o Deus que festeja!

O Papa Francisco concluiu a sua meditação afirmando: “A vida de cada pessoa, de cada homem e de cada mulher que têm a coragem de se aproximar do Senhor, encontrará a alegria da festa de Deus. … Que esta palavra nos ajude a pensar no nosso Pai, o Pai que nos espera sempre, que nos perdoa sempre e que festeja quando nós voltamos!”.

Diácono Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Confissões de Preparação para a Páscoa

As confissões de preparação para a Páscoa estão marcadas nos horários seguintes:

Valejas, dia 8 de Abril, 18:00 horas, na Igreja de S. Bento.

Leceia, dia 9 de Abril, 18:00 horas, na Igreja de Nossa Senhora da Piedade.

Barcarena, dia 9 de Abril, 21:00 horas, na Igreja Paroquial.

Tercena, dia 10 de Abril, 21:00 horas, na Igreja de Santo António.

Queluz de Baixo, dia 11 de Abril, 21:00 horas, na Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

2.    Exposição do Santíssimo na Igreja de Santo António – Tercena

Na próxima Quinta-Feira, dia 10 de Abril, entre as 16:00 e as 17:30 horas, haverá exposição do Santíssimo na Igreja de Santo António, Tercena.

3.    Horários das Celebrações da Semana Santa e da Páscoa

Domingo de Ramos – Bênção e Procissão dos Ramos seguida de Missa

Barcarena – 11:45 Horas (Capela de S. Sebastião); Leceia – 11:00 horas (Igreja); Queluz de Baixo – 8:45 horas (Casa das Irmãs); Tercena – 10:15 horas (Jardim ao lado da Igreja); Valejas – 10:30 horas (Igreja).

Quinta-Feira Santa – Missa Vespertina da Ceia do Senhor

Missa na Igreja Paroquial – 21:00 horas.

Partida do Autocarro

20:00 horas – Leceia   ;   20:10 horas – Tercena       

20:20 horas – Queluz de Baixo   ;   20:30 horas – Valejas

Sexta-Feira Santa – Celebração da Paixão do Senhor

Oração de Laudes na Igreja Paroquial – 10:00 horas

Celebração da Paixão do Senhor na Igreja Paroquial – 15:00 horas.

Partida do Autocarro

14:00 horas – Leceia   ;   14:10 horas – Tercena       

14:20 horas – Queluz de Baixo   ;   14:30 horas – Valejas  

Sábado Santo

Oração de Laudes na Igreja Paroquial – 10:00 horas

Vigília Pascal na Igreja Paroquial – 22:00 horas.

Partida do Autocarro

21:00 horas – Leceia   ;   21:10 horas – Tercena       

21:20 horas – Queluz de Baixo   ;   21:30 horas - Valejas

Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor

Horário das Missas: Tercena – 10:30 horas; Barcarena – 12:00 horas; Queluz de Baixo – 18:00 horas; Leceia – 18:00 horas; Valejas – 10:30 horas



©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena