Recentes

Folha Paroquial

Nº222 - 21-01-2018

NA BARCA DA FÉ

 

NÃO HÁ INIMIGOS A DERROTAR!
HÁ IRMÃOS A CONVERTER!

Gosto particularmente do Livro de Jonas! A primeira Leitura (Jonas 3, 1-5.10) pode ajudar-nos a compreender a importância de vivermos e aceitarmos a Misericórdia do nosso Deus. Aliás, poderemos até ler o Livro todo, na nossa Bíblia. É um “livrinho” pequeno e de fácil leitura.

As ideias de Jonas são em muito parecidas com as de muitos cristãos. Custa-nos aceitar um Deus Misericordioso para com todos, indistintamente. Será difícil renunciar ao prazer de ver sofrer os que nos oprimem e humilham. Mas este sentimento não é cristão. Na Leitura de hoje, Deus ensina-nos que não há inimigos a derrotar, mas só e apenas irmãos a converter, ajudando-os a ser felizes.

Quando se tem de lidar com pessoas muito más, por vezes há a tentação de pensar, como fez Jonas, que não vale a pena mudar-lhes o coração e a vida. Facilmente as consideramos irrecuperáveis. Mas será que poderá haver alguma situação tão desesperada que seja mais forte do que o amor de Deus? Boa ocasião para apelarmos à fé! Depois, Deus é quem converte!

O autor do Livro de Jonas sublinha um facto surpreendente: enquanto o povo de Israel, que se julga justo, na realidade tem o coração duro e não escuta a voz dos profetas, os ninivitas, pagãos, desprezados e pecadores, às primeiras palavras do enviado de Deus, mudam imediatamente de vida. Este comportamento dos israelitas recorda-nos o que Deus diz a Ezequiel: “Se te enviasse a povos estrangeiros, de linguagem incompreensível, esses ouvir-te-iam. Mas a casa de Israel não te quer entender, porque... têm cerviz dura e o coração obstinado” (Ez 3, 4-7).

Esta história não terá nada a ensinar-nos hoje? Não sucederá por vezes que os “pagãos” são mais sensíveis à Palavra de Deus? Não sucederá que eles reconhecem com maior humildade e prontidão os próprios erros, sem procurar esconder-se atrás de tantas práticas religiosas hipócritas e formalísticas? 

O vosso Pároco,

Padre Mário Faria Silva



VIVER A PALAVRA - DOMINGO III DO TEMPO COMUM – Ano B

LEITURA I –  Jonas 3,1-5.10; SALMO – Sal 24 (25); LEITURA II – 1 Coríntios 7, 29-31; EVANGELHO –  Marcos 1,14-20.

Em cada momento o Senhor fala. Umas vezes é bastante subtil: é disso exemplo a beleza com que me surpreende em cada dia com a natureza. Outras vezes aborda-me, exigindo de mim uma resposta. Quando me enamorei da minha mulher fui claramente interpelado por Ele: serei capaz de prometer fidelidade até à morte por aquela mulher por quem me enamorei? Não são respostas fáceis e implicam abdicar de algumas coisas. Dar esta resposta no meu Matrimónio significou que já não poderia viver só em função da minha vontade. Passaria a ter de adaptar a minha vontade à vontade de outro. No Evangelho, Jesus interpela uns pescadores: «Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens». A partir daquele momento deixaram condicionar a sua vontade pela de Jesus Cristo. Nem hesitaram: “Eles deixaram logo as redes e seguiram-n’O”. Deixaram a segurança do seu trabalho para seguir um grande mestre. Depois de muitas tribulações viram os frutos de terem seguido Jesus. Também tive algumas tribulações no casamento, mas pude ver os frutos que Deus foi providenciando com grande abundância, em especial os filhos que Deus me deu.

Na leitura de Jonas o Senhor também fala com grande potência. Neste caso pede uma resposta ao povo de Nínive, que andava por maus caminhos. Este povo ouviu e obedeceu ao Senhor, evitando assim um grande sofrimento. Também vejo que por vezes na minha vida o Senhor me chama a sair do mau caminho. Sempre que O ouvi livrei-me de grandes aflições.

São Paulo, na carta aos Coríntios, resume de certa forma o que o livro de Jonas e o Evangelho de S. Marcos me transmitem neste Domingo: “o cenário deste mundo é passageiro”. Por isso, tenho de optar a cada momento pela vida eterna. Isto quer dizer, ouvir sempre o que Deus Pai me fala e me interpela com mais um desafio ou correção. 

