Nº55 - 16-03-2014

Anteriores

Nº55 - 16-03-2014

NA BARCA DA FÉ

 

ELEITOS PARA SERVIR

“Vós sois um povo consagrado ao Senhor, vosso Deus, diz Moisés a Israel, que vos escolheu para Si como um povo particular entre todos os povos da terra” (Deut 14, 2). “Foi só a teus pais que o Senhor se apegou com amor. Elegeu a sua descendência, que sois vós, dentre todos os povos” (Deut 10, 15-16).

Também os cristãos são “linhagem escolhida” (1Ped 2, 9). “Conhecemos bem, amados irmãos, declara S. Paulo aos Tessalonicenses, a vossa eleição” (1Tess 1, 4).

Se o Senhor, como afirma S. Pedro, “não faz acepção de pessoas” (Act 10, 34), que sentido tem falar de eleição?

As escolhas de Deus não seguem os critérios humanos: não pressupõem os méritos e são ditadas pelo amor gratuito. Ele ligou-se a Israel, não porque fosse o mais numeroso dos povos - antes pelo contrário, era o mais pequeno – mas simplesmente por amor (Dt 7, 5-8). Aos cristãos das suas comunidades, S. Tiago lembra o comportamento de Deus: “Porventura não escolheu Deus os pobres do mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino?” (Tiago 2, 5).

Quando chama alguém, quando escolhe um povo, fá-lo para lhe confiar uma tarefa, uma missão, para que seja portador das suas bênçãos que são destinadas a todos.

Assim, Abraão deve tornar-se “uma bênção para todas as famílias da terra”; Israel, servo do Senhor, deve “levar às nações a verdadeira justiça” (Is 42,1); Paulo é “instrumento da Minha escolha, para levar o Meu Nome aos pagãos, os reis, e os filhos de Israel” (Act 9, 15).

As vocações de Deus não dão direito a privilégios, não oferecem nenhum motivo para que alguém se sinta superior ou melhor do que os outros. As vocações de Deus são um pedido de disponibilidade para o serviço, para uma mediação de salvação. Todas…. Desde o Pároco aos catequistas, passando pelos zeladores, pelos acólitos e pelo Diácono e por todos e todas que servem a Igreja do Senhor!

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - Domingo II da Quaresma - Ano A

Génesis 12,1-4a; Salmo 33(32); 2ª Carta a Timóteo 1,8b-10; Mateus 17,1-9.

Na primeira leitura deste domingo Deus chama Abraão a partir: «Deixa a tua terra, a tua família e a casa do teu pai, e vai para a terra que Eu te indicar. Farei de ti um grande povo, abençoar-te-ei».

Por sua vez, São Paulo faz um convite ao seu discípulo Timóteo: Compartilha o meu sofrimento pelo Evangelho, apoiado na força de Deus. Ele salvou-nos e chamou-nos, por santo chamamento, não em atenção às nossas obras, mas segundo o seu próprio desígnio e a graça a nós concedida em Cristo Jesus.

Por último, São Mateus relata a transfiguração de Jesus: Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e seu irmão João, e levou-os, só a eles, a um alto monte. Transfigurou-se diante deles: o seu rosto resplandeceu como o Sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz.

Através da primeira leitura, Deus também me chama a pôr-me em movimento, a deixar por vezes aquilo que conheço, que tenho como garantido, e a arriscar aceitar as Suas surpresas. Convida-me a ter confiança na promessa de bençãos que Deus oferece a quem procura fazer a Sua vontade. A história de Abraão não foi fácil. A terra e a descendência prometida demoraram muito a chegar. Como explica São Paulo a Timóteo, o chamamento de Deus não decorre das elevadas capacidades daquele que é chamado. Abraão era um homem velho. Começar uma vida nova não devia estar nos seus planos.

Mas o tempo de Deus é diferente. São Paulo também mudou radicalmente o seu rumo quando se encontrou com Jesus Cristo, a ponto de dar a vida e passar por inúmeros sofrimentos por Aquele que antes perseguia.

Deus pode sempre fazer de mim uma nova criatura, mesmo quando penso que é tarde de mais, que escolho muitas vezes ficar sentada no sofá ou seguir por um caminho feito à medida da minha vontade.

No entanto, vejo que para chegar à Ressurreição, à Páscoa, prefigurada no evangelho deste domingo, tenho de passar pela cruz, na qual Cristo destruiu a morte.

A cruz e o sofrimento existem. Nalguns momentos da minha vida estão muito presentes. A diferença é passar por eles com ou sem Jesus Cristo. Deixar que seja Ele a carregar a minha cruz por alguns metros ou deixar-me esmagar por ela.

Como dizia São Pedro no evangelho: «Senhor, é bom estarmos aqui; se quiseres, farei aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias». Nem sempre a presença de Deus é assim, perceptível, aconchegante, de encher a alma. Nos acontecimentos mais difíceis ajuda-me a imagem dos momentos de alegria e amor que Deus já me concedeu, para me dar força para continuar. Afinal, é isso que me promete.

