Nº42 - 15-12-2013

Anteriores

Nº42 - 15-12-2013

NA BARCA DA FÉ

 

ALEGRAI-VOS SEMPRE NO SENHOR!

 Advento é uma escola de esperança, e por isso uma escola de alegria. O motivo principal deste 3º Domingo do Advento é a “Alegria” que domina os textos bíblicos e litúrgicos, a ponto deste Domingo ser denominado com a expressão latina da Carta aos Filipenses: Gaudete: “Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito: Alegrai-vos!” (Em sinal de alegria, os paramentos deste dia são, normalmente, cor de rosa, em vez de roxo).

Muitos apelos à alegria que podemos encontrar nas Leituras deste Domingo, como por exemplo: “Alegrem-se o deserto e o descampado! Tende coragem. Não vos assusteis.” (1ª Leitura).

João Baptista, uma das figuras centrais do Advento, é o profeta da alegria. Antes do seu nascimento, foi predito que muitos se alegrariam com a sua vinda. Ele mesmo exultou de alegria ainda no seio materno, na presença do Senhor, também no seio de Maria. Após ter cumprido a sua missão de Precursor e ter mandado os seus discípulos atrás do Senhor, João Batista extinguiu-se lentamente, como uma lâmpada que iluminou, e deu o último testemunho de luz à Luz, morrendo pela Verdade. Também no martírio se alegrou, como o grão de trigo que desce cantando à terra na esperança de produzir muito fruto.

Na alegria do Senhor que vem e que está próximo, devemos intensificar mais a preparação imediata ao Natal, fazendo já presépio de virtudes dentro de nós para acolher o Senhor, ou procurando a “prenda” que mais Lhe agrada: a conversão. A melhor prenda para Ele, que tantas vezes fica esquecido no Natal, entre tantos presentes e gastos inúteis.

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - III DOMINGO do ADVENTO, Ano A

Is 35,1-6a.10; Tg 5,7-10; Mt 11,2-11

As leituras deste fim-de-semana fazem-me um convite à paciência e à temperança. Ao escutá-las ressoa em mim uma pergunta “Será que tenho fé para aceitar os imponderáveis que o mundo me apresenta?”. Sinto que tudo à minha volta se está transformar de forma acelerada. Tanta mudança causa-me angústia e medo do amanhã. No entanto, Deus não me quer ver subjugado pelo mundo e envia-me estas leituras que me incitam a levantar a cabeça e a animar os outros à minha volta com a sua Palavra “Dizei aos corações perturbados: «Tende coragem. Não vos assusteis. Aí está o vosso Deus!»” (Is 35,4).

Onde está Deus? Nas inúmeras bênçãos que me tem dado ao longo da minha vida e que o meu egoísmo tende a transformar em frutos do meu esforço. A minha mulher, os meus filhos, a minha família, a minha comunidade, o meu grupo de colegas de trabalho. Deus tem tido desde que nasci a mão sobre a minha cabeça. Deus quer fazer de mim um homem novo, quer que eu seja “… como o agricultor …” (Tg 5, 7) que “… aguarda pacientemente o precioso fruto da terra, até receber as primeiras e as últimas chuvas. Sede vós também pacientes, dai firmeza aos vossos corações, pois a vinda do Senhor está próxima” (Tg 5,7-8).

Será que Deus realmente virá? São João Baptista (o maior de todos os profetas) na angústia do seu cativeiro também duvidou. “«És tu Aquele que está para vir, ou devemos esperar outro?»” (Mt 11,3). Deus, quando tenho os ouvidos abertos, envia-me sempre a sua palavra de salvação “ Jesus respondeu-lhes: «Ide contar a João o que estais a ouvir e a ver: Os cegos vêm, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem os mortos ressuscitam, e a Boa Nova é anunciada aos pobres. E feliz de quem não encontrar em Mim um empecilho.»” (Mt 11,4-6). Estas leituras convidam-me, ainda, a agradecer a Deus pelos Papas que têm marcado a minha vida: João Paulo II ensinou-me a ter esperança, o Papa Bento XVI a aprofundar a minha fé e o Papa Francisco a praticar a caridade com alegria.

Paulo Chambel Leitão



Domingo Gaudete

O terceiro Domingo do Advento é geralmente conhecido como “Domingo Gaudete”.

Gaudete significa Alegrai-vos!

As vestes litúrgicas deste terceiro Domingo são “cor-de-rosa”. O “rosa” indica que o “roxo”, característico do Advento, é como que suavizado com o branco das celebrações natalícias.

Este Domingo é chamado “Domingo Gaudete” numa alusão à Antífona de Entrada da Missa: Alegrai-vos sempre no Senhor! De novo o digo: alegrai-vos! … O Senhor está próximo”. (Fl 4, 4-5).

Como sabemos, a Igreja tem-nos ajudado a redescobrir o tempo do Advento não como um tempo de penitência, mas como um tempo de espera, de alegria!

O Domingo Gaudete dá a este tempo de espera (espera da vinda de Jesus) a cor da alegria.

A seriedade e a sobriedade que a Igreja nos propõe no tempo do Advento não devem tornar-se tristeza.

Alegrai-vos sempre no Senhor! De novo o digo: alegrai-vos!” (Fl 4, 5).

Percorremos já metade do tempo do Advento e a proximidade da celebração do Natal de Jesus traz consigo a alegria. O espírito com que os cristãos se preparam para o Natal é de alegria e de espera!

Nas semanas que antecedem o Natal, muitas pessoas experimentam um aumento de ansiedade, de stress, de preocupações, a que se segue, muitas vezes, a desilusão resultante de expectativas não atendidas, de prendas que não vão chegar.

Como Cristãos, Discípulos de Cristo, nós queremos que a preparação externa, a emoção própria do período que antecede o Natal não nos faça perder de vista a preparação interna, a preparação da alma para receber Jesus que vai chegar. Só assim estaremos abertos para receber a alegria da espera e da esperança que não desilude.

Carlos Manuel Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Confissões de Preparação para o Natal

As confissões de preparação para o Natal estão marcadas nos horários seguintes:

Valejas, dia 17 de Dezembro, 18:00 horas, na Igreja de S. Bento.

Leceia, dia 18 de Dezembro, 18:00 horas, na Igreja de Nossa Senhora da Piedade.

Barcarena, dia 18 de Dezembro, 21:00 horas, na Igreja Paroquial.

Tercena, dia 19 de Dezembro, 21:00 horas, na Igreja de Santo António.

Queluz de Baixo, dia 20 de Dezembro, 21:00 horas, na Igreja de Nossa Senhora de Fátima.

 

2.    Aniversário Natalício do Papa Francisco

No próximo dia 17 de Dezembro ocorre o aniversário natalício do Papa Francisco. Neste dia, de uma forma muito especial, vamos pedir a Deus que lhe dê força para guiar a Sua Igreja.

 

3.    Missas na Vigília de Natal (24 de Dezembro) e no Dia de Natal (25 de Dezembro)

Na nossa Paróquia, o horário das Missas na Vigília de Natal e no Dia de Natal será o seguinte:

Dia 24 de Dezembro

18:00 horas – Missa em Queluz de Baixo e Tercena

24:00 horas – Missa do “galo” – Igreja Paroquial de S. Pedro de Barcarena

Dia 25 de Dezembro

O horário das Missas será o horário das Missas Dominicais, excepto em Queluz de Baixo.

Em Queluz de Baixo, a Missa do Dia de Natal será às 18:00 horas (não haverá Missa às 9:00 horas).

 

4.    Campanha de Natal

Em todas as Comunidades da nossa Paróquia estamos a recolher alimentos (não perecíveis) para oferecer (sob a forma de cabazes de Natal) às Famílias mais necessitadas.

Todos os Paroquianos que quiserem participar nesta campanha podem depositar os donativos nos cestos que se encontram nas diferentes Igrejas.

 

5.    Retiro de Jovens

Alguns jovens da nossa Paróquia estão, neste fim-de-semana, a fazer um retiro de preparação para o Natal. Vamos acompanhá-los com a nossa oração.


©2019 Paróquia de São Pedro de Barcarena