Pedro Chambel Leitão



VIVENDO A FÉ - Uma Ajuda Diferente para as Crianças de São Vicente!

O Pe. Carlos Pinto, um “filho” da nossa Paróquia, mais propriamente da Comunidade de Queluz de Baixo, está, este ano pastoral, em Missão, no Diocese de Mindelo, Cabo Verde.

Há algumas semanas recebemos uma mensagem do Pe. Carlos, da qual transcrevemos algumas partes:

“Escrevo-vos a pedir a colaboração para um jardim-de-infância que abriu recentemente na Paróquia de São Vicente, Cabo Verde […] Estar aqui, olhar a realidade e ver a dificuldade em adquirir seja o que for torna-se uma tarefa árdua e leva-me a pedir a vossa colaboração. No meio destas dificuldades, compensa a alegria e simplicidade com que se vive […]

Partilho convosco que tocar o povo de Deus tem sido uma experiência reconfortante e tem-me feito perceber mais aquilo que, em teoria, sempre ouvimos, Jesus veio para os fracos, pobres, doentes, presos. É impossível ficar indiferente quando o Senhor Jesus se manifesta num destes mais necessitados. É impossível fugir, é impossível não ver […]”.

Diz-nos ainda: O jardim-de-infância tem, “neste momento, 30 crianças, mas tem capacidade para 150 (e facilmente chegar-se-á lá visto estarmos num país em que a média de idade ronda os 30 anos, em 80 % da população)”.

Aquilo que nos é pedido é a ajuda concreta com bens que constam em duas listas afixadas nas cinco Comunidades da nossa Paróquia.

Centraremos a nossa ajuda na recolha de Produtos de Higiene, Produtos de Alimentação e Material Escolar, que podem ser depositados nos cestos destinados a esse fim.

Todos os produtos recolhidos serão enviados para Cabo Verde no final do mês de Março.

Quem pretender contribuir monetariamente poderá fazê-lo através da conta com o IBAN PT 50 5200 5200 000136 44001 35.

Gota a gota enche-se o copo e … com o pouco de cada um será possível dar mais vida às Crianças de S. Vicente.

Diácono Carlos M. Borges



VIDA PAROQUIAL

1.    Encontro de Formação para Catequistas da Adolescência

No próximo Sábado, dia 27 de Janeiro, entre as 9:00 e as 13:00 horas, haverá, no Externato Marista de Lisboa, um encontro para Catequistas da Adolescência.

2.    Vigília de Oração pela Vida Consagrada

No próximo Sábado, dia 27 de Janeiro, às 21:30 horas, haverá, na Igreja Paroquial, uma Vigília de Oração pela Vida Consagrada.

3.    Ofertório para a Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau

Nas Missas Vespertinas e Dominicais do próximo fim-de-semana (dias 27 e 28 de Janeiro), após o momento de Acção de Graças, terá lugar um ofertório solidário para a Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau que se ocupa em prestar auxílio aos doentes com lepra. Apelamos à vossa generosidade.

4.    Reunião do Plenário do Conselho Pastoral

No próximo Domingo, dia 28 de Janeiro, às 20:30 horas, haverá, no Centro Jovem (Queluz de Baixo), Reunião do Conselho Pastoral.

5.    Reunião com os Coordenadores Paroquiais da Catequese

No próximo dia 1 de Fevereiro (Quinta-Feira), às 21:00 horas, haverá uma reunião a fim de se preparar a Caminhada Quaresmal.

6.    2 de Fevereiro – Dia da Freguesia de Barcarena

No próximo dia 2 de Fevereiro (Sexta-Feira) celebra-se o Dia da Freguesia de Barcarena. A pedido da Excelentíssima Senhora Presidente da Junta e seu Executivo, haverá uma Missa de Acção de Graças, às 18:00 horas, na Capela de Leceia.

Por este motivo, a habitual Missa em Queluz de Baixo será cancelada.

7.    Missa durante a Semana na Igreja Paroquial

A partir do próximo dia 6 de Fevereiro (Terça-Feira), retomaremos, a título experimental, a Celebração da Missa durante a semana, em Barcarena.

Por enquanto será apenas à Terça-Feira. Mais tarde decidir-se-á se retomar também à Quinta-Feira.

8.    Peregrinação dos Missionários da Consolata a Fátima

A Peregrinação dos Missionários da Consolata a Fátima vai ter lugar no dia 17 de Fevereiro. Inscrições em Queluz de Baixo e em Tercena.


©2018 Paróquia de São Pedro de Barcarena