Como diz o salmista: Os olhos do Senhor estão voltados para os que o temem,/para os que esperam na sua bondade, /para libertar da morte as suas almas /e os alimentar no tempo da fome.

A nossa alma espera o Senhor: /Ele é o nosso amparo e protector. /Venha sobre nós a vossa bondade, /porque em vós esperamos, Senhor. 

Filipa Aguiar Ferreira



O Estilo Cristão

Continuamos a nossa “Caminhada Quaresmal”Em direcção à Páscoa!

Atentos aos desafios apontados pelo Papa Francisco, nesta Quaresma, todos nós somos convidados a pautar a nossa vida por um estilo a que “poderíamos intitular de Estilo Cristão: Se alguém quiser vir após Mim, isto é, ser cristão, ser Meu discípulo, renegue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me. É o caminho da humildade, da humilhação, da renegação de si mesmo. … O estilo cristão sem cruz não é cristão. … Se a cruz é uma cruz sem Jesus, não é cristã”. E continuava: “Este é o estilo de vida que nos salvará, nos dará alegria e nos tornará fecundos”.

É um caminho que deve ser percorrido “com alegria, porque é Ele quem nos dá a alegria. Seguir Jesus é alegria! Mas, é preciso segui-Lo com o Seu estilo, não com o estilo do mundo”.

Eis então o caminho a seguir: “humildade, serviço, nenhum egoísmo, não se sentir importante, não se mostrar diante dos outros como uma pessoa importante! Sou Cristão!. … Pensemos em Jesus que está diante de nós, que nos guia por aquele caminho. Esta é a nossa alegria, esta é a nossa fecundidade: Andar com Jesus!.

Nesta Quaresma “peçamos ao Senhor que nos ensine um pouco este estilo cristão de serviço, de alegria, de nos esquecermos a nós mesmos, de fecundidade com Ele, como Ele a quer”.

Durante esta semana, todos nós somos convidados a uma resposta: Qual a característica concreta de Jesus que gostava de “vestir” e levar aos outros?

Fica também o desafio para um momento de oração em família.

Senhor Jesus,

No dia do nosso Baptismo foi-nos dada uma veste branca, sinal da Tua alegria e da Tua vida, que agora são também nossas.

Cada um de nós pode vestir-se de Ti, da Tua paciência, do Teu perdão, da Tua amizade e tornar-se um dom para os outros.

Ajuda-nos a manter sempre límpido e aberto para Ti o nosso coração, de modo a podermos descobrir e escolher o caminho certo, a nossa vocação.

Diácono Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Via Sacra Vicarial

Este Domingo, dia 16 de Março, II Domingo da Quaresma, pelas 16:00 horas, celebraremos a Via Sacra Vicarial, com a presença de todas as Paróquias da nossa Vigararia.

O ponto de encontro será na Igreja de Nossa Senhora do Amparo (Igreja Matriz de Carnaxide).

Apelamos à presença de todos os Paroquianos nesta celebração.

2.    Quarta-Feira, dia 19 de Março, Solenidade de S. José, Esposo da Virgem Maria

Na próxima Quarta-Feira, dia 19 de Março, Solenidade de S. José, Esposo da Virgem Maria, celebramos também o dia do pai.  

Na nossa Paróquia, o horário das celebrações será o seguinte:

Tercena – 10:00 horas; Queluz de Baixo – 19:00 horas; Barcarena – 21:00 horas.

3.    Via Sacra em Tercena

Todas as Sextas-Feiras da Quaresma, às 15:00 horas, haverá a Celebração da Via Sacra na Igreja de Tercena.

4.    Sacramentos da Iniciação Cristã - Crianças que frequentam o 3º Catecismo e Adultos

Os Jovens e Adultos que estão a fazer a devida preparação vão receber os Sacramentos da Iniciação Cristã na Vigília Pascal (dia 19 de Abril).

A administração destes Sacramentos realiza-se por “degraus” ou ”passos”.

O 1º “degrau” está marcado para o próximo Domingo, dia 23 de Março, na Igreja Paroquial de Barcarena, durante a Missa das 12:00 horas.

O 2º “degrau” está marcado para o dia 6 de Abril, na Igreja Paroquial de Barcarena, durante a Missa das 12:00 horas.

5.    Ofertório a favor da Cáritas

Os ofertórios das Missas Vespertinas e Dominicais do próximo fim-de-semana, dias 22 e 23 de Março, destinam-se à Cáritas Diocesana.

6.    Curso de Formação Litúrgica

A 2ª Sessão do Curso de Formação Litúrgica vai ter lugar no próximo Sábado, dia 22 de Março, entre as 14:00 e as 18:30 horas, no Centro Jovem, em Queluz de Baixo.

Chama-se a atenção de todos os participantes para a mudança de local.

A todos os participantes recomenda-se a máxima pontualidade.



©